Renda Fixa versus Variável: Onde investir seu dinheiro

Renda fixa é um termo utilizado para designar investimentos que possuem regras de rentabilidade definidas no ato da adesão ao produto.

Investidores com perfil mais conservador, preferem alocar seus recursos na renda fixa por preferirem o baixo risco e maior previsibilidade nos seus investimentos.

Portanto, a renda fixa se faz útil para investidores que queiram correr pouco ou nenhum risco, visto que a rentabilidade é acordada no momento da contratação do serviço. Contudo, essa rentabilidade, por possuir risco muito baixo, é menor que a proposta em investimentos de renda variável.

Mas será que esse tipo de investimento é, realmente, tão seguro assim? Qual a rentabilidade real que alguns investimentos de renda fixa entregam?

Continue lendo este artigo e saiba como avaliar se um investimento de renda fixa realmente é tão bom quanto parece.

Quais são os riscos de investir em renda fixa?

renda fixa

O risco que os investidores correm quando aportam seu capital em investimentos de renda fixa é quando a instituição financeira quebra.

Quando o banco, ou instituição financeira declara falência, o proprietário do investimento deve recorrer ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Investimento como Poupança ou CDB (Certificados de Depósito Bancário) são exemplos de investimentos em renda fixa que estão expostos ao risco.

Apesar do FGC proteger, ele garante apenas R$ 250 mil por CPF, por instituição. Ou seja, se o valor for superior a essa quantia, caso o banco quebre, o investidor irá perder a quantia excedente.

São exemplos de investimentos de Renda Fixa:

  • Poupança
  • Certificado de depósito Bancário (CDB)
  • Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)
  • Debêntures
  • Letra de Câmbio (LC)
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Etc

Outro fator importante que os investidores não se atentam ao investir é a liquidez. Entre os produtos disponíveis, há aqueles que possuem período de carência.

Portanto, você será obrigado a carregar aquele investimento até a data de vencimento, sendo sujeito a multa rescisória caso não cumpra o acordo.

Renda fixa x Renda Variável

renda fixa

Na renda variável, o investidor não possui garantias prévias de rentabilidade no período. Fazem parte desses investimentos as ações, por exemplo.

Como o próprio termo indica, a rentabilidade varia ao longo do tempo, podendo até mesmo ir para o campo negativo.

Com isso, o investimento poderia perder valor, no pior caso. É o que acontece com as cotas de Fundos imobiliários, que pode se desvalorizar, impulsionadas por fatores econômicos e fatos relevantes.

Contudo, justamente por trazer embutido mais risco que a renda fixa, a renda variável tem potencial de valorização muito maior.

Segue abaixo algumas vantagens e desvantagens da renda variável em relação à fixa.

Vantagens:

  1. Maior potencial de valorização
  2. Rentabilização através da participação no lucro das empresas (Dividendos)
  3. Alta liquidez, podendo ser resgatada a qualquer momento*

* Desde que haja comprador para o ativo

Desvantagens:

  1. Pode desvalorizar ao longo do tempo (rentabilidade negativa)
  2. Não possui isenção de IR para a valorização do ativo
  3. Imprevisibilidade

Considerações

O investidor em renda fixa pode optar por diversificar seus investimentos, aplicando também na renda variável, e com isso usufruir dos benefícios dos dois mundos.

Rafael Campagnaro
Rafael Campagnaro Head de Conteúdo

Engenheiro por formação, trabalha com produção de conteúdo informativo e educacional para o mercado financeiro no FIIs.com.br desde que iniciou no universo das finanças.

Comentários