Investimento a curto prazo – Confira 3 opções para sua carteira

Os investimentos de curto prazo são importantes para emergências ou objetivos que não demandam muito tempo.

É bem comum entre os especialistas do mercado financeiro que a composição de uma carteira deve ser variada e também contemple um planejamento com investimentos a curto prazo.

Atualmente, existem diversos investimentos em vários segmentos. Uns com uma rentabilidade mais baixa, enquanto outros se destacam por ter um índice maior. Como estamos falando de investimento a curto prazo, é interessante lembrar que a sua escolha deve ser bem analisada devido as variadas condições que cada aplicação oferece.

Pensando nisso, vamos mostrar 3 opções de investimentos para quem deseja realizar uma aplicação pensando no curto prazo. São eles:

Tesouro Direto (Selic)

investimento curto prazo

O Tesouro Selic (LFT) é um título público, título de dívida emitido pelo governo federal.

É o investimento de menor risco da economia brasileira.

Primeiro porque, como todos os títulos públicos, tem garantia do governo federal, o que faz com que seu risco de calote seja o menor do país.

Segundo porque sua remuneração é atrelada à taxa Selic, o que faz com que seja mínimo o risco de o investidor perder dinheiro se vender o título antes do vencimento.

Por isso, nesse caso, o rendimento muito provavelmente será positivo.

É interessante destacar também que a principal vantagem do Tesouro Selic é a sua baixa aplicação inicial necessária.

Com menos de R$100 o investidor já pode investir neste título.

Fundo DI

A segunda opção recomendada como melhor investimento de curto prazo é um fundo DI.

Os fundos DI aplicam quase a totalidade dos seus recursos em operações indexadas ao CDI. O CDI é um índice que, na prática, acompanha a taxa Selic.

Eles também podem aplicar tanto em títulos privados quanto em títulos públicos, e cobram uma taxa de administração.

Busque investir em um fundo DI que cobre uma taxa de no máximo 0,5%.

Caso contrário, o seu rendimento pode ser comprometido ou o fundo terá de aplicar em investimentos mais arriscados para obter uma boa rentabilidade.

Além disso, o investidor deve buscar fundos que entreguem em média o resultado bruto de 100% do CDI.

Assim, no momento do resgate, a sua aplicação terá um rendimento líquido razoável.

Outra grande vantagem do fundo DI é que o resgate costuma entrar na conta no mesmo dia.

Por outro lado, a principal desvantagem é que alguns fundos possuem uma aplicação mínima inicial muito alta.

Mas, ainda assim é uma ótima opção de investimento a curto prazo.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

investimento curto prazo

Os CDBs também são uma boa escolha para quem quer fazer investimentos seguros.

Esses títulos rendem bem mais do que a poupança, por exemplo, e são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) nos casos em que as aplicações são de até 250 mil reais.

Aconselha-se que o investidor dê preferência a títulos de bancos que paguem mais de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Como os grandes bancos só começam a pagar mais de 100% para rendimentos com carência de pelo menos 3 anos, quem quer retornos no curto prazo deve optar pelos bancos médios.

Por isso, para a carteira de curto prazo, procure CDBs com liquidez diária ou carência mais curta.

Conclusão

Esses são apenas alguns dos diversos investimentos disponíveis para aplicações.

Contudo, entendemos que investimentos mais sólidos e que geram maiores retornos são aqueles que requerem maior tempo.

Mas, se o objetivo é juntar uma grana em pouco tempo, nada melhor do que um investimento a curto prazo. Bons investimentos.

Marcos Baroni
Marcos Baroni Especialista em FIIs (Suno Research)

Marcos Baroni é especialista em Fundos Imobiliários. Professor há 20 anos em cursos de Graduação e MBA nas áreas de Gestão de Projetos e Processos.

Comentários