O Fundo de Investimento Imobiliário Riza Arctium Real Estate (ARCT11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, divulgou nesta sexta-feira (23) o seu relatório gerencial do mês de junho, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

No investimento imobiliário do Riza Arctium Real Estate (ARCT11) tem como foco principal as assimetrias na relação entre os fatores de risco, retorno e liquidez. Nesse sentido, o fundo analisamos a “qualidade creditícia do inquilino e a potencial valorização do imóvel, em operações de Sale & Lease Back, Built-to-Suit, Buy to Lease ou ainda Desmobilização Pura”.

O ARCT11 destacou que se viu um trimestre marcado por “revisões favoráveis de crescimento do PIB e surpresas positivas do lado da arrecadação”. Segundo o fundo, muitos economistas fazem a projeção de um “crescimento do PIB de +5,5% a.a. para este ano e pelo relatório Focus a projeção subiu de 3,2% a.a. no fim de março para atuais 5,2% a.a”.

No mês de junho, o fundo lembra que foi a primeira vez que a bolsa fez o registro de mais de 1,4 mil investidores com custódia em fundos imobiliários. Esse número representou um crescimento de quase 20%, na comparação do fechamento de 2020.

Portfólio do Riza Arctium Real Estate

Na timeline do ARCT11, se viu os seguintes 4 acontecimentos no mês de junho:

  1. 04 de junho - Contratação XP Investimentos como formador de mercado;
  2. 17 de junho - Compra de um imóvel em Corumbataí/SP, por um montante de  R$ 15 milhões. Esse imóvel foi alugado com opção de recompra ao grupo Montecarlo por 120 meses;
  3. 18 de junho - Aquisição do imóvel que se localiza em Caucaia/CE, no montante de R$ 16,5 mil. Este ativo foi alugado com opção de recompra ao grupo Comfrio por 120 meses;
  4. 28 de junho - Compra de dois imóveis que se localizam em São Paulo/SP e Campo Grande/MS por R$ 19 milhões. Os imóveis foram alugados com opção de recompra ao grupo Andorinha por 120 meses.

O portfólio do ARCT11 terminou o primeiro semestre de 2021 com três ativos novos além do locado à Poli-Gyn e o de Mirassol/SP locado à Rede Montecarlo. Do mesmo modo, dois dos novos ativos foram incorporados ao fundo na tese Sale & Leaseback. Outro ativo, por sua vez, começa a tese de Built to Suit do fundo.

Com isso, a tese de investimento do ARCT11 tem a divisão de alocação da seguinte forma:

  • Sale & Leaseback - 51%;
  • Caixa - 40%;
  • A liquidar - 33%;
  • Desembolsado - 27%;
  • Built to Suit - 9%.

Acompanhe um resumo das propriedades do fundo através de uma tabela:

ARCT11 anuncia resultado do mês de junho em relatório gerencial

Resultados e rendimentos do ARCT11

Ao final de junho de 2021, o ARCT11 atingiu um valor patrimonial da cota de R$ 103,27. Enquanto isso, o valor de mercado da cota é de R$ 99,73. No primeiro semestre de 2021, a receita total do Riza Arctium Real Estate alcançou os R$ 7,2 milhões e a despesa de cerca de R$ 922 mil.

Assim, o resultado do fundo no período totalizou R$ 7 milhões, mas o rendimento que o fundo distribuiu por cota foi de R$ 12,37, que corresponde a 100% do rendimento total. Desde o início do fundo, se distribuiu R$ 20,61 por cota.

O ARCT11 possui cerca de 1,6 milhão de cotas emitidas e o dividend yield anualizado em 2021 foi de 18,98%. Além disso, o fundo também possui 21 mil metros quadrados de Área Bruta Locável. Com 6 ativos, o fundo possui 60% do seu patrimônio líquido alocado. O último dividendo distribuído pelo Riza Arctium Real Estate foi de R$ 0,90 por cota e se alcançou 5.951 investidores.