O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ terça-feira‌ ‌(20)‌ ‌em alta de 0,12%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.839,66 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌julho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 3,07%‌ ‌e‌ -1,06%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

IRDM11 divulga resultados e demonstra movimentação de carteira

A gestão do fundo Iridium Recebíveis Imobiliários FII (IRDM11) comunicou aos cotistas nesta terça-feira (20), os resultados referentes ao mês de junho. Com uma série de compras e vendas de diferentes ativos, a Iridium Gestão de Recursos demonstrou os ganhos resultantes dessas operações. 

A Iridium Gestão informou que a distribuição de rendimento referente a junho foi de R$ 0,97 por cota. Isso equivale a uma remuneração bruta de imposto de renda de 385,12% do CDI no período. Observe abaixo os rendimentos dos últimos meses:

IRDM11

Na verdade, a gestora destacou que o resultado veio um pouco abaixo em relação aos meses anteriores devido ao IPCA de abril (0,31%), que foi inferior aos meses de fevereiro (+0,86%) e março (+0,93%). Porém, como o IPCA de maio foi maior (0,83%), o próximo rendimento também será superior. 

Na visão da gestão, o medo sobre uma possível tributação dos rendimentos distribuídos pelos FIIs por meio da reforma tributária, gerou uma série de vendas no mercado secundário, o que afetou a geração de resultado. 

Movimentação do portfólio

Porém, o fundo segue com foco no término da utilização dos recursos captados na 9ª emissão de cotas. O IRDM11 está à procura de ativos de perfil high-grade e com taxas de retorno interessantes, principalmente com a abertura das taxas das NTN-Bs. 

Na perspectiva da gestão, o fundo segue com o “viés de pulverização da sua carteira de crédito, dado que tal dinâmica reforça o perfil defensivo do portfólio”. No gráfico abaixo, é possível analisar a distribuição dos ativos do fundo e a proporção dos indexadores no portfólio: 

IRDM11

No momento, a prioridade do IRDM11 é com o mercado primário de CRIs, que segue com ótimas oportunidades. Segue abaixo as operações do mês:

IRDM11

Do mesmo modo, com o aumento da volatilidade no mercado de FIIs, o fundo está atento para novas compras no mercado secundário. Abaixo, a gestão divulgou as operações de FIIs:

IRDM11

O Iridium Recebíveis Imobiliários é um fundo imobiliário de papel com investimentos em títulos de valores imobiliários. Seu maior foco é em operações no mercado de CRIs, desde que atendam aos critérios definidos na política de investimento.

SNFF11 divulga resultados e informa aumento de dividendos 

A Suno Asset, gestora do Suno Fundo de Fundos (SNFF11), informou nesta última terça-feira (20) os resultados e rendimento referentes ao mês de junho. Como complemento, a gestão explicou o aumento no patamar de distribuição e seus investimentos. 

Referente ao mês de junho, o fundo distribuiu R$0,41 por cota de rendimento. A Suno Asset ressaltou que no estudo de viabilidade do fundo, no segundo mês do SNFF11, o patamar de distribuição seria de R$0,12. 

Porém, a elevação considerável do dividendo se explica, segundo a gestão, “pela velocidade de alocação que o SNFF11 tem conseguido realizar, visto que mais da metade do rendimento provém de recursos dos fundos em carteira”. 

Também, a rentabilidade da carteira do fundo superou os principais índices do mercado de fundos imobiliários - IFIX e Suno30. Observe abaixo: 

SNFF11

Além disso, o fundo também realizou seus primeiros ganhos de capital, com a realização de lucro referente ao fundo HCTR11. 

Como complemento, o fundo possui parte do caixa investido em CRI. O objetivo desta estratégia é justamente remunerar a carteira do SNFF11. 

Movimentação dos investimentos

O SNFF11 aproveitou as oportunidades disponíveis no mercado e alocou recursos por meio de ofertas. São nestes momentos que é possível encontrar preços mais atraentes para aquisição de cotas de FIIs. 

Desta forma, por meio de IPO, o fundo comprou cotas de SNCI11, MORC11, MCHF11, além de adquirir BCRI11, KISU11, e RECR11 em ofertas follow-on. Com as aquisições citadas, 60% do caixa do SNFF11 está devidamente alocado. Observe no gráfico abaixo todas as posições do fundo em FIIs:

SNFF11

O Suno Fundo de Fundos tem como objetivo investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e, complementarmente, em ativos ligados ao setor, podendo ser  em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs); letras hipotecárias (LH), letras de crédito imobiliário (LCI) e outros ativos de renda fixa. 

TORD11 informa resultados e movimentação de portfólio

O Tordesilhas EI FII (TORD11) divulgou relatório gerencial referente a junho de 2021, para comunicar aos cotistas os resultados do fundo. Também, o fundo divulgou, por meio de sua gestora Hectare Capital, os investimentos do mês e a movimentação de sua carteira de investimentos. 

O objetivo do Tordesilhas EI FII é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo, por meio de investimentos em ativos imobiliários - crédito privado, cotas de FIIs, ativos de renda fixa - auferindo rendimentos e ganhos de capital.

Referente ao mês de junho, o Tordesilhas EI FII distribuiu R$0,082 por cota. De acordo com a gestão, o dividend yield foi de 0,78% sobre a cota patrimonial que encerrou a R$10,52 em 30/06/21. Confira abaixo, com maiores detalhes, os resultados do fundo:

TORD11

Além disso, a equipe gestora celebrou a nova marca de investidores do fundo, com 71.449 cotistas. Foi um aumento de 14,0% em relação ao mês anterior. 

No mercado secundário, “a liquidez média diária foi R$ 1,66 milhões/dia, uma queda de 16,0% comparada ao mês anterior”, destacou a gestão.

Movimentação da carteira

A carteira do TORD11 é composta por “34,2% de CRIs, 30,6% de equities, 22,6% de FIIs e 12,6% em caixa”, reforçou a gestão. Do patrimônio alocado em CRIs, 61,83% estão indexados ao IPCA, 38,17% ao IGP-M e a taxa ponderada média sobre o saldo devedor é de 12,65% a.a. mais o índice de inflação. Observe nos gráficos abaixo:

TORD11

Dentre as movimentações de junho estão:

  • venda total do CRI RLP Sênior; 
  • venda parcial do CRI GPK Sênior; 
  • compra do CRI Recanto das Flores Subordinada;
  • compra do CRI Solar das Águas Subordinada; 
  • compra do CRI EDA Subordinada; 
  • compra do CRI União do Lago Subordinada; 
  • compra do CRI WAM Subordinada; 
  • compra do CRI Buona Vitta Sênior; 
  • compra do CRI GVI Sênior; 
  • aporte no fundo Devant Fundo de Fundos (DVFF11);
  • aporte no fundo RCAP 1810 e; 
  • aportes em equities e fundos em carteira. 

Por fim, na leitura da gestão, os indicadores atuais mostram uma melhor perspectiva para o segundo semestre deste ano. “Com a flexibilização das medidas de isolamento, foi possível observar uma melhora substancial das vendas dos empreendimentos em junho”, finalizou a gestora.