O FII BM Brascan Lajes Corporativas (BMLC11) negou a proposta de compra dos seus dois ativos. A empresa 7 Bridges Brasil ofereceu R$ 98 milhões pelo edifício Brascan Century Corporate, em São Paulo, e do Torre Rio Sul, no Rio de Janeiro, que pertencem ao fundo. A gestora ainda pretende vender os ativos do BMLC11

O fundo comunicou, em fato relevante, que a oferta não atendou as expectativas dos gestores. “O preço ofertado não reflete o valor justo dos imóveis integrantes, conforme referência de preço justo estimado em laudo de avaliação para atualização do valor dos ativos”, explica o fato relevante.

No entanto, o patrimônio líquido do fundo é maior que o valor proposto pela empresa. Os ativos do BMLC11 valem 109,09 milhões. Por isso, a venda dos ativos diante da proposta da 7 Bridges Brasil está abaixo do valor patrimonial do FII. 

Por outro lado, o fundo avisou que segue ouvindo outra proposta de compra dos ativos do fundo, recebida do "Grupo Náutica". A possível compra se refere ao 15º andar do Edifício Brascan Century Corporate, totalizando 726,58 m² de área privativa locável. O grupo ofereceu R$ 8.120.000,00 por parte do imóvel.  

Diante disso, o Comitê de Investimentos do fundo destacou no comunicado que tem interesse em buscar novas propostas para a venda dos imóveis do fundo, porém, em preços mais vantajosos para os cotistas.

Cotista do BMLC11 pediu a troca de gestora

Com uma quantidade pequena de cotistas - pouco mais de 1.400 - e baixa liquidez no mercado secundário, um cotista relevante do fundo pediu a mudança de gestora. A alegação foi justamente modernizar a estrutura do FII. 

Deste modo, foi convocada uma assembleia-geral para decidir sobre a troca da gestora, com a destituição da Argucia Capital para a entrada da Suno Asset.  

No canal do YouTube do Tiago Reis, o socio e fundador do Grupo Suno, Vitor Reis - CIO da Suno asset, explicou que a Suno retirou sua proposta de gerir o BLMC11. Mesmo sem concluir o processo de mudança da direção do fundo, Duarte acredita que contribuiu com os cotistas do BMLC11.

Na visão do CIO, após a possibilidade de troca de gestora, o fundo teve propostas de compra de seus ativos, bem como a valorização de suas cotas na bolsa de valores.

O BM Brascan Lajes Corporativas é um FII que investe em empreendimentos imobiliários por meio da aquisição e exploração de imóveis comerciais, prontos ou em construção, terrenos, vagas de garagens ou outros tipos de imóveis onde poderão ser desenvolvidos empreendimentos comerciais.