Em relatório gerencial apresentado aos cotistas nesta quinta-feira (22), a gestão do AF Invest FII Recebíveis Imobiliários (AFCR11) comunicou aos cotistas os resultados do fundo no mês de março. Também, a AF Gestão de Investimentos explicou o racional de suas operações no mercado de CRIs.  

Em março, enquanto o IBOV registrou alta de 6%, retornando à faixa de 116.000 pontos, o IFIX, índice que mede o retorno dos principais fundos imobiliários, fechou o mês em queda de 1,38%, acumulando queda de 0,81% no ano de 2021. 

A AF Gestão de Investimentos reforçou que esse desempenho negativo é “reflexo principalmente dos fundos imobiliários focados em lajes corporativas”. 

Porém, na contramão da queda do IFIX a cota do AFCR11 acumula alta de 6,32% no primeiro trimestre de 2021. 

Em relação à macroeconomia, houve correção de projeção para o IPCA, por sua vez, aponta para 4,85% em 2021, ante 4,60% em fevereiro. Além disso, a gestão do AFCR11 afirma que, para o fim do ano de 2021, é esperada uma taxa de 5,25% da taxa básica de juros (Selic).

Como o fundo possui muitos ativos indexados ao IPCA, a expectativa da gestão é positiva.

Resultados e movimentação da carteira 

Em março, o fundo concluiu o processo de alocação dos recursos captados na 2ª emissão. Desta forma, o AFCR investiu em dois ativos, observe abaixo:

  • R$ 8,9 milhões no CRI Shopping Alegria (“prêmio”: IPCA + 12,68% a.a.) 
  • R$ 16,2 milhões no CRI Life.Co (“prêmio”: IPCA + 14% a.a.) 

Diante disso, o AFCR11 distribuiu R$ 1,07 por cota. De acordo com a AF Gestão de Investimentos, este resultado “corresponde a 540% do CDI mensal, ou 635% do CDI após o efeito tributário (gross-up)”. 

Observe os resultados detalhados na tabela abaixo:

AFCR11

O portfólio do fundo e o racional de suas operações

Em primeiro lugar, a AF Gestão de Investimentos afirmou que mesmo com a crise decorrente da pandemia, “todas as operações investidas mantiveram desempenho e indicadores de garantia robustos, sem risco de inadimplência”

Portanto, o AFCR11 vem buscando as melhores oportunidades de crédito imobiliário com boa “proteção para eliminação ou mitigação dos riscos identificados”, pontuou a gestora. 

Desta forma, a equipe gestora destacou os principais critérios para análise e posterior alocação dos ativos:

  • Saúde financeira do projeto que envolve o CRI
  • Financiamento integral (no caso de financiamento de obras)
  • Expertise/histórico do incorporador 
  • Liquidez do imóvel 
  • Análise do perfil comercial do empreendimento
  • Histórico de de vendas

Desde a última emissão de cotas, a equipe de gestão do AFCR11 analisou 112 operações totalizando aproximadamente R$ 3,38 bilhões. Diante de análise criteriosa, o fundo descartou “89 CRIs analisados, enquanto 16 estão em fase de análise/estruturação”.

Conheça o AFCR11

O AF Invest FII Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário de papel com o objetivo de adquirir ativos financeiros de natureza imobiliária, com foco na aquisição de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Atualmente, o AFCR11 possui todos ativos indexados ao IPCA, observe:

AFCR11

 Desta forma, o fundo possui patrimônio líquido de R$122 milhões e tem cerca de 1.187.269  cotas emitidas. 

  Para quem deseja investir no AFCR11, o valor atual da sua cota é de R$115,50 (atualizado dia 22/04), sendo sua taxa de administração de 1% ao ano.