‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ segunda-feira‌‌‌ ‌‌‌(28)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ estável ‌‌em 0,00%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.748 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌0,25%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-2,0%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

MXRF11 movimenta carteira e afirma que fechou 2021 com lucro acumulado

A gestão do Maxi Renda FII (MXRF11), detalhou em seu relatório gerencial divulgado na segunda-feira (28), o desempenho do fundo no mês de fevereiro. Desta forma, a XP Asset Management publicou os resultados do FII e afirmou o fundo fechou o ano de 2021 no com lucro acumulado. 

Em relação aos seus resultados, o fundo distribuiu R$ 0,09 por cota de rendimentos. Confira os resultados abaixo:

MXRF11 fiis

As operações de permutas financeiras distribuíram no mês R$ 1,49 milhão de dividendos, no book de CRI o resultado caixa do MXRF11 foi de R$17,75milhões, enquanto o resultado dos FIIs foi de R$ 2,46 milhões. 

Portanto, a gestora reforçou que faz a distribuição dos rendimentos em regime de caixa, de forma que os proventos são distribuídos quando transitados no caixa do fundo. Por isso, pode haver um descasamento temporal entre os índices/taxas que remuneram os papéis e o efetivo pagamento. 

Movimentação de carteira

A gestora comentou sobre os investimentos do fundo. Neste aspecto, o fundo prossegue com sua estratégia de reciclagem de portfólio com vendas parciais de alguns CRIs a serem listados, além de R$ 134,27 milhões em alocações.

Durante o mês o MXRF11 realizou a aquisição de R$ 40,00 milhões do CRI Bild a uma remuneração de CDI+ 3,15% a.a. Além disso, foi retomada a posição do CRI Clariant, no volume de R$ 94 milhões. Confira abaixo o perfil da carteira do fundo:

MXRF11

No book de FIIs a gestão optou por vender R$ 45,01 milhões, enquanto que no book de Permutas Financeiras não houve movimentação neste mês. 

Questão do MXRF11 com a CVM

Adicionalmente, foi protocolado tempestivamente Pedido de Reconsideração da decisão do Colegiado da CVM tomada em reunião de 21 de dezembro do ano passado. 

O gestor destaca que os números de encerramento de 2021 serão verificados por auditoria independente, mas a indicação mais atual é a de que o MXRF11 tenha encerrado o ano de 2021 com lucros acumulados. 

O Maxi Renda FII é um fundo de papel com objetivo de rentabilizar por meio da aplicação de seus recursos em ativos financeiros com lastro imobiliário, tais como CRI, Debênture, LCI, LH e cotas de FIIs.

RECT11 anuncia compra de escritórios em São Paulo

O Fundo de Investimento Imobiliário REC Renda Imobiliária (RECT11), administrado pelo BRL Trust DTVM S/A, divulgou a aquisição de novos ativos para seu portfólio. 

O fundo concluiu a aquisição dos escritórios de nºs 41, 42, 43, 51, 52, 53, 61 e 62 localizados na Torre Rio Claro Offices do empreendimento imobiliário "Cidade Matarazzo", em São Paulo. O preço de aquisição foi de R$ 57.029.565,00. 

A gestora disse que a área bruta locável total dos Imóveis é de 2.426,79 m², os quais já se encontram locados, conforme fato relevante divulgado em 30 de agosto de 2021. 

Desta forma, com a conclusão da transação, a área bruta locável total do RECT11 passa a ser de 92.997 m², e a taxa de vacância do portfolio será de 15,22%.

O RECT11 é um fundo de lajes corporativas. De acordo com seu relatório gerencial, sua distribuição de rendimentos acumulada nos últimos 12 meses corresponde a 6,53%, o que equivale a 118% do CDI. 

O patrimônio líquido do RECT11 até o final de fevereiro de 2022 era de R$ 797,5 milhões. As receitas de aluguel no mesmo período foi de cerca de R$ 4,67 milhões. Assim, o resultado de propriedades no mês foi de R$ 2,41 milhões.