O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(07)‌ ‌em alta de 0,27%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.759,57 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ janeiro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2022,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -1,61%‌ ‌e‌ -1,61%,‌ ‌respectivamente.‌  

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BTLG11 informa resultados e comenta sobre seus ativos

A gestão do BTG Pactual Logística FII (BTLG11) comunicou aos cotistas nesta última sexta-feira (07), sobre resultados e rendimentos referentes ao mês de novembro. 

Desta forma, o BTLG11 distribuiu R$ 0,72/cota aos seus cotistas, o que corresponde a um dividend yield de 8,3% com base na cota de fechamento do mês. Veja na tabela abaixo:

BTLG11 Fiis

Já a vacância do fundo segue estável e em patamares mínimos, atualmente representa 2,8% da ABL do FII e está concentrada no ativo de Hortolândia. 

A gestora disse que o trabalho de prospecção de novos locatários está aquecido e com demandas em estágio terminal de negociação. 

Ainda nessa linha, o fundo está empenhado na divulgação do ativo, através da elaboração de um material de marketing. 

No ativo SBC, o BTLG11 conseguiu a última licença necessária para execução da obra e em breve deveremos ter seu início. 

Pelo viés comercial, a gestora destacou que o FII segue expandindo sua parceria com a locatária SM Empreendimentos Farmacêuticos através de investimentos adicionais no imóvel à um cap rate de 12,7% aa e que podem chegar a um valor máximo de R$ 1 milhão. Atualmente já foi desembolsado um montante que se aproxima dos R$ 500 mil.

JSRE11 informa resultados e dá detalhes sobre gestão de ativos

O Safra Asset, gestor do fundo JS Real Estate Multigestão (JSRE11) comunicou nesta sexta-feira 8) aos seus investidores, os resultados referentes ao mês de dezembro. Desta forma, o fundo detalhou sobre a gestão de seus ativos. 

Referente ao mês de dezembro, o JSRE11 informou  rendimento de R$0,53 por cota, a ser distribuído no dia 21 de janeiro. A distribuição corresponde a um dividend yield de 0,64% no mês (anualizado 7,68%), com base na cota de fechamento do último mês (R$82,80). Confira abaixo:

JSRE11

Aumento no valor de mercado e pagamento de pendências do Tower Bridge Corporate

Ainda referente ao último mês de 2021, a gestora disse que os imóveis que compõem a carteira do fundo foram avaliados a mercado pela empresa Binswanger Brazil. Neste caso,  houve uma valorização de 0,30% no valor contábil dos imóveis, o que representa 0,29% quanto consideramos o valor patrimonial da cota do fundo. 

Além disso, o JSRE11 precisou reter aproximadamente R$12,6 milhões referente ao pagamento da última parcela do preço da aquisição do Edifício Tower Bridge Corporate, uma vez que existe uma pendência quanto aos débitos de IPTU, que estavam com processo em trâmite no Tribunal de Justiça de São Paulo. 

Porém, a gestão destacou que os vendedores do imóvel ao fundo resolveram essa questão no tribunal, de forma que o JSRE11 pagou cerca de R$8,5 milhões quitar o restante nas próximas semanas. 

Deste modo, a gestora deixou claro que o fundo pagará todos os débitos referente a compra do Edifício Tower Bridge. 

Gestão do Complexo Rochaverá

Além disso, o fundo ressaltou que esta obrigação de pagamento de R$12,6 milhões já estava provisionado nas contas do fundo e o pagamento desses valores não altera em nada as contas do fundo, tampouco diminuiu seus rendimentos. 

Ainda sobre a gestão dos seus ativos, o JSRE11 renovou o contrato de locação da empresa Triumph, referente ao imóvel Rochaverá, que passa a ter seu vencimento em 2027. 

Também, o fundo concluiu a revisão contratual com o Banco Votorantim, também no complexo Rochaverá. 

O contrato de locação foi estendido por mais 4 anos, com novo vencimento em 2030, com alteração do índice de reajuste do aluguel de IGPM para IPCA. O fundo também revisou o valor do aluguel dentro de um patamar coerente com o momento de mercado. 

Confira abaixo os indexadores de reajuste de aluguel do fundo e a receita imobiliária por imóvel:

JSRE11

Houve também a formalização da saída da empresa LG do Rochaverá, devolvendo uma área que representa 40% para o JSRE11. 

O inquilino já cumpriu as cláusulas contratuais fazendo o pagamento das multas e devoluções previstas. 

Por fim, a gestora tranquilizou os cotistas, lembrando que as receitas do Rochaverá contam com renda mínima garantida e portanto, não haverá impacto no resultado do fundo.

O JS Real Estate Multigestão é um fundo imobiliário do tipo híbrido, que possui diferentes tipos de investimentos no setor imobiliário, seja em imóveis, outros fundos imobiliários ou títulos de renda fixa. 

RECR11‌ informa resultados e mostra alocações do mês

A‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌FII‌ ‌REC‌ ‌Recebíveis‌ ‌Imobiliários‌ ‌(RECR11)‌,‌ ‌detalhou‌ ‌em‌ ‌‌relatório‌ ‌gerencial‌ ‌divulgado‌ ‌na‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(7),‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌do‌ ‌fundo‌ ‌referente‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de dezembro.‌ Também,‌ ‌a‌ ‌‌Real‌ ‌Estate‌ ‌Capital‌ informou a movimentação da carteira do fundo.‌ ‌ 

Referente ao resultado do mês de dezembro, o RECR11 distribuirá R$ 1,45 aos seus cotistas. Confira abaixo:

RECR11

Deste forma, a gestora reforçou que o fundo encerrou o mês com 97,3% de seus recursos alocados em CRIs, distribuídos em 85 operações. 

No acumulado dos últimos 12 meses, a distribuição de rendimentos do RECR11 corresponde a 13,9% a.a ou o equivalente a 315% do CDI. 

Os investimentos do fundo 

O RECR11 realizou as seguintes operações: 

  • CRI Hotel Rosewood 2: comprado por R$ 28.320.680, com taxa de IPCA + 7,50% ao ano. 
  • CRI Vokkan: comprado a R$ 20.000.000, com prêmio de IPCA + 8,00% ao ano. 
  • CRI Cortel: valor de R$ 35.108.563, com taxa de IPCA + 7,00% ao ano. 
  • CRI VCA 2: o Fundo adquiriu novas cotas do “CRI VCA”, emitido pela Habitasec. O volume adquirido corresponde a R$ 20.009.104. A taxa de aquisição do CRI corresponde a IPCA + 7,00% ao ano. 
  • CRI Embraed por R$ 5.079.701, com taxa de IPCA + 7,00% ao ano. 
  • CRI Colmeia: comprado por R$ 225.447, com prêmio de IPCA + 10,00% ao ano. 
  • CRI Ditolvo: foi liquidado antecipadamente, em um montante equivalente a R$ 432.949.

Em dezembro, o RECR11 fez sua primeira operação compromissada, captando um montante equivalente a R$ 60.587.773 (corresponde a 2,6% dos ativos do Fundo) com vencimento em Dez/2022. 

Operação compromissada

Na explicação da gestão, como o fundo captou menos recursos na 11ª Emissão, houve menos recursos para realizar a alocação do Pipeline de CRIs. 

Assim, a operação compromissada foi uma alternativa que a gestora encontrou para aproveitar as oportunidades de investimentos do fundo. 

Por fim, a gestora lembrou que a operação compromissada permite pagamentos antecipados e será amortizada com os retornos que ocorrerão neste período.

O FII REC Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário do tipo papel com foco na gestão ativa de ativos de renda fixa com preponderância em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs).