A gestão do FII BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado quinta-feira (29), os resultados do fundo no mês de março. Desta forma, a gestora BTG Pactual Gestora de Recursos apresentou sua análise da conjuntura econômica e do mercado imobiliário brasileiro. 

No mês de março, o BCFF11 distribuiu R$ 0,56 por cota. De acordo com o BTG Pactual,  o fundo manteve “em linha com os dividendos pagos no mês anterior”.  Veja na tabela abaixo:

BCFF11

Em linhas gerais, esse valor “representa um dividend yield de 7.7% ao ano, com base na cota de fechamento do mês, ou ainda o equivalente a 340% do CDI para o período”, pontuou a gestão. 

Análise do atual contexto econômico

“A queda no número de infectados até a primeira quinzena de março e o ritmo forte de vacinação possibilitou uma flexibilização das medidas de distanciamento, elevando consideravelmente os índices de mobilidade”, destacou a equipe gestora 

Desta forma, há perspectivas de retomada da economia no cenário externo, o que ajuda a compreender os movimentos de alta no mercado nacional, em especial no setor imobiliário. 

Por aqui, o mês de março foi marcado pelo início do ciclo de alta de juros com o aumento da taxa Selic. De certa forma, a decisão do Copom foi bem recepcionada pelo mercado, pois a expectativa de inflação havia subido significativamente, sugerindo um risco elevado de “rompimento do teto de gastos”. 

Mesmo com o cenário pandêmico não ter melhorado, a gestora do BCFF11 afirmou que “as últimas projeções do PIB para 2021 já projetam a forte recuperação no segundo semestre, fechando o ano com alta de 3.6%”. 

Na visão do BTG Pactual, a equipe gestora segue cautelosa, mas “otimistas com o processo de imunização e de recuperação econômica do mercado interno, e com um ambiente de taxas de juros ainda baixas e de crescente liquidez no volume negociado de FIIs”.  

Sobre o mercado imobiliário

A equipe gestora do BCFF11 identificou que o deságio no mercado contrasta entre os diferentes segmentos de FIIs. 

Em destaque, a performance positiva dos FIIs de CRI, que representam 27% do mercado e encerraram março sendo negociados na média com ágio de 3%.

Por outro lado, os fundos de shopping e de lajes corporativas, que correspondem a 16.2% e 15.9% do mercado de FIIs respectivamente, “seguem performando abaixo do índice de referência, contribuindo para o resultado de -0.8% do IFIX até o momento, em 2021”, informou o BTG Pactual. 

Porém, na perspectiva do BTG Pactual, “não existem entregas relevantes de lajes corporativas AAA ou de shoppings em São Paulo e no Rio de Janeiro para os próximos anos”. 

A consequência disso é um aumento nos custos de construção, o que indica que “haverá espaço para retomada dos preços de locação”. 

Para finalizar sua análise, a equipe responsável pela gestão do BCFF11 entende que a evolução da vacinação contra a COVID-19 é o aspecto “mais importante no momento para a retomada da economia, o que deve potencializar a redução da volatilidade do FIIs e a sua valorização, em especial nos fundos de Shopping e de lajes corporativas, que correspondem a 37% da carteira do BCFF11”.

Confira abaixo os TOP 20 da carteira do fundo:

BCFF11

Conheça o BCFF11

O FII BTG Pactual Fundo de Fundos Imobiliários tem como objetivo principal a aquisição de cotas de outros FIIs, bem como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e outros títulos de renda fixa.

O fundo em questão possui patrimônio líquido de R$ 1,740 bilhões e tem aproximadamente 20.562.973 de cotas emitidas. 

Para quem deseja investir no BCFF11, o valor patrimonial da sua cota é de R$83,20. Sua taxa de administração é de 0,15% a.a. sobre sobre o valor total de ativos.