Bolsa de valores - 3 coisas que você precisa saber antes de investir

Poucas pessoas sabem, de fato, como funciona o mecanismo da bolsa de valores no Brasil.

Entretanto, é difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido falar na bolsa de valores, ou não conhece outrem que investe nesse mercado.

A bolsa de valores é um ambiente institucionalizado que promove o encontro de interesses entre empresas e investidores. Os investidores, que têm interesse em participar ativamente de uma determinada empresa, adquire ações desta e se torna acionista.

Como funciona a Bolsa de Valores

Bolsa de valores

O processo de compra e venda de ações é feito através das corretoras, que são devidamente cadastradas na CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

A CVM é um órgão governamental e tem poderes para disciplinar, normalizar e fiscalizar a atuação dos diversos integrantes do mercado.

Essas corretoras tornam as negociações acessíveis a qualquer indivíduo que tenha interesse em adquirir ações de empresas listadas.

Em resumo, a bolsa expõe um produto em sua “prateleira”, que são as ações, por exemplo, e os investidores escolhem em quais empresas querem aportar o seu capital.

Como forma de prêmio, os investidores recebem parte da rentabilidade das empresas ao qual possuem ações na forma de participação nos lucros, também conhecida como dividendos.

Bolsa de Valores

O segredo por trás da bolsa é fácil de ser entendido.

O motivo pelo qual as empresas abrem o seu capital é a captação de recursos para investir em novos projetos e expansão dos negócios.

Portanto, a empresa divide o seu patrimônio total em pequenas partes (ações) e lançam a oferta pública inicial – ou IPO – no mercado para os investidores comprarem.

Então o investidor passa a possuir uma representação fracionária da empresa, e se torna um acionista minoritário.

Agora que aprendemos o funcionamento básico da bolsa, vamos entender como investir em 3 passos simples.

Escolher uma instituição financeira

Primeiramente, você vai precisar escolher um banco ou corretora de valores para poder investir em ações.

Bancos, como a maioria das pessoas sabem, trabalham com foco principal em ganhar dinheiro com os juros relativos a empréstimos e financiamentos.

Geralmente, por tratar de instituições que cobram taxas elevadas, não são recomendados para os investidores que querem adquirir ações.

A segunda e melhor opção, então, são as corretoras.

Por não focarem em emprestar dinheiro para as pessoas, elas se concentram em prospectar clientes através de produtos de investimentos mais interessantes.

Ademais, as taxas cobradas pelos serviços são, normalmente, mais baratas que os bancos.

Além disso, já encontramos corretoras que não cobram taxas para investir em alguns interessantes produtos como ações e fundos imobiliários, por exemplo.

Portanto, prefira sempre abrir uma conta em uma corretora na hora de investir o seu suado dinheiro.

Enviar dinheiro para corretora

Bolsa de valores

O processo de envio de dinheiro para sua conta na corretora é bem simples. Através de um DOC ou TED você consegue enviar sem muito esforço.

Em minutos o dinheiro já estará disponível para você poder investir onde quiser.

Outra dica legal para economizar é utilizar bancos com conta digital.

Através deles, as taxas para transferências TED costumam ser gratuitas e ilimitadas.

Realizar a compra pelo Home Broker

O Home Broker é uma plataforma Online para facilitar a compra e venda de ativos financeiros, como exemplo: fundos imobiliários.

Essa plataforma, já utilizada a alguns anos, veio para facilitar a emissão de ordens de negociação, que eram feitas por telefone antigamente.

Então, Home Broker, ou HB, é um aplicativo onde o investidor acessa o mercado de compra e venda de ações, totalmente online.

Pronto! Assim que você fizer o login no site da corretora escolhida, já terá acesso ao Home Broker da corretora e, consequentemente, ao mundo da bolsa de valores.

Bons investimentos.

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Desenvolvedor de conteúdos

Formado em Engenharia de Produção pela FAACZ, com experiência de mais de 5 anos no mercado financeiro do Brasil. Investidor e desenvolvedor de conteúdos sobre o mercado imobiliário, economia e investimentos.

Comentários