O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ segunda-feira‌ ‌(27)‌ ‌em alta de 0,09%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.711,73 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ setembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,38%‌ ‌e‌ -5,51%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ alta de 0,27%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,64 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

PATC11 divulga resultados, vacância e nova administração

A Pátria Investimentos, gestora do Pátria Edifícios Corporativos FII (PATC11), comunicou na última segunda-feira (27) aos seus cotistas, os resultados e rendimentos referentes ao mês de agosto. Também, a gestora divulgou sobre nova locação e sobre mudança na administração do fundo.

Em relação aos seus resultados, o fundo distribuiu R$ 0,31 por cota como rendimento referente a agosto. Confira abaixo:

PACT11

Mudanças no portfólio

Sobre o portfólio do fundo e as recentes mudanças no mercado imobiliário, a gestão acredita que o mercado de lajes corporativas tem apresentado bons fundamentos.

Prova disso, destaca a gestora, são as três novas locações recentemente assinadas nos conjuntos vagos do fundo, em dois imóveis distintos na região da Vila Olímpia. 

No dia 27 do mês passado, o PATC11 assinou com a SMR - empresa atuante no setor de supermercados - no conjunto 302 do CVO pelo prazo de 60 meses a partir de setembro. O novo inquilino passará a representar 5,3% da área bruta locável do fundo e 5,4% da receita total. 

Por essas razões, a única área vaga do PATC11 daqui em diante passa a estar concentrada no edifício Sky Corporate. A gestão afirma seguir firme na prospecção de novos inquilinos. A procura pelo imóvel tem sido alta nos últimos dias. 

O PATC11 teve sua taxa de vacância física aumentada em agosto de 2021, chegando a atingir o patamar de 27%. Da mesma forma, a vacância financeira do fundo subiu para 30%. 

A gestão explicou que essa diferença decorre dos períodos de carência vigentes em alguns dos novos contratos do fundo. Veja abaixo os imóveis do fundo e sua receita imobiliária:

PACT11

A boa notícia é que as taxas de vacância do PATC sofrerão um decréscimo no mês de setembro com a ocupação de outro conjunto no CVO, anunciada acima. A partir de agora, o único imóvel com vacância do portfólio do PATC11 é o Sky. 

Além disso, a inadimplência do fundo no mês de agosto continuou sendo de 0%.

Mudança na administração do fundo

Outro fato importante para o fundo foi no âmbito da sua administração. No dia 06 de setembro, foi feita uma Consulta Formal para a substituição do Modal DTVM pela MAF DTVM como administradora.  

A gestora explicou que trata-se de uma alteração simples e processual, única e exclusivamente devida à cisão do Banco Modal em meio a reestruturações societárias.

Diante disso, o Modal arcará com todos os custos da substituição e o time responsável pelo PATC11 na administradora permanecerá inalterado.

O Pátria Edifícios Corporativos FII é um fundo imobiliário do tipo tijolo com foco no mercado de escritórios comerciais. O objetivo central do fundo é compor um portfólio de edifícios de escritórios de alta qualidade (A/A+) nas maiores cidades do país, com destaque à cidade de São Paulo.

RBRR11 informa resultados e detalha operações do mês

A gestão do RBR Rendimento High Grade (RBRR11) informou aos cotistas nesta segunda-feira (27), os resultados do fundo referentes ao mês de agosto. Além disso, a gestora RBR Gestão  demonstrou as operações da carteira do RBRR11.

O fundo distribuiu R$ 0,80 por cota como rendimento referente ao mês de agosto. Este provento corresponde a um dividend yield anualizado de 10,27%, Veja mais sobre os resultados do fundo:

RBRR11

Movimentação de carteira

Em agosto o RBRR11 fez duas aquisições de CRI: 

  • R$ 5 milhões no CRI Share Pinheiros, com remuneração uma taxa de CDI+ 3,50%a.a. 
  • Aumento de posição (R$ 4 milhões) no CRI Rede D’or 2, dentro da estratégia tática, com remuneração de IPCA+5,04%a.a. 

Buscando ganho de capital, o fundo vendeu sua posição de R$ 5 milhões do CRI Rede Dor (%CDI) no mercado secundário, apurando um ganho de capital de R$ 0,02/cota no mês. 

Com a compra em abril a 135% CDI e venda a 110% CDI o retorno do investimento foi equivalente a 12,5% ao ano. 

O RBRR11 também operou no mercado de FIIs. O fundo investiu R$ 10 Milhões na oferta de MCCI11. 

A gestão explicou que após dois meses do encerramento da 6ª emissão de cotas, a qual arrecadou o montante de R$270 milhões, 94% já foi alocado nas estratégias Core e Tática. Confira abaixo as principais estratégias do fundo:

RBRR11

Desta forma, a alocação acelerada e a previsibilidade de resultados permitiram a divulgação de dividendos entre R$0,75/cota e R$0,90/cota para os demais meses de 2021. 

Outro elemento importante é o impacto positivo nos papéis indexados à inflação, que tem potencial de gerar maior resultado para a carteira. 

A gestora destacou que a carteira acumula um resultado gerado pela inflação, ainda não distribuído, equivalente a R$1,86/cota. 

O RBRR11 é um fundo imobiliário de papel com aplicações financeiras em títulos de dívida imobiliárias, com destaque aos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). A estratégia da RBR é investir em operações exclusivas com originação própria ou de terceiros.

MALL11 informa resultados e rendimentos do mês 

O Malls Brasil Plural FII (MALL11), representado por sua gestora BRPP Produtos Estruturados, comunicou nesta última segunda-feira (27) os resultados do fundo referente ao mês de agosto. 

O Malls Brasil Plural FII é um fundo do tipo tijolo, com foco na obtenção de renda a partir da exploração imobiliária de participações em shopping centers.

O fundo gerou um resultado no mês equivalente a R$ 0,51/cota, sendo o valor distribuído equivalente a R$ 0,55/cota. Dessa forma, a base acumulada de resultados a distribuir para os próximos meses ficou em, aproximadamente, R$ 0,20/cota. Confira abaixo:

MALL11

A gestão destacou que, em julho, foi o melhor mês de vendas de 2021 em um patamar muito próximo de 2019, apenas 1% abaixo de julho/19. 

Além disso, foi o primeiro mês que o portfolio apresentou inadimplência líquida negativa (-4%), o que significa que a recuperação de aluguéis de períodos anteriores se sobrepôs ao montante inadimplido no período. 

O indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) 4 registrou alta pelo terceiro mês consecutivo, crescendo 2,1% e totalizando 70,2 pontos, a perspectiva de consumo atingiu o maior nível desde maio de 2020 (70,7). 

A perspectiva das famílias é que as condições de consumo continuarão melhorando apesar dos aumentos da taxa de juros básica (Selic) para conter o aumento da inflação. Além disso, o volume de vendas do comércio avançou 1,2% em julho frente a junho, com isso, o varejo apresenta quatro taxas positivas consecutivas. 

Durante o mês de julho, o portfólio do fundo permaneceu 100% aberto e com horário de funcionamento superior ao mês de junho e isto se reflete nos principais indicadores operacionais dos ativos (NOI, Aluguel faturado e Nível de Inadimplência). 

Por fim, a gestão ressaltou que segue otimista em relação à retomada dos resultados tão logo a situação se normalize, mas o cenário de curto prazo da pandemia ainda permanece incerto devido a variante delta, uma vez que o contexto pandêmico deu uma trégua, mas não acabou.