O Fundo de Investimento Imobiliário Mogno CRI High Grade (MGCR11), administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM, divulgou nesta terça-feira (16) o seu relatório gerencial do mês de outubro, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O objetivo do MGCR11 é a compra de certificados de recebíveis imobiliários focado em estruturas high grade. Nesse sentido, se busca principalmente uma composição das garantias reais e nível de colaterais. Assim, o Mogno CRI High Grade tem o intuito de aproveitar algumas oportunidades de mercado e distorções de preço.

A carteira de CRIs do MGCR11 terminou outubro com 18 operações no total. A maior exposição do portfólio de CRIs do fundo nessas operações estão com os segmentos residenciais, logístico e hotelaria.

Portfólio do Mogno CRI High Grade

Levando em conta a estratégia de alocação de FIIs foram realizadas as principais movimentações em:

  • Venda de 450 mil da posição de HGCR11;

  • Desinvestimento de 5,2 milhões da posição do CRI de Via Varejo.

Na alocação por estratégia, cerca de 70,64% do patrimônio líquido do MGCR11 está em CRIs. Do mesmo modo que o FIIs representa 21,95%, enquanto em caixa foi de 7,41%. Na alocação por indexador, na porcentagem de CRIs, é de 91,02% em IPCA+ e CDI+ é de 8,98%.

Na alocação por segmento, a carteira do fundo se distribui em:

  • Residencial - 29,78%;

  • Varejo - 20,69%;

  • Logística - 10,72%;

  • Hotelaria - 14,53%;

  • Hospitalar - 10,60%;

  • Shopping - 3,10%.

MGCR11 anuncia resultado e rendimento mensal de outubro

Resultados e rendimentos do MGCR11

A receita total do Mogno CRI High Grade no mês de outubro foi de R$ 1,27 milhão, enquanto as despesas foram de R$ 125 mil. O resultado do fundo no período foi de R$ 1,28 milhão, enquanto a distribuição total foi de R$ 1,143 milhão, que representa cerca de R$ 0,80 por cota.

Além disso, o MGCR11 também permite o investimento em FIIs de CRI, desde que esteja em alinhamento com o fundo. O início do fundo ocorreu em 6 de outubro de 2020 e a taxa de gestão é de 0,70% ao ano sobre o valor patrimonial do fundo. Já a taxa de administração é de 0,20% ao ano sobre o valor patrimonial do fundo.

O patrimônio líquido do MGCR11 foi de cerca de R$ 136,83 milhões, enquanto o valor da cota patrimonial é de R$ 96,20, em meio a 1.422.304 cotas emitidas. O número de cotistas do fundo atingiu 2.111 investidores e o dividendo no mês foi de R$ 0,80.