Investidor Qualificado – Saiba o que fazer para se tornar um



No mercado de investimentos existe o investidor iniciante, o investidor, o investidor qualificado e o investidor profissional.

Neste artigo, em especial, vamos falar das principais características de um investidor qualificado.

Segundo a Instrução CVM nº 554, é considerado um investidor qualificado a pessoa física e jurídica que possuem aplicações financeiras em valor igual ou superior a um milhão de reais, e que atestem esta condição por escrito. Além disso, é um investidor que, por conta de sua formação e experiência, possui habilidade ou condições adequadas para avaliar o risco de aplicações financeiras.

Por isso, são considerados também investidores qualificados:

  • Os investidores profissionais
  • Os agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários, ou as pessoas que tenham sido aprovadas para tal
  • Os clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por um ou mais cotistas que sejam investidores qualificados
  • Os investidores que possuem conhecimento sobre o mercado financeiro e de capitais suficiente para que não lhe sejam aplicáveis um conjunto de proteções legais e regulamentares conferidas aos investidores não qualificados

As certificações válidas são:

  • Certificado da Ancord (agentes autônomos)
  • Certificado CGA (gestores de recursos de terceiros)
  • Certificado CEA (assessores de investimento)
  • Certificado CFP (planejadores financeiros)
  • Certificados CNPI (analistas de investimentos)

Como se tornar um investidor qualificado

investidor qualificado

De fato, pessoas comuns que não desejam fazer exames de certificação, só poderão ser consideradas qualificadas caso tenham mais de R$ 1.000.000 em aplicações financeiras.

Entretanto, nem sempre o investidor mais rico será necessariamente o mais qualificado.

Por exemplo, podem existir investidores com pouco dinheiro mas muito conhecimento, e outro com muito dinheiro (mais de 1 milhão) mas pouco conhecimento.

Pela CVM, o segundo é qualificado enquanto o primeiro não é.

Mas não se desespere se ainda não possui 7 dígitos na conta. Ainda restam algumas alternativas.

Por exemplo, aquele investidor que detenha um patrimônio inferior a R$ 1 milhão, mas que possua uma boa aptidão técnica, poderá realizar as provas de certificação da CVM.

É verdade que será necessário um investimento mínimo para conseguir a certificação e depois, ainda precisará ser renovada.

Apesar disso, podemos dizer que esse é o caminho mais rápido para se enquadrar nos critérios da CVM.

Mas escolha sua certificação com cuidado. A prova que exige menos conhecimento técnico é a de Agente Autônomo, enquanto a de Gestor é a mais complexa.

Diferença entre um investidor qualificado e um investidor profissional

investidor qualificado

A principal diferença entre um investidor qualificado e um investidor profissional é que o primeiro precisa ter mais de R$ 1 milhão aplicado enquanto o segundo deve possuir mais de R$ 10 milhões investidos no mercado financeiro.

Essa categorização permite que a Comissão de Valores Mobiliários restrinja o acesso a certos investimentos que exigem maior capital e maior conhecimento.

É importante destacar que todos os investidores profissionais são também considerados investidores qualificados.

No entanto, também estão classificados como investidores profissionais:

  • Investidores não residentes
  • Instituições financeiras
  • Empresas de investimento
  • Dentre outros

Investidor qualificado – Considerações

Certamente, ser um investidor qualificado permite o acesso a modalidades mais exclusivas de investimento.

Entretanto, no mercado de investimentos existem excelentes opções, mesmo para os investidores não qualificados.

Mas, por fim, caso você queira se tornar um investidor qualificado, basta se dedicar nos estudos e conseguir as certificações aprovadas pela CVM ou buscar bons investimentos e alcançar o tão desejado primeiro milhão de reais.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários