O mercado imobiliário no Rio de Janeiro – Expectativas para 2019



Na contramão do crescimento econômico nacional, o mercado imobiliário no Rio de Janeiro ainda enfrenta algumas dificuldades.

No entanto, este ano de 2018, o segmento ficou mais otimista. As taxas de juros baixaram e, com isso, o mercado aqueceu, entretanto, o mercado imobiliário do Rio de Janeiro nem tanto.

Depois da melhora na economia nacional, o mercado imobiliário do Rio de Janeiro ainda está tímido, refletindo, principalmente, na queda do valor dos imóveis. Esse comportamento pode parecer bastante interessante para quem pretende investir a longo prazo, mas exige cautela.

No ano de 2017, o preço médio dos imóveis no RJ acumulou uma queda de 3,8%. Para o aluguel a tendência de queda foi a mesma, registrando uma queda de cerca de 8%.

Desenvolvimento do mercado imobiliário do RJ em 2018

mercado imobiliário rio de janeiro

Até agosto deste ano, no mercado imobiliário do RJ, foram relatados os seguintes números a respeito de venda, aluguel e rentabilidade:

  1. Venda

O preço dos apartamentos no Rio caiu 0.1% no mês, ficando R$ 5.933/m2. A queda no preço desacelerou pelo terceiro mês. A queda real, levando em conta a inflação, é superior a 7% anual. Na zona Sul o preço médio é de R$ 13.428/m2, caindo 3.5% nos últimos doze meses.

  1. Aluguel

O aluguel de um apartamento de 65 m2 registrou uma média de R$ 1.500/mês, acumulando uma queda de 3.5% no ano e 8% nos últimos doze meses. A queda foi generalizada: 80% dos bairros analisados registrarem queda no preço no ano.

  1. Rentabilidade

A rentabilidade se manteve estável, em níveis de 4% anual. São necessários 25 anos de aluguel para recuperar o gasto com a compra.

Expectativas do mercado imobiliário do Rio de Janeiro para 2019

mercado imobiliário rio de janeiro

Em um cenário de queda dos preços é tentador para quem pensa em comprar.

Porém, para quem está do outro lado, a situação está mais complicada. A demanda está bastante fraca e é o que explica a queda nos preços.

No auge do “boom” imobiliário, em meados de 2011, o RJ viu um aumento de mais de 40% em 12 meses.

Já em 2017, a queda foi de 4,45% nos imóveis residenciais, a maior queda do país.

Por outro lado, o setor imobiliário nacional prevê aumento na demanda graças ao cenário macroeconômico e o incentivo de crédito.

No Rio de Janeiro, este ano está sendo de preços mais baixos e pouca demanda. Na melhor previsão, o mercado se manterá estável.

Contudo, desde 2013, as vendas têm caído em até 60% e no ano passado, a queda foi de cerca de 30%.

Mas, um novo ciclo está começando com a reaquecimento da economia brasileira.

Em São Paulo, a melhora já tem sido vista desde 2017. Mas no Rio, a expectativa do setor é de que esse movimento aconteça apenas em 2019.

Para tentar melhorar esse panorama e reduzir a alta oferta, as incorporadoras estão adotando estratégias de vendas mais ousadas.

Com isso, a visão de longo prazo para o mercado imobiliário do Rio de Janeiro pode ser um bom caminho para pensar em investir em um imóvel.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.




Comentários