FIIs de papel – Um investimento com rentabilidade, segurança e diversificação



Os fiis de papel são uma categoria dos fundos imobiliários conhecidos pela capacidade de gerar caixa de forma segura e diversificada.

Eles investem de forma predominante em títulos de dívida imobiliária e outros valores mobiliários. Dentre os títulos permitidos, os mais comuns nos fiis de papel são certificados de recebíveis imobiliários (CRIs).

Os Fundos Imobiliários de Recebíveis, comumente apelidados de Fundos Imobiliários de Papel ou Fiis de Papel propiciam ao investidor comum a possibilidade de aplicar seu dinheiro de forma diversificada em vários Certificados de Recebíveis Imobiliários, contando com a gestão e controle de administradores especialistas neste tipo de negociação.

A autorização para o investimento em títulos de dívida existe desde 2008, com a instrução CVM 472.

No entanto, a atratividade para o crescimento desse seguimento de fundos imobiliários veio em 2009, com a lei que isentou os fiis de imposto de renda para aplicações em títulos de dívida imobiliária.

Atualmente temos dezenas de fundos de papel em negociação na B3 e o fundo imobiliário com o maior patrimônio líquido é um fii de papel.

O que é fii de papel

fiis de papel

Um Fii de papel é essencialmente um ativo de crédito com lastro imobiliário.

Isso quer dizer na prática que o fundo “empresta” dinheiro em troca de um fluxo de caixa mensal, atrelado à inflação (ou CDI).

Logo, o fundo recebe mensalmente os valores acordados de forma fixa e constante.

Em caso negativo, o Gestor tem de buscar as “garantias” que, via de regra, são imóveis e/ou mesmo o aval dos sócios de quem tomou o crédito.

Vantagens de investir em fiis de papel

Existem algumas vantagens em ter fundos de papel em uma carteira de fundos imobiliários.

Uma delas é a diversificação do risco. CRIs estão expostos principalmente ao risco de crédito e não aos riscos comuns do mercado imobiliário (vacância, por exemplo).

Por não sofrerem de vacância, fundos de papel mantém o fluxo de caixa global de uma carteira alto.

O que é excelente, principalmente em tempos de crise.

Isso permite usufruir da renda ou reinvestir em oportunidades que costumam surgir nesses cenários.

Além disso, por pagar um cupom + um indexador (IGPM, IPCA ou taxa DI), eles dão uma proteção imediata do capital investido contra a inflação.

No geral, todas as vantagens de se investir em CRIs podem ser aproveitadas e todas as dificuldades podem ser diluídas ou “terceirizadas” ao investir em CRIs via Fundos Imobiliários de recebíveis.

Considerações

fiis de papel

Um fundo imobiliário de papel tem particularidades que precisam ser compreendidas.

Mas, sem dúvida, essa categoria tem seu lugar em uma carteira de fundos imobiliários.

Pois, da mesma forma que um fundo de tijolo democratiza o acesso a imóveis de primeira linha para um investidor comum, um fundo de papel faz com CRIs.

Por isso, para quem deseja investir com segurança, diversificação, liquidez diária e isenção de imposto de renda, os fiis de papel são uma excelente opção. Só é preciso ficar atento às taxas de administração praticadas pelas administradoras e gestoras. Bons investimentos!

Bruno Sperandio
Bruno Sperandio Autor

Engenheiro por formação, com mais de 7 anos de experiência no mercado de investimentos, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado imobiliário brasileiro.




Comentários