O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(26)‌ ‌em queda ‌de‌ -0,38%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.788,35 ‌pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌maio‌ ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ ‌-2,54%‌ ‌e‌ -2,85%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ baixa de -0,47%‌ ‌e‌ ‌101,45 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

fechamento 26-05

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

EDGA11 segue com vacância e dificuldades de locação

O BTG Pactual Serviços Financeiros, administradora do FII Edifício Galeria (EDGA11), comunicou nesta quarta-feira (23) aos seus cotistas, a atual situação dos imóveis do fundo. Além disso, o BTG Pactual informou sobre a vacância do imóvel e prestou esclarecimentos aos cotistas. 

Por meio de seu relatório gerencial, a administradora reforçou estar analisando a situação coletiva e individual de cada empresa e buscando chegar a um bom termo com todos para que a ocupação do prédio retome a patamares mais elevados. 

O Fundo é proprietário de 100% do Edifício Galeria, localizado na Rua da Quitanda, nº 86, Centro, Rio de Janeiro/ RJ. 

No final do mês de Março/2021, a taxa de ocupação do EDGA11 foi de 53,7%. Desta forma, a administração do fundo explicou aos cotistas a situação atual do seu imóvel.  

Na sua visão, o “momento atual do mercado imobiliário do Rio de Janeiro é de baixa liquidez, principalmente por conta das consequências do COVID-19, o que tem gerado dificuldades na locação dos espaços vagos, ainda mais em meio às atuais restrições de circulação desde o mês de março”. 

Porém, foi concluída uma locação no mês de abril e a equipe que faz a gestão do EDGA11 promete estar se esforçando ao máximo para prospectar novos inquilinos. 

Diante disso, o fundo teve como resultado líquido no mês de março o equivalente a R$439.736. A distribuição foi de R$0,15 por cota:

EDGA11

IBFF11 informa resultados e rendimentos do mês

O FII Integral BREI Fundo de Fundos (IBFF11), gestado pela Integral Brei Real Estate, divulgou nesta quarta-feira (26) o seu relatório gerencial do mês de abril de 2021, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais. 

No mês de abril, o IBFF11 apresentou lucro líquido de R$ 233 mil. Os resultados vieram das seguintes operações: 

  • R$ 39 mil em ganho de capital com o giro dos ativos RBRR11 e MCCI11, R$ 40 mil referente a juros e liquidação parcial do CRI Loft e 
  • R$ 239 mil de receitas de rendimentos dos FIIs em carteira. 

Desta forma, o IBFF11 fecha o mês com resultado de R$0,35 por cota. Nos últimos 12 meses foram distribuídos R$ 4,97/cota, ou 6,93% de dividend yield. 

Destacamos que nos próximos meses seguimos com a liquidação dos CRIs em carteira. 

  • O CRI Loft recebeu habite-se em abril e além dos R$ 40 mil de resultado já distribuído neste mês, temos esperado para o mês de maio mais R$ 133 mil com a liquidação total do papel. 
  • O CRI Teixeira Pinto também possui liquidação prevista para se iniciar em maio e deve seguir nos próximos meses, com isso, esperamos construir uma reserva de lucro e realizar uma gestão eficiente do recurso proveniente dos CRIs para elevar o nível de dividend yield do Fundo. 

Por fim, o IBFF11 terá liberação de aproximadamente 13% da carteira para novas alocações, recurso importante para rebalancear a carteira do Fundo e buscar ativos que maximizem a distribuição do fundo. 

RCRB11 divulga resultados do mês de abril 

A Rio Bravo, gestora do FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), comunicou nesta quarta-feira (27) aos seus investidores por meio de Relatório Gerencial, sobre os resultados de abril.

O FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) é um fundo imobiliário do tipo tijolo com foco no mercado de escritórios comerciais. 

No mês de abril, o Fundo apresentou resultado de R$ 0,41/cota e distribuição de R$ 0,80/cota: 

RCRB11

Em abril, o RCRB11 assinou um aditivo ao contrato de locação da Heineken no Edificio Continental Square, com as seguintes alterações: 

  • Reajuste do aluguel com aumento de aproximadamente 55% no valor de locação por metro quadrado. 
  • Por outro lado, a locatária desocupará algumas áreas do prédio, com pagamento integral de encargos e locação até a efetiva desocupação e pagamento de multa por rescisão antecipada. 

Assim, o fundo receberá R$ 0,1416/cota, referente ao aumento da locação proporcional desde janeiro, acrescido das multas de rescisão. 

Por fim, a locatária permanecerá ocupando 2.198,88 m² do Imóvel, cerca de 5,3% da área total do fundo.