‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quinta-feira‌‌‌ ‌‌‌(17)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de‌‌ -0,06%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.709 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌-1,19%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-3,43%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

SNCI11 informa resultados e mostra novo investimento

A Suno Asset, gestora do novo fundo imobiliário Suno Recebíveis Imobiliários FII (SNCI11) informou nesta última quinta-feira (17), os resultados e rendimentos do mês de fevereiro. Como complemento, a gestão comentou o novo investimento para carteira do fundo. 

Em relação ao mês de fevereiro, o SNCI11 distribuirá R$1,40 por cota. A gestora disse que esse valor corresponde a um dividend yield anualizado de 17,70%. Abaixo, confira no gráfico a distribuição por cota do SNCI11:

SNCI11 fiis

Além, no mês de fevereiro foi realizada a 7ª e última chamada de capital da primeira emissão do SNCI11. Por isso, os R$ 166.822.700 subscritos foram integralizados. 

Com esses recursos captados, o fundo realizou a alocação do CRI Esatas. Essa nova operação trata-se de um CRI para financiar o término de obras de uma incorporação de alto padrão na cidade de Itajaí – SC. O papel terá remuneração de IPCA + 10,50% a.a

Neste ponto, a gestora reforçou que essa operação foi estruturada integralmente pelo Suno Asset, “reforçando nosso compromisso em buscar as melhores oportunidades do mercado, estrutura de garantias alinhadas com risco da operação”, disse a gestora. 

Diversificação de carteira e crescimento de cotistas

Com esse e outros investimentos realizados, a alocação da primeira emissão do SNCI11 foi finalizada. Até o momento,  a carteira do fundo se encontra diversificada em 20 ativos de diferentes perfis de risco e diferentes segmentos. 

Desde seu IPO, em outubro de 2021, o SNCI11 negociou mais de R$ 132 milhões em volume financeiro, apresentando uma média de quase R$ 1,5 milhão por dia. Também, o fundo possui quase 20 mil cotistas - mesmo em tão pouco tempo - o que demonstra a confiança do mercado. Confira abaixo:

SNCI11 fiis

A gestora também informou que o fundo divulgou no mês de fevereiro a publicação do primeiro Relatório de Risco do Fundo, que será publicado do semestre. O objetivo do relatório é mostrar aos cotistas os principais riscos de cada uma das operações que compõe a carteira do SNCI11. 

O fundo imobiliário Suno Recebíveis Imobiliários a geração de renda por meio de recebíveis imobiliários e outros ativos de renda fixa. De acordo com o estudo de viabilidade do fundo, a rentabilidade líquida esperada é 10,50% a.a.

RBRF11 aumenta exposição em CRIs e reduz posições em FIIs

A gestora RBR Gestão de Recursos do fundo RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11), anunciou aos cotistas nesta quinta-feira (17), através de relatório gerencial, os resultados do mês de fevereiro. A gestora também comentou sua nova estratégia de reduzir posições em FIIs e aumentar a exposição em certificados de recebíveis imobiliários (CRI).

Referente ao mês de fevereiro, o fundo anunciou distribuição de rendimentos de R$0,60/cota, o que corresponde a um dividend yield 10,6% a.a. Confira:

RBRF11

Além disso, a gestora confirmou que o fundo fechou o mês com uma reserva de resultados de R$0,67/cota. 

Neste aspecto, a gestora disse que o fundo pretende distribuir entre R$0,60/cota a R$0,75/cota, “visando auxiliar o investidor a ter maior clareza na travessia neste momento de incertezas no radar”, afirmou. Da mesma forma, a expectativa é que o dividend yield esteja entre 10,6% a.a. e 13,4% a.a.. 

Nova estratégia do fundo

A gestão do RBRF11 também explicou sobre a realização de prejuízos e as implicações contábeis para os fundos de fundos (FoFs). Desde o início de 2022, a gestora alegar estar qualificando o portfólio reduzindo posições que não são mais estratégicas e com menor risco/ retorno, mesmo que estejam com prejuízo. 

Neste aspecto, o trabalho da gestão foi justamente realizar vendas, equilibrando com ganhos de capital, sem não impactar a distribuição de dividendos, para gerar um portfólio mais equilibrado. 

Por isso, o fundo vendeu mais de R$ 30 milhões de cotas de FIIs no mês de fevereiro, alocando o valor em CRIs direto, neste caso, nos ativos: 

  • CRI Helbor Parque Ibirapuera com taxa de CDI + 2,45% 
  • CRI Helbor Jardins com taxa de CDI + 2,5%. 

Os papéis acima são classificadas como High Grade pelo time de crédito da RBR. Com estas alocações, a gestora disse que o portfólio de CRIs passou de 19% para 22% do patrimônio líquido do fundo. Veja abaixo a composição da carteira do fundo:

RBRF11

Lembrando que, dentro das estratégias do RBRF11, as posições Alpha são fundos de tijolo investidos para ganho de capital, enquanto a estratégia Beta são fundos com foco em renda.

Por fim, para os próximos meses, o RBRF11 vai aumentar ainda mais suas posições em CRIs, reduzindo suas cotas de FIIs.

O RBR Alpha Multiestratégia Real Estate é um fundo imobiliário do tipo papel, com objetivo de auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de FIIs, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e outros ativos líquidos ligados ao mercado imobiliário.