O Fundo de Investimento Imobiliário Mogno Fundo de Fundos (MGFF11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S/A DTVM, divulgou o seu relatório gerencial do mês de outubro, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O objetivo do MGFF11 é alcançar rendimentos e ganhos de capital para a compra de Fundos de investimentos Imobiliários (FII) e outros ativos que estejam ligados ao mercado imobiliário. A taxa de administração é de 0,20% ao ano sobre o valor de mercado do fundo. Importante lembrar que o início do fundo foi em 27 de março de 2018.

O MGLG11 disse que os mercados globais “se recuperaram em outubro enquanto a atividade nas principais economias se aproxima do nível pré-pandemia”. A pressão inflacionária permanece no radar de muitas autoridades monetárias. Esta, por sua vez, reforça o “caráter gradual da retirada de estímulos”. 

A indústria e varejo obteve queda para níveis próximos do ano de 2019, através da recuperação sendo puxada pela volta dos serviços. O aumento da incerteza do quadro fiscal trouxe uma deterioração dos mercados. Esse fator combinado com a persistência do alto nível da inflação, desacelerou o aperto monetário com aumento de 150 bps da Selic.

Portfólio do Mogno Fundo de Fundos

No mês de outubro, o IFIX teve uma variação acima do MGFF11, como aconteceu com praticamente todos os demais fundos de fundos. O fundo destaca que no mês se teve um resultado acima da média de seus pares, apesar do segmento ter performances mais fracas, junto com os fundos de lajes corporativas.

O fundo entende que as alocações realizadas ao longo do primeiro semestre deram ao fundo “mais robustez e resiliência, que são percebidas gradualmente pelo mercado”. Por segmento, o MGFF11 tem maior alocação em 5 segmentos:

  • Corporativo - 26%;
  • Recebíveis - 25%;
  • Shoppings - 17%;
  • Logístico - 11%;
  • Caixa e equivalentes - 8%.

Por estratégia, 53% da alocação do Mogno Fundo de Fundos se dá por ganho de capital. Enquanto isso, 39% estão em renda, enquanto caixa e equivalentes representam 8%. Na composição detalhada na carteira, a maior posição é o BRCR11, com 6,9%.

Resultados e rendimentos do MGFF11

O dividendo do MGFF11 referente ao mês foi de R$ 0,50 por cota, representando um yield anualizado de 9,31%. Já o retorno mensal total foi negativo em 1,88%, contra um resultado do IFIX também negativo de 1,47% em outubro.

Além disso, a variação da cota do Mogno Fundo de Fundos no mercado, somado ao dividendo distribuído, renderam negativamente 2,56% no mês. O volume médio diário negociado foi de R$ 1,4 milhão no mês.

Os rendimentos do MGFF11 nos últimos 6 meses foram de R$ 23,45 milhões. Com início em 27 de março de 2018, o objetivo do Mogno Fundo de Fundos é alcançar rendimentos e ganhos de capital na aquisição de Fundos de Investimento Imobiliários (FII) e também de outros ativos ligados ao mercado imobiliário.

O patrimônio líquido do MGFF11 ao final do mês resultou em R$ 639,09 milhões, enquanto o número de cotistas foi de 50.492. O valor da cota patrimonial terminou em R$ 76,58 e o número de cotas emitidas em 9.050.620.