O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quinta-feira‌ ‌(11)‌ ‌em queda de -0,20%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.621,88 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ novembro ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -2%‌ ‌e‌ -8,65%,‌ ‌respectivamente.‌  

Confira abaixo:

fechamento fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

HCTR11 mostra investimentos e explica  desvalorização patrimonial de suas cotas

O Fundo de Investimento Imobiliário Hectare CE (HCTR11) com gestão da Hectare Capital, divulgou nesta quinta-feira (11) o seu relatório gerencial do mês de outubro, no qual descreveu seus resultados. O fundo destacou a movimentação de seu portfólio e explicou a desvalorização patrimonial de suas cotas.

O fundo divulgou que os proventos referentes a outubro são de R$1,60 por cota, o que corresponde a um dividend yield de 1,35%. Confira abaixo:

HCTR11

A gestão comentou que nos últimos doze meses o fundo distribuiu R$ 23,08 por cota, desconsiderando eventuais rendimentos de recibos de subscrição neste período. 

Operações do mês

Em relação às suas operações no mercado de recebíveis (CRIs) e cotas de FIIs, o fundo alocou um total de R$ 141 milhões. Desses, R$ 56 milhões refere-se ao aumento de posição em ativos que já estavam na carteira, enquanto R$ 85 milhões foram investidos em novas posições. 

Do total alocado, 96% foi em CRIs (69% em Cota Sênior, 23% em Subordinada e 7% em Única) e 4% em FIIs. 

Em relação aos CRIs alocados, 93% são indexados ao IPCA, com taxa média de 11,8% a.a. e 4% ao CDI com spread de 7,0% a.a. Abaixo um detalhamento das alocações:

HCTR11

Após estes investimentos, o fundo terminou o mês de outubro com 8,2% em caixa, valor comprometido com operações de CRI já aprovadas para liquidação ainda em novembro. 

Explicação sobre a queda no valor patrimonial da cota

A gestão explicou sobre a queda de 1,7% no valor patrimonial da cota em relação ao mês anterior. 

De acordo sua interpretação, essa desvalorização ocorre quando há elevação nas taxas de juros futuros, que tem efeito na marcação a mercado dos ativos de crédito (CRI’s) do fundo. 

Ou seja, quando as taxas de juros longos sobem, os valores dos CRIs caem. Porém, esta queda tem apenas efeito contábil, não afetando os recebimentos dos CRIs, estes relacionados com as taxas de juros contratadas no início de cada operação. 

O FII Hectare CE é um fundo imobiliário que tem como objetivo proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários, auferindo rendimentos e ganhos de capital advindos destes.

IRDM11 explica o racional do aumento nos seus dividendos

A gestão do fundo Iridium Recebíveis Imobiliários FII (IRDM11) comunicou aos cotistas nesta quinta-feira (11), os resultados referentes ao mês de outubro. Também, a Iridium Gestão de Recursos demonstrou a movimentação da carteira do fundo, explicando o racional por trás do aumento nos seus dividendos.

A distribuição de dividendos referente a outubro foi de R$ 1,36 por cota, o que equivale a uma remuneração bruta de imposto de renda de 345,10% do CDI. Confira abaixo:

IRDM11

A gestão lembrou que o resultado foi superior em relação aos últimos meses devido ao fato que alguns ativos, que foram adquiridos com os recursos captados da 10ª emissão de cotas, começaram a pagar as suas parcelas mensais, trazendo rendimentos ao fundo. 

 Além disso, o resultado acumulado dos índices de preços (IPCA e IGP-M) e a alta da SELIC também beneficiam o valor da distribuição. 

No momento, o foco do IRDM11 está na redução das posições de FIIs e no aumento das posições de CRIs, dado o ciclo de alta de juros que estamos passando. 

Em relação aos CRIs, a maior parte dos investimentos tem ocorrido por meio de ofertas no mercado primário. A gestão está aproveitando a alta nas taxas das NTN-Bs para precificar essas novas operações com taxas ainda maiores. 

Movimentação do mês

A equipe de gestão segue otimista com o mercado primário de CRIs com inúmeras ofertas com alta qualidade de crédito, aliado a taxas interessantes devido a abertura das taxas nos títulos públicos. 

O fundo inclusive tem aproveitado esse momento para aumentar a qualidade do crédito da carteira, mas mantendo o mesmo nível de remuneração média. 

Foi justamente por isso que a gestora propôs em assembleia a realização da 11ª emissão de cotas. Segue abaixo um resumo das principais operações feitas ao longo do mês.

Operações de CRIs:

IRDM11

Operações de FIIs:

IRDM11

O Iridium Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário de papel com investimentos em títulos de valores imobiliários. Seu maior foco é em operações no mercado de CRIs, desde que atendam aos critérios definidos na política de investimento.

RBVA11 informa resultados e comenta estratégia do fundo

A gestão do Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11) anunciou aos cotistas nesta última quinta-feira (11), os resultados do fundo no mês de outubro. Em complemento, a Rio Bravo Investimentos comentou sobre a estratégia do fundo e alguns fatos sobre o segmento do varejo. 

Em outubro, o fundo teve R$ 1,39 de resultado, com participação dos resultados não recorrentes já anunciados, e distribuiu R$ 0,99/cota, de forma a linearizar a distribuição. Veja abaixo:

RBVA11

A gestão reforçou a estratégia de seguir em negociação para vendas de agências bancárias e virá a mercados nos momentos oportunos realizar os anúncios formais tão logo os negócios avancem.

Em relação às vendas do varejo, setembro (último mês com resultados divulgados) resultou para baixo. A explicação está no aumento da inflação e na queda na renda disponível.

Estratégia do fundo

O movimento de implementação da estratégia de varejo segue e deu mais alguns passos neste semestre, com conclusão de mais vendas, e tal fato refletindo na distribuição do mês. 

O ganho de capital nas vendas é decorrente de 100% do valor acima do valor de aquisição.

Na ponta das compras, o RBVA11 tem focado cada vez mais em imóveis líquidos para locação, mesmo com contratos típicos, de forma a oferecer aos cotistas solidez na renda e atrair bons locatários. Confira o perfil do RBVA11 nos gráficos abaixo:

RBVA11

O fundo tem trocado imóveis com potencial mais limitado de retorno ou que não se encaixam na estratégia do fundo, por novos ativos que oferecem um cenário mais promissor de valorização daqui para frente. 

Grupo Pão de Açúcar e a venda do Extra

Um dos inquilinos que realizou grande movimentação nos últimos meses em sua estrutura foi o Grupo Pão de Açúcar. 

O GPA decidiu por vender outra marca da sua vertical de multi-varejo, o Extra, para o Assaí. A transação de aproximadamente R$ 5,2 bilhões prevê a transferência e conversão do Extra para operações de atacarejo.

Hoje o fundo possui 2 lojas que servem ao Extra - Guarulhos e SJC - ambas em localizações bastante primárias e com tamanho que atenderia a operações varejistas. 

A transferência do contrato atípico para outra marca seria vantajosa para o fundo, dada a diversificação e qualidade das empresas envolvidas. 

O time de gestão ainda não recebeu confirmação sobre a conversão das lojas. As duas operações têm contrato atípico firmado com o fundo por mais 14 anos e 2 meses.

O Rio Bravo Renda Varejo é um fundo imobiliário de tijolo focado no mercado de varejo e também no setor bancário. Seus investimentos se concentram na compra, venda e exploração de imóveis dos setores citados, além da aquisição de cotas de outros FIIs.