Para quem investe – ou pensa em começar a investir – em fundos imobiliários, é bem provável que já tenha ouvido falar no termo ‘lajes corporativas’.

Mas afinal, em que se caracteriza uma laje corporativa, e qual a diferença desse tipo de espaço para uma laje comercial?

Laje corporativa – Entenda melhor

As lajes corporativas – também chamadas de corporates – são espaços amplos e que são normalmente locados para empresas de grande porte, ou até mesmo órgãos e repartições públicas, que demandem uma grande infraestrutura para exercer as suas atividades operacionais.

A imagem acima retrata o espaço de uma laje da Torre Jatobá, do Complexo Castello Branco Office Park, imóvel presente dentro do fundo imobiliário CBOP11, e exemplifica bem o modelo de uma laje corporativa.

Geralmente, a qualidade desse tipo de imóvel é atestada por consultorias especializadas, sendo que tais avaliações seguem determinados padrões de mercado e também a demanda do imóvel, culminando em avaliações que podem variar de "C", no seu nível inferior, até para o "AAA", o famoso Triple A.

Assim sendo, quanto maior a classificação de uma laje corporativa, em tese melhor é a infraestrutura oferecida pelo edifício e, consequentemente, maior deveria ser o valor do m².

Segue abaixo uma lista de alguns dos itens mais relevantes verificados na hora de se classificar um imóvel dessa natureza:

  • Localização;
  • Área útil;
  • Número de vagas de garagem;
  • Altura do pé direito;
  • Gerenciamento predial (catracas, elevadores, monitoramento por câmeras, etc);

Esses pontos normalmente determinam o "rating" ao qual o empreendimento irá se enquadrar, sendo que quanto maior a pontuação, mais alto tende a ser o valor do aluguel do imóvel.

Dito isso, cabe aqui destacar que boa parte dos fundos imobiliários negociados em bolsa investe o seu capital na aquisição de lajes corporativas de alto padrão.

O investidor dos fundos imobiliários que possuem em seus portfólios esse tipo de imóvel, portanto, poderá lucrar com os rendimentos mensais provenientes dos alugueis desses espaços.

Além disso, uma segunda forma de obter rentabilidade com esses ativos se faz presente na potencial valorização comercial dos mesmos, onde o mercado poderá precificar para cima o valor dos imóveis, fazendo com que o valor das cotas acompanhe essa movimentação.

Cabe aqui adicionar, também, que as lajes corporativas se diferenciam das lajes comerciais, haja vista que essas, por sua vez, são empreendimentos imobiliários que ofertam ao mercado pequenos espaços voltados, normalmente, para pequenas empresas e/ou profissionais autônomos, como dentistas, médicos, advogados, por exemplo.

Assim, portanto, os espaços das lajes comerciais costumam ser divididos em dezenas de salas em um mesmo andar, sendo que, na média, o que mais se vê são espaços divididos em salas comercias entre 20 m² e 60 m².

Por fim, é interessante destacar que, tanto nas lajes corporativas quanto nas comerciais, normalmente os reparos estruturais são de responsabilidade do condomínio, ou do proprietário do edifício, ao passo que e as reformas de adaptação, são de total responsabilidade do locatário.

Ainda essa semana iremos lançar a nova versão do "Filtro Fiis.com.br", funcionalidade que tínhamos no antigo site e que iremos disponibilizar também gratuitamente na versão atualizada.

Através dele será possível filtrar os fundos imobiliários através das mais variadas especificidades.

Nos acompanhe nas redes sociais para não ficar de fora do lançamento.

Conte conosco!

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários