Investidor Profissional – Como ser um | Conceitos | Definições

No mercado de investimentos existe o investidor iniciante, o investidor, o investidor qualificado e o investidor profissional.

Neste artigo, em especial, vamos falar das principais características de um investidor profissional.

É considerado um investidor profissional os investidores com investimentos em valor superior a 10 milhões de reais, investidores não residentes, instituições financeiras e empresas de investimento. Esse investidor tem acesso a produtos de investimento com maior complexidade. Devido às características desses investimentos, é comum que contem com gestão especial e até custos reduzidos se comparados a investimentos ofertados ao público em geral.

Quem pode ser um investidor profissional

investidor profissional

Como já foi dito, para ser considerado um investidor profissional é necessário ter em aplicações financeiras, valores superiores a R$10 milhões.

Isso mesmo, R$10 milhões de reais.

Além disso, assim como para os investidores qualificados, é preciso assinar um termo certificando-se como tal categoria de investidor.

Desde o dia 01/10/2015, a Instrução CVM 554 que entrou em vigor, trouxe alterações na qualificação do Investidor Profissional.

Portanto, são considerados também investidores profissionais:

  • Instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Bacen
  • Companhias seguradoras e sociedades de capitalização
  • Entidades abertas e fechadas de previdência complementar
  • Fundos de investimento
  • Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por administrador de carteira de valores mobiliários autorizado pela CVM
  • Agentes autônomos de investimento, em relação a seus recursos próprios
  • Administradores de carteira, em relação a seus recursos próprios
  • Analistas e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM, em relação a seus recursos próprios
  • Investidores não residentes

Portanto, essa é a classe mais alta de investidor e por consequência, tem acesso a quaisquer investimentos disponíveis no mercado financeiro.

Diferença entre um investidor qualificado e um investidor profissional

A principal diferença entre um investidor qualificado e um investidor profissional é que o primeiro precisa ter mais de R$ 1 milhão aplicado enquanto o segundo deve possuir mais de R$ 10 milhões investidos no mercado financeiro.

Essa categorização permite que a Comissão de Valores Mobiliários restrinja o acesso a certos investimentos que exigem maior capital e maior conhecimento.

É importante destacar que todos os investidores profissionais são também considerados investidores qualificados.

No entanto, também estão classificados como investidores profissionais:

Quem são os Investidores não residentes

investidor profissional

Investidores Não Residentes (INRs) são pessoas físicas ou jurídicas, inclusive fundos ou outras entidades de investimento coletivo com residência, sede ou domicílio no exterior e que investem no Brasil.

A Resolução do Conselho Monetário Nacional CMN nº 4.373/14 disciplina sobre as aplicações dos INRs no Brasil, nos mercados financeiro e de capitais do país.

Além disso, de acordo com a lei, esses investidores também estão sujeitos a registro prévio na CVM.

Nesse sentido, a Instrução CVM 560 é a norma que atualmente trata sobre o registro destes investidores na Autarquia.

Investidor profissional – Considerações

Como podemos perceber, para uma pessoa física, não é tão simples ser um investidor profissional. Entretanto, basta começar a investir para que isso seja alcançável.

No geral, se você quer saber mais sobre os assuntos que evolvem o mercado de investimentos, acesse nossos artigos e desenvolva seu conhecimento.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários