O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ ‌sexta-feira‌ ‌(7)‌ ‌em ‌alta ‌de‌ ‌0,04%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.856,63 ‌pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌maio‌ ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ ‌-0,15%‌ ‌e‌ -0,37%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ baixa ‌de‌ ‌-0,01%‌ ‌e‌ ‌103,97 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

Fechamento 07/05

Confira as principais notícias do mercado de FIIs: 

KISU11 informa sua valorização de cotas no mês de abril

A gestão do fundo Kilima FIC de FII SUNO30 (KISU11) detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado sexta-feira (7), a performance do fundo no mês de abril. A gestora Kilima Gestão de Recursos além de publicar os resultados do fundo, também descreveu os ganhos do fundo no mercado secundário. 

O KISU11 é um FII (fundo de fundos) que tem por objetivo seguir a carteira teórica do índice de referência SUNO 30 FII. Fundado em outubro de 2020, sua primeira negociação na bolsa foi em janeiro (15) deste ano.

A gestão ressalta o crescimento do fundo que, lançado recentemente no mercado, alcançou a marca de 22 mil cotistas, marca celebrada pela equipe gestora. 

No cenário macroeconômico, a Kilima Gestão pontuou que a alta de juros trouxe diversos resultados entre os diferentes FIIs do mercado. Porém, em relação ao KISU11, as vantagens foram maiores que os problemas.

No mercado secundário, as cotas do KISU11 segue em constante valorização, com alta de 24,6% no papel. Veja no gráfico abaixo: 

KISU11

Durante o mês de abril, a cota patrimonial do KISU11 teve desempenho superior ao IFIX. Além disso, a gestora destacou que o fundo entregou aos cotistas um dividendo absoluto relevante aos seus cotistas.

Referente a abril, o valor a ser distribuído por cota é de R$0,85, o equivalente a 0,54% de dividend yield. 

VILG11 informa resultados e detalha sobre novas aquisições 

A gestora do Vinci Logística FII (VILG11) informou seus cotistas por meio de Relatório Gerencial os resultados do fundo no mês de abril. Em complemento, a Vinci Real Estate, gestora do fundo, detalhou sua alocação de recursos após emissão de cotas.

A gestão destacou que o VILG11 segue “reagindo bem aos efeitos causados pela crise do COVID-19, suportado por importantes pilares, como os setores de ecommerce e transporte & logística, que representam, conjuntamente, mais de 60% da receita total do Fundo”

Prova disso é que o mês de abril foi recheado de bons eventos, dentre os quais: 

  • Aquisição do Porto Canoa LOG, ativo 100% locado e com as mais altas especificações técnicas, localizado em Serra-ES; 
  • Assinatura de documento vinculante para aquisição de um ativo no raio 30km de São Paulo-SP, considerado o raio logístico mais estratégico do Brasil; 
  • Nova locação no ativo Airport Town, em Guarulhos-SP; 

Além disso, a Vinci Real Estate ressaltou que o fundo possui dois acordos de exclusividade assinados: 

  • O Alianza Park em Belém-PA, 
  • E o Ativo localizado no raio de 30km da cidade de São Paulo 

Por fim,  o resultado do VILG11 em abril foi equivalente a R$ 0,52/cota. Somado a isso, o fundo encerrou o mês, após a distribuição dos rendimentos, com uma reserva de resultado não distribuído de R$ 414 mil, o equivalente a R$ 0,03/cota. 

XPLG11 informa resultados do mês de abril

A XP Asset Management, gestora do XP Log FII (XPLG11), comunicou nesta sexta-feira (7) aos seus investidores, os resultados do fundo referentes a abril. Também, a gestão informou sobre alguns eventos importantes para o XPLG11.  

No mês de abril de 2021, foi declarada a distribuição de R$ 0,60/cota para os detentores das cotas do XPLG11, que corresponde ao dividend yield anualizado de 6,2% em relação ao valor da cota de mercado no fechamento do mês (R$ 116,00/cota). 

No mercado secundário, o volume de negociação das cotas do fundo foi de R$ 121,8 milhões (média diária de R$ 6,1 milhões), o que corresponde a uma redução de 21% na média diária em relação ao mês de março.

Desta forma, a XP Asset Management acredita que “diante de um contexto ainda incerto sobre a evolução do programa de vacinação e das agendas econômicas”, o volume de negociação foi menor. 

Então, a gestão detalhou os eventos deste abril que impactaram o resultado recorrente do XPLG11, neste caso:  

  • Recebimento de antecipação do prêmio de locação do Syslog SP;
  • Inadimplência de 3,8% da Receita de Locação mensal ordinária do Fundo, cujas tratativas com vistas à solução estão sendo conduzidas pela gestora. 

Por fim, a gestão afirmou permanecer focada na “estruturação de operações, as quais estão em estágio avançado e com expectativa de fechamento em breve, para alocação dos recursos captados”, sobretudo, na procura por potenciais locatários para as áreas vagas.