O Fundo de Investimento Imobiliário RBR Properties (RBRP11), administrado pela BRL Trust, divulgou nesta terça-feira (23) o seu relatório gerencial do mês de janeiro de 2021, descrevendo seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu posicionamento estratégico de investimentos.

Segundo a gestora do RBR Properties, RBR Asset Management, a estratégia de investimentos do RBRP11 para 2021 está bem definida e tem como objetivo aumentar sua posição perante aos ativos que já possui. Além disso, reitera que pretende reciclar ativos que já estão “maduros”, tendo uma olhar mais voltado ao desenvolvimento.

A gestora observou que a movimentação na procura de áreas pelas empresas está maior do que se costuma ver neste período, principalmente na procura por melhores localizações e regiões “prime”.

Dentre os motivos que levaram a isso, destacou-se a possibilidade de que os trabalhadores de “home office” atingiram um certo nível de esgotamento. Além disso, o fato pode ter relação com o retorno das aulas que aconteceu recentemente.

Embora levantadas essas possibilidades, a gestora diz que não é possível encontrar de maneira tão clara os motivos que estariam por trás dessa maior procura das empresas por áreas.

Referente ao valor dos dividendos, foi levantada a hipótese de que eles atingiram uma certa estabilidade ao final do primeiro semestre de 2021, conforme ocorra uma maior alocação do caixa e também o término do prazo de carências. Além disso, soma-se como condicionante a redução do book tático.

Estratégia de investimentos do RBRP11

A estratégia principal de investimentos do RBP Properties é em tijolo sob aquisição direta ou por FIIs. Até setembro de 2020, o RBRP11 possuía 11 ativos adquiridos em torno dessa estratégia, com 10% de vacância em alguns deles.

A gestora destacou no relatório sua satisfação com a aquisição da River One no mês de dezembro, considerando-o o principal ativo AAA da RBP Properties. O pagamento da compra esta sendo realizado em duas parcelas, a primeira paga em dezembro de 2020, no valor de R$200 milhões e a segunda em maio de 2021, no valor de R$220 milhões.

As 4 principais áreas de diversificação do RBRP11 que o fundo buscará daqui pra frente são:

  1. Core (conforme estratégia principal): Tijolo diretamente ou FIIs;
  2. Tática: Arbitragens de FIIs listados;
  3. Liquidez: CRIs, LCIs, renda fixa;
  4. Desenvolvimento: Participação em construções que podem ser executadas abaixo do preço de negociação de mercado nesses ativos.

Portfólio e resultados do RBRP11

As principais alocações do RBRP11 foram investidos R$6,51 milhões no TRNT11, seguindo a estratégia “core” A, R$8,21 milhões no TEPP11 e R$12,11 milhões no XPML11, segundo a estratégia táctica. Com relação a caixa, foi alocado R$19,81 milhões no KNCR11 e R$2 milhões em renda fixa.

RBRP11 anuncia sua estratégia de investimento para 2021

O total de receitas obtidas em janeiro pelo RBP Properties chegou perto de R$4,34 milhões, 9,67% menor do que o alcançado em dezembro, com resultado de R$4,80 milhões.

Em contrapartida, o resultado de mais de R$4,14 milhões em janeiro foi 28,32% maior que o de dezembro, quando atingiu-se o montante de R$3,23 milhões.

Isso ocorreu por conta da queda nas despesas consideradas no cálculo do resultado, principalmente na taxa de administração e gestão, que havia sido de R$1,36 milhões em dezembro e foi de quase R$120,41 mil em janeiro.

O rendimento distribuído do RBRP11 foi de quase R$4,45 milhões no mês de janeiro, enquanto no mês de dezembro essa distribuição foi de R$4,70 milhões. O acumulado dos últimos 12 meses foi superior a R$50,64 milhões. O rendimento por cota em janeiro foi de R$0,52 por cota.

O número de cotistas do RBP Properties obteve  aumento de aproximadamente 8,92% do mês de dezembro de 2020 até o final de janeiro de 2021.

O valor da cota do RBRP11 fechou janeiro em R$97,70, uma alta de 2,84% em relação a dezembro, quando fechou no preço de R$95,00.