O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(01)‌ ‌em alta de 0,03%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.750,74 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 0,03%‌ ‌e‌ -4,16%,‌ ‌respectivamente.‌

Também, o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ alta ‌de‌ 0,07%‌ ‌‌e‌‌ ‌100,05 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BTLG11 informa resultados e explica novas aquisições 

A gestão do BTG Pactual Logística FII (BTLG11) comunicou aos cotistas nesta última quarta-feira (01),sobre resultados e rendimentos referentes ao mês de agosto. Além disso, a gestão explicou sobre a compra de novos ativos para o fundo.

Em agosto, o BTLG11 distribuiu R$ 0,74 por cota aos seus investidores. A gestão apontou que este valor representa um dividend yield anualizado de 8,09%, com base na cota de fechamento do mês. Em 24 meses o retorno é de 29,5% em comparação ao IFIX, que não passou de  6,2%.  Confira abaixo:

BTLG11

Na explicação do BTG Pactual, o resultado, considerado positivo pela gestora, tem como impacto direto o recebimento da primeira parcela da venda de 4 ativos do fundo. “Essa parcela gerou um resultado para o Fundo de R$ 8,6 milhões, que representa R$ 0,57 por cota”, disse a gestão.

Aquisições de ativos para o fundo

Em julho, houve a liquidação financeira da aquisição do ativo Ribeirão Preto. Depois disso, o BTLG11 tem direito integral sobre a receita do novo imóvel do seu portfólio. A compra foi efetuada pelo valor de R$ 169,2 milhões. 

Neste caso, “o empreendimento é um condomínio logístico que conta com uma ABL de 57.143 m², 100% locado e tem como locatários a Ambev, Seara, Mercado Livre e outras empresas de excelente risco de crédito”, destacou a gestão. 

Nos gráficos abaixo, é possível observar o perfil do portfólio do BTLG11: 

BTLG11

Além disso, o BTG Pactual explicou que a aquisição contou com uma operação de alavancagem, porém, sem custo de pré-pagamento. O valor em questão foi de R$ 100,0 milhões. 

Também referente ao mês de agosto, o BTLG11 participou de uma oferta primária de um FII de CRI de baixo risco de crédito e indexado à inflação. 

A gestão disse que a posição inicial é de R$ 100,0 milhões, configurando uma posição mais tática do fundo em relação ao seu portfólio nos seguintes aspectos:

  •  Uma operação de “hedge” contra a inflação e alavancagem do fundo;
  • Possibilidade de aumentar a renda do fundo com os juros a receber pelo CRI; 
  • Instrumento de liquidez dado o alto volume de negociação do fundo investido. 

Na verdade, a gestão deixou claro que o objetivo do BTLG11 está focado em ativos logísticos. Porém, o CRI em questão foi considerado uma oportunidade de alto valor para compor a carteira do fundo. 

Já em relação ao aspecto operacional dos ativos, o BTLG11 está firme na reciclagem visual dos seus imóveis recém adquiridos. Um bom exemplo é o de Hortolândia, que acabou de receber a marca do BTLG. Confira na imagem abaixo:

BTLG11

Em relação à vacância do portfólio do fundo, a gestão reforçou que o BTLG11 possui apenas um imóvel com vacância, que representa menos de 1% de sua ABL. Mesmo assim, a gestão afirma estar na busca por prospectar novos inquilinos. 

O BTLG11 é um fundo imobiliário de tijolo com objetivo de obtenção de renda e ganho de capital por meio de investimentos em imóveis destinados a operações de armazéns logísticos e plantas industriais. 

BRCR11 informa resultados e explica aumento na vacância do fundo

Em relatório mensal apresentado aos cotistas nesta quinta-feira (01), a gestão do FII BTG Pactual Corporate Fund (BRCR11) comunicou o resumo do desempenho do fundo no mês de agosto. Também, o BTG Pactual apresentou informações atualizadas sobre a vacância do fundo.

O BRCR11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo, com o foco na compra de imóveis para locação, especialmente no mercado de escritórios comerciais de lajes corporativas. 

A gestão informou que o lucro líquido por cota em julho/21 foi positivo em R$0,42/cota, sendo que o valor distribuído em forma de rendimento para os cotistas foi de R$ 0,46/cota. Confira abaixo:

BRCR11

Neste mês, o BRCR11 recebeu uma notificação de rescisão antecipada para devolução de um andar de um locatário do BFC, que ocupa hoje seis andares do empreendimento. 

A entrega se deve a algumas reestruturações internas do locatário, que efetivamente nunca chegou a operar no espaço. 

Diante disso, o BRCR11 fará jus ao aviso prévio e a multa contratual por término antecipado. Ressaltamos ainda que nosso time comercial já iniciou os processos de prospecção para o andar, que é sequencial ao único andar vago hoje no empreendimento, formando uma área contínua bem importante no coração da Paulista. As visitas seguem bem aquecidas. 

Sobre a vacância do fundo

A gestão informou que a vacância financeira do portfólio, em julho de 2021, representava 11,6% em termos de receita de locação potencial e 24,8% sobre o total de ABL em m². O aumento da vacância em relação ao mês anterior se deve a uma saída programada do Eldorado. 

No final do mês, a vacância ao final de julho de 2021 correspondia a 35.891 m² no CENESP, 11.281 m² no Diamond Tower, 6.066 m² no Eldorado, 1.507 m² no Sucupira, 828 m² no BFC, 586 m² no EZ Towers e 525 m² no Transatlântico. 

Nos três meses seguintes, 10,4% da carteira de contratos será reajustada pela inflação, enquanto que neste período não teremos nenhum contrato em processos de renovação. 

KNRI11 informa sobre aumento de dividendos e redução de vacância 

O FII Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), gestado pela Kinea Investimentos, divulgou nesta quarta-feira (01) o seu relatório gerencial do mês de agosto, no qual descreveu seus resultados mensais, aumento de dividendos e redução da vacância de seu portfólio.

Em relação aos resultados do mês de agosto, a Kinea Investimentos informou que o fundo distribuirá o equivalente a R$0,73, mantendo constante seu patamar de distribuição. 

Confira na tabela abaixo a distribuição de resultados:

KNRI11

Aumento de dividendos e redução da vacância do fundo

A gestão relatou que, no mês de agosto, foram concluídas as obras de construção do Centro de Distribuição Cabreúva. O empreendimento já foi entregue, estando agora na fase de cumprimento das obrigações após a finalização da obra. 

Neste caso, “o ativo possui aproximadamente 180.000 m² de área locável e contará com um contrato de locação atípico na modalidade built to suit pelo prazo de 15 anos com renomada empresa do segmento de varejo”, disse a gestão. 

O Centro de Distribuição Cabreúva possui especificações técnicas de alto nível em uma das principais localizações de imóveis logísticos de São Paulo. 

Desta forma, com a entrega do imóvel, a gestão tem perspectiva de melhora dos níveis de ocupação dos imóveis do KNRI11. Por isso mesmo a distribuição será de R$0,73 por cota, “um incremento superior a 5% em relação a última distribuição e superior a 12% no ano de 2021”. 

Com relação às novas locações do fundo, foi concluída a locação de meio andar no Edifício Athenas para a Capital Partners e de um andar no mesmo edifício para a Companhia Nitro Química Brasileira, disse a gestora. 

Com as novas ocupações, houve diminuição da vacância do fundo. A vacância física agora está em 8,54%, sendo a vacância financeira de 11,78%. Confira nos gráficos abaixo:

KNRI11

O Kinea Renda Imobiliária é um fundo imobiliário do tipo híbrido. Seu objetivo é gerar renda de aluguel mensal através da locação de um portfólio diversificado de prédios corporativos e galpões logísticos.