A Suno Asset, gestora do Suno Fundo de Fundos (SNFF11), informou nesta última terça-feira (15) o patamar de distribuição de rendimentos referente ao mês de maio. Além disso, a gestão explicou o racional dos dividendos deste primeiro mês de existência do fundo.  

Dessa forma, o SNFF11 programou para distribuir os rendimentos deste mês o valor de R$0,12. Porém, os resultados do fundo foram superiores a esse patamar. De acordo com gestor Vitor Duarte em entrevista ao Suno Notícias, no mês de maio, o fundo tinha um volume grande de recursos para começar seus investimentos, fazendo aportes “aos poucos” durante o mês. 

O que limitou a alocação total dos recursos do fundo foi uma questão de ordem regulatória. O SNFF11 ficou impedido de investir em fundos da mesma administradora, o BTG Pactual. Portanto, grande parte do capital destinado à movimentação do portfólio ficou em caixa, rendendo menos do que poderia. 

Na verdade, Duarte destacou que só após o dia 28 de maio que o SNFF11 ficou liberado para comprar cotas de outros fundos que são administrados pelo BTG Pactual. Consequentemente, o rendimento do último dia do mês, o dia 31 de maio, não foi considerado, sendo computado como rendimento de junho. Por isso, o resultado do fundo deveria ser R$0,28

O gestor não considerou o dividendo de R$0,12 um bom valor, afirmando: “Eu acho pouco. Mas a gente precisa ficar atento ao plano que foi traçado”. Para isso, ele citou o estudo de viabilidade do fundo que projetou para o primeiro mês um dividendo de R$0,08, mas depois de um ano listado na bolsa, a expectativa é alcançar níveis acima de R$0,60.

O que foi feito neste primeiro mês de fundo?

A equipe gestora informou que 60% do capital oriundo da primeira emissão de cotas foi investido pelo fundo. Porém, ainda há muito o que fazer. Duarte reforçou que o SNFF11 aproveitará as oportunidades de novas ofertas ao invés de se lançar no mercado secundário. O gestor do fundo tem confiança de que o SNFF11 terá um maior patamar de distribuição nos próximos meses.   

De todo capital alocado, o fundo investiu pouco mais de R$150 milhões em diferentes setores do mercado de FIIs, com destaque em fundos dos segmentos:

  • Industrial e Logístico
  • Shoppings 
  • Renda urbana

Basicamente, a gestão privilegiou ativos com valores descontados, além de adquirir cotas de fundos que ainda não estão listados na bolsa.

Por fim, Vitor Duarte reforçou na entrevista que a preocupação maior da gestão não está em focar no rendimento de um mês, mas em ser “um produto que vai preservar o capital do investidor, remunerar sua carteira juntamente com o crescimento da cota em valor patrimonial”.

Conheça o SNFF11 

O Suno Fundo de Fundos tem como objetivo investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e, complementarmente, em ativos ligados ao setor, podendo ser  em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs); letras hipotecárias (LH), letras de crédito imobiliário (LCI) e outros ativos de renda fixa. 

Basicamente, o SNFF11 tem como meta a alocação de 70% a 80% de seus recursos em ativos geradores de renda, com foco no recebimento de dividendos. Como complemento, o restante "é denominado como ganho de capital, sendo a rentabilidade do valor da cota o seu principal fator de desempenho".

O patrimônio líquido do fundo é de R$248 milhões, além de possuir cerca de 23.884 cotistas

Para quem deseja investir no SNFF11, o valor patrimonial por cota é de R$97,35, sendo sua taxa de administração de 0,78%a.a. sobre patrimônio líquido ou valor de mercado do fundo se o fundo fizer parte de índice de mercado (IFIX).