O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(20)‌ ‌em queda de -0,06%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.738,39 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ outubro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 0,83%‌ ‌e‌ -4,59%,‌ ‌respectivamente.‌

Confira na tabela abaixo:

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BARI11 fala sobre atraso em sua carteira de crédito

A gestão do FII Barigui Rendimentos Imobiliários (BARI11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na quarta-feira (20), a performance do fundo no mês de setembro. Além disso, a gestora Barigui Gestão disse que alguns ativos estão em atraso no pagamento dos juros ao fundo.

Referente ao mês de setembro, o fundo distribuiu R$ 1,15/cota de resultado, acumulando a distribuição de R$ 15,55/cota nos últimos 12 meses e R$ 11,29/cota no ano de 2021.

A gestão destacou que o patamar de dividendo representa um retorno de 14,76% em 12 meses e 10,72% no ano de 2021. Confira os resultados abaixo:

BARI11

Movimentação de investimentos e atrasos nos créditos

O Fundo adquiriu o CRI 3Z Realty pelo valor de R$ 10,0 milhões. O referido CRI tem taxa de IPCA+ 7,5% e prazo de 7 anos. 

Até o fim do mês passado, o BARI11 possuía 17 CRIs, sendo nove de créditos pulverizados, nos quais constavam 1.162 créditos imobiliários, com ticket médio de R$ 236 mil por contrato e garantias totais de 1,8 vezes o valor dos empréstimos. 

Veja abaixo o perfil da carteira do BARI11:

BARI11

Atualmente, o fundo possui 95% do seu patrimônio líquido alocado. Porém, a gestão afirma que existe a expectativa de aquisição de CRIs corporativos com boas garantias e com uma boa relação de risco/retorno. 

A gestão explicou sobre o acréscimo de casos de atrasos de créditos. Em comparação a agosto/21, o mês de setembro/21 apresentou acréscimo dos casos, totalizando 59 contratos com parcelas acima de 60 dias em atraso. 

Neste caso, a gestora garantiu que 16 casos suas dívidas nos próximos meses. Outros 08 casos já possuem acordos firmados para a retomada dos pagamentos e 22 estão em renegociação. 

A gestão destacou que a representatividade dos contratos acima de 180 dias em atraso ainda é baixa, equivalendo 4,6% dos créditos pulverizados, sendo que o atraso dos créditos não representa problemas nos pagamentos dos CRIs, por conta de mecanismos de segurança dos CRIs. 

“Os CRIs já são estruturados prevendo possíveis atrasos no recebimento dos créditos e por isso contam com garantia adicional de fundo de reserva e simulação de stress test, que permite o pagamento do CRI mesmo com parte do lastro em atraso”, garantiu a Barigui Gestão. 

O FII Barigui Rendimentos Imobiliários tem por objetivo a valorização e rentabilidade de suas cotas, por meio de investimentos em ativos imobiliários, principalmente os CRIs e aplicações financeiras.

MCCI11 informa sobre resultados, investimentos e qualidade da carteira

O Fundo de Investimento Imobiliário Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), gestão da Mauá Capital, divulgou nesta quarta-feira (20), o seu relatório gerencial do mês de setembro, em que descreveu seu resultado, mostrou investimentos e explicou sobre sua carteira de investimentos. 

A distribuição do fundo para o mês de setembro foi de R$ 1,00 por cota Isso equivale a um dividend yield anualizado de 12,4%, levando em conta o valor do fechamento do mês de R$ 102,03. Confira abaixo:

MCCI11

A gestora disse que tem como expectativa a manutenção desse patamar de distribuição de dividendos ao longo dos próximos meses. 

Movimentação de carteira

Ao longo do mês de setembro/21, o fundo realizou alocações estratégias em ofertas restritas de FIIs de CRI no montante total de R$ 37 milhões. 

Essas alocações fazem parte da estratégia do fundo de buscar oportunidades em novos fundos que ofereçam pulverização de risco e potencial upside no médio prazo. Veja abaixo o perfil dos ativos do fundo:

MCCI11

Por meio desses investimentos, o MCCI11 fechou o mês com R$ 235,6 milhões de caixa líquido e 82% do patrimônio líquido (PL) alocado em ativos alvo. São ao todo 26 CRIs e 8 FIIs de CRI que compõem a carteira do fundo. 

A parcela do patrimônio alocada em CRI apresenta uma taxa média ponderada de IPCA + 6,8% e CDI + 3,7%. 

O fundo também fez novas integralizações em CRIs já existentes do portfólio, no montante de R$ 1,7 milhão e remuneração média de IPCA + 7,3%. 

A gestão garantiu a qualidade dos ativos que fazem parte da carteira do MCCI11. Desta forma, 100% dos CRIs permanecem adimplentes, inclusive todas as parcelas referentes a outubro/21 já foram pagas. 

O Mauá Capital Recebíveis Imobiliários tem por objetivo tem por objetivo auferir rendimento e ganho de capital aos investidores através da aquisição de CRI. O Fundo deverá investir no mínimo 67% de seu patrimônio nesse tipo de ativo.