A Riza Asset Management, gestora do Riza Arctium Real Estate (ARCT11), comunicou em relatório gerencial nesta segunda-feira (22), uma avaliação do ano de 2020. Além disso, a gestão do fundo apresentou os resultados do primeiro trimestre de 2021 e relatou seus planos.

Na avaliação da gestora, o último mês de 2020 fechou com bom fluxo de investimentos estrangeiros no mercado brasileiro. Isso resultou em alta no ibovespa (9,3%) e as ações de commodities e bancos tiveram desempenho acima do próprio índice.

O cenário político se resumiu nas disputas da liderança do Congresso Nacional e o debate sobre o orçamento também assumiu discussões acaloradas no ambiente legislativo, principalmente em relação ao aumento de gastos referentes ao combate à pandemia e a continuidade ao auxílio emergencial.

Na avaliação da Riza Asset, até então o Banco Central não prestou a devida atenção na inflação com forte tendência de alta. Porém, o relatório não citou, mas em março (17) o copom aumentou em 0,75% a taxa básica de juros (Selic)

Em relação ao IFIX, o ano de 2020 significou uma queda de -10,2%. Na interpretação da gestora, “a rentabilidade acumulada negativa do índice foi resultado dos impactos negativos do covid-19 no mercado imobiliário ao longo do ano”. Observe no gráfico abaixo:

arct11

O ano de 2020 para o fundo

A gestora também reforçou as mudanças pelas quais o ARCT11 passou em 2020, com mudança de nome - anteriormente, era o FII Yaguara Capital High Yield - e transferência de gestão. 

Já no início de 2020 - fevereiro e março - a realização da 2ª emissão de cotas trouxe maior caixa ao fundo. Na verdade, a mudança na equipe gestora possibilitou ao fundo excelentes resultados no segundo trimestre de 2020, mesmo com a crise gerada pela pandemia do coronavírus. 

Prova disso, o fundo chegou a “distribuir R$10,14 por cota por mês, indo na direção oposta da grande maioria dos fundos da mesma categoria, que suspenderam suas distribuições do período”, afirmou Riza Asset.

Observe na tabela abaixo os rendimentos e resultados do fundo em 2020:

Em novembro, houve uma 3ª oferta pública que gerou aos cofres do fundo o equivalente a R$20 milhões. Como consequência, o fundo adquiriu novo imóvel por R$15,5 milhões, já com locatário definido.  

Em relação aos resultados do ano, o ARCT11 cumpriu a legislação e distribuiu 95% dos lucros aos cotistas. Os motivos abaixo foram determinantes para isso:

  • O acordo com os locatários Ober e Tecparts de pagarem, além das parcelas, um acréscimo de 25%, conforme dado no 1° semestre;
  • Renovação dos valores de aluguel pela remuneração do IGP-M; e 
  • Início da vigência do contrato de locação com a Poli-Gyn de R$125.937 por mês;

O Riza Arctium Real Estate em 2021

O portfólio do fundo fechou o ano composto por 3 ativos com os seguintes locatários: Ober, Tecparts e Poli-Gyn. 

Todos os três imóveis foram adquiridos dentro da tese “Sale & Leaseback” e geram mensalmente um total de R$ 479.027 ao caixa do ARCT11. 

Por fim, o ARCT11 terminou o ano com um caixa de R$13.321 milhões, sendo que destes, “R$7.400.000 se referiam ainda à segunda parcela da compra do imóvel em Goiânia que deve ser liquidada nas próximas semanas”, informou Riza Asset.

A equipe gestora do fundo segue planejando uma nova emissão de cotas para o fim deste trimestre. Em tempo oportuno isso será comunicado aos cotistas. 

Conheça o ARCT11

O Riza Arctium Real Estate é um fundo híbrido que tem como foco a compra de comprar imóveis e alugá-los para o antigo proprietário por um período mínimo de 5 anos.

O fundo possui cerca de 430.100 cotas emitidas e um patrimônio líquido de R$44 milhões.   

Para quem deseja investir no ARCT11, o preço atual da sua cota é de R$117,79 (atualização 22/03), sendo sua taxa de administração de 1,0%a.a. sobre o patrimônio liquido (mínimo R$ 20.000,00 mensais corrigido pelo IPCA).