O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(23)‌ ‌em baixa de -0,61%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.780,49 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌junho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,27%‌ ‌e‌ -3,12%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ baixa de -0,60% ‌e‌ ‌101,71 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

Fechamento 23-06 fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BCFF11 demonstra resultados e rendimentos do mês

A gestão do FII BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado quarta-feira (23), a performance do fundo no mês de maio. 

Em relação aos resultados, a gestão divulgou que o BCFF11 distribuiu R$ 0,50 por cota. Este valor representa um dividend yield de 7,0% ao ano, com base na cota de fechamento do mês, ou ainda o equivalente a 228% do CDI para o período, destacou a BTG Pactual Gestora de Recursos. Confira com maiores detalhes na tabela abaixo:

BCFF11

Como complemento, no mês citado foi finalizada a 10ª emissão de cotas do BCFF11, com a captação de R$392 milhões, De acordo com a equipe gestora, boa parte desse valor já foi investido pelo fundo e sua totalidade já comprometida com novos investimentos.

Movimentação do portfólio

Em relação aos fundos de CRI, o BCFF11 realizou investimentos relevantes nesse segmento - ainda que menor que nos meses anteriores - com destaque à participação em ofertas restritas e ancoragem para criação de novos FIIs de CRI. 

“FII’s de CRI tornam a carteira do Fundo defensiva tanto para a abertura da curva de juros quanto para a alta dos índices de inflação e, nesse momento, seguem apresentando uma relação atrativa de risco e retorno”, lembrou a gestora. 

Também, o fundo prosseguiu com suas alocações no setor de lajes corporativas, principalmente com a participação no EZTB e RE Prime, ambos detentores da EZ Tower, ativo AAA em uma das melhores regiões de São Paulo e com um dividend yield de 8.6% a.a. 

Por outro lado, no setor de contratos atípicos, o BCFF11 reduziu sua participação, realizando operações com ganho de capital. E o setor de FIIs de shoppings foi o de menor participação do BCFF11 no mês de maio.

Fechando as contas, o fundo possui 13% de recursos em caixa, em razão da 10ª emissão de cotas, encerrada em maio. 

O FII BTG Pactual Fundo de Fundos Imobiliários tem como objetivo principal a aquisição de cotas de outros FIIs, bem como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e outros títulos de renda fixa.

SPTW11 atualiza cotistas sobre situação do fundo

A BRPP Gestão, que atua como gestora do SP Downtown FII (SPTW11), informou nesta quarta-feira (23) os resultados do mês de maio. Em relatório gerencial, a gestora aproveitou para detalhar a resolução na justiça das pendência dos fundo. 

A BRPP Gestão informou que após a aprovação da nova condição de pagamento do Imóvel Belenzinho, a Diálogo realizou o pagamento de R$ 27.431.271,08 e no mês de maio.

Só resta agora a última parcela que é de R$ 4.000.000,00, corrigido pelo IPCA-IBGE desde março/2021. A gestão reforçou que até o presente momento o Fundo já recebeu R$ 55.477.315,55 relativos à venda do imóvel (além dos alugueis mensais do Belenzinho que vem sendo recebidos pelo Fundo, mesmo após a venda do imóvel). 

Além disso, a gestão do SPTW11 informou que o fundo está movendo uma ação, desde abril, contra o Munícipio de São Paulo, para discutir a incidência do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e sobre a averbação para cancelamento/extinção do direito de superfície do imóvel Badaró. A Ação foi julgada procedente em relação aos pedidos do Fundo. Desta maneira, o fundo deverá receber R$ 3.631.191,33 da prefeitura de São Paulo, além de 5% para pagamento de honorários advocatícios (R$ 165.024,25). 

Em relação aos resultados distribuídos, os cotistas do SPTW11 receberam R$0,60 por cota

O SP Downtown FII é um fundo imobiliário proprietário de um imóvel comercial na cidade de São Paulo: o Imóvel Badaró. Antes desse, o fundo possuía o Belenzinho, que foi vendido em 2020. 

XPIN11 informa resultados e divulga nova emissão de cotas

O XP Industrial Fundo de Investimento Imobiliário (XPIN11), representado por sua gestora XP Vista Asset Management, comunicou aos seus cotistas nesta quarta-feira (23) os resultados do fundo referentes à maio. Além disso, a gestão explicou que fará sua 5ª emissão de cotas.

O fundo divulgou que o patamar de distribuição deste mês está em R$ 0,62 por cota. Isso corresponde ao dividend yield anualizado de 7,2% em relação ao valor da cota de mercado no fechamento do mês (R$ 104,01/cota). Os cotistas receberão seus dividendos no dia 25 de junho. 

Porém, o resultado divulgado pela XP Asset foi de R$ 0,57 por cota, que foi oriundo do “recebimento de todos os valores de locação devido ao Fundo de acordo com os contratos vigentes, sendo certo que 3 locatários adiantaram no mês de maio a locação que seria devida no mês de junho”, destacou a gestora. Observe os resultados abaixo:

XPIN11

Emissão de cotas já foi aprovada

Já em relação ao mercado secundário, o volume de negociação da cota do XPIN11 foi de R$ 25,5 milhões (média diária de R$ 1,2 milhão), mantendo a média diária do mês anterior.

Além disso, a gestão confirmou que foi aprovada a 5ª emissão de cotas do fundo, com o objetivo de captar R$ 150.000.010,93 (1.534.841 cotas). 

A XP Asset explicou que a nova oferta tem como objetivo a aquisição de novos ativos para o XPIN11, para diversificar ainda mais seu portfólio, contribuindo ainda mais para a resiliência na geração de receita. A gestora acrescentou que tudo isso faz mais sentido diante das “situações macroeconômicas adversas, como, por exemplo, o contexto da pandemia do COVID-19”. 

O XP Industrial Fundo de Investimento Imobiliário (XPIN11) tem como objetivo a obtenção de renda e ganho de capital por meio da compra de ativos imobiliários industriais ou logísticos. Isso inclui imóveis que estão em construção ou imóveis prontos para venda, locação ou arrendamento.