A gestão do ARCT11 publicou fato relevante para comunicar aos cotistas e ao mercado em geral que concluiu a aquisição do imóvel em Mirassol-SP.

Conforme informado anteriormente, o ARCT11 teria iniciado as tratativas para compra do imóvel de 1.338,40m².

Nesse contexto, a conclusão do negócio estaria dependendo da superação de “condições resolutivas”, nas palavras da gestão, inicialmente não divulgadas.

Assim, de acordo com a informação, as partes já superaram as tais condições resolutivas, e o fundo efetuou o pagamento do valor remanescente de R$ 10 milhões.

Nesse sentido, a conclusão do negócio se deu em 16 de março de 2021.

Por fim, com o pagamento, o ARCT11 torna-se o único titular da propriedade e dos direitos sobre o imóvel.

Dessa forma, fará jus à receita de aluguel no valor de R$ 112.500,00 por mês.

O recebimento de aluguéis, por sua vez, representa um aumento nos rendimentos de aproximadamente R$ 0,26 por cota ao mês.

O ARCT11 e a pandemia

O ARCT11 é um fundo administrado pelo BTG Pactual e gerido pela Riza Gestora.

Além disso, é um fundo do tipo tijolo com foco em galpões.

Os fundos desse tipo investem na construção para locação de galpões, setor que não sofreu tanto com a eclosão da Covid-19 em 2020.

Isso porque, diferentemente dos shoppings centers, por exemplo, os galpões mantiveram suas atividades quase que normalmente durante a pandemia.

Além disso, outros setores como o e-commerce, que se utilizam desse tipo de imóvel para suas atividades, tiveram crescimento exponencial.

Em razão da pandemia e das restrições de circulações de pessoas, as vendas pela internet se multiplicaram, e assim o foi com a demanda para espaços para distribuição de mercadorias.

Dessa forma, imóveis estrategicamente localizados para armazenamento e distribuição de produtos têm sido mais valorizados.

A gestão ativa é, portanto, o grande diferencial para garantir que os ativos do fundo tenham sempre bons contratos e gerem rendimentos constantes e crescentes.

Nesse sentido é que o ARCT11 vendeu imóvel em Nova Odessa-SP por R$ 12,5 milhões, o que também impactou positivamente os rendimentos dos cotistas.

Assim, tem-se que o ARCT11 continua investindo na alocação de recursos pela venda e aquisição de imóveis para aumentar rendimentos, a despeito da pandemia da Covid-19.