‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ segunda-feira‌‌‌ ‌‌‌(21)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ alta ‌‌de‌‌ 0,03%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.720 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌-0,76%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-3,01%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

BARI11 mostra resultados e comenta créditos em atraso

A gestão do FII Barigui Rendimentos Imobiliários (BARI11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na segunda-feira (21), a performance do fundo no mês de fevereiro. Além disso, a gestora Barigui Gestão explicou que houve redução dos créditos em atraso da carteira do fundo. 

Referente aos seus resultados, o fundo distribuiu R$ 1,10/cota de resultado. Nos últimos 12 meses, o fundo distribuiu ao todo R$ 13,54 por cota. No ano de 2022 o valor foi R$ 2,20 por cota. Confira abaixo:

BARI11 fiis

De acordo com a gestora, a distribuição representa um retorno de 13,13% em 12 meses e 2,13% no ano de 2022 considerando o valor da cota no último dia de fevereiro. E em relação ao valor de IPO do BARI11, 13,54% em 12 meses e 2,20% no ano. 

Deste modo, o fundo adquiriu R$ 5,2 milhões do CRI Lote 5. O ativo foi comprado com as seguintes características: taxa de IPCA+ 9,0%; prazo de 192 meses e LTV de 70%. 

A gestora disse que o BARI11 está com praticamente a totalidade do seu Patrimônio Líquido alocado. Até fevereiro, o fundo possuía 21 CRIs, sendo nove de créditos pulverizados, nos quais constavam 1.064 créditos imobiliários, com ticket médio de R$ 235 mil por contrato. Veja abaixo o perfil da carteira do fundo:

BARI11 fiis

Porém, por conta dos recebimentos mensais de amortização e pré-pagamentos, o BARI11 possui recebimentos recorrentes de caixa. A gestora disse que isso contribui para novas aquisições de CRIs corporativos no mercado primário que detenham boas garantias e boa relação de risco vs retorno. 

Aumento da inflação e créditos em atraso

A gestora ressaltou que a guerra entre a Rússia e Ucrânia contribuiu para o aumento da inflação no Brasil, principalmente pelo aumento forte dos preços de energia, commodities e alimentos. 

Porém, como o BARI11 tem a maioria dos seus ativos atrelados ao IPCA, diante do cenário atual, sua carteira torna-se uma salvaguarda para alocação de capital. 

Em relação ao atraso de créditos, em comparação a janeiro, o mês de fevereiro apresentou redução do percentual da carteira em atraso acima de 60 dias, disse a gestora. O total em atraso é de 69, sendo que: 

  • 17 casos estão em execução de coobrigação
  • 6 casos já possuem acordos firmados para a retomada dos pagamentos
  • 24 estão em renegociação 
  • 22 casos em processo de execução. 

Por fim, a gestora destacou que o atraso dos créditos não representa problemas nos pagamentos dos CRIs, por conta de mecanismos de seguranças dos ativos que fazem pare da carteira do fundo.  

O FII Barigui Rendimentos Imobiliários tem por objetivo a valorização e rentabilidade de suas cotas, por meio de investimentos em ativos imobiliários, principalmente os CRIs e aplicações financeiras.

BTLG11 confirma pagamento de novos ativos 

A gestão do BTG Pactual Logística FII (BTLG11) comunicou aos cotistas nesta última segunda-feira (21), sobre o pagamento de última parcela de compra de ativos logísticos.

A gestora disse que o fundo assinou um compromisso de compra e venda que envolveu a aquisição de três imóveis AAA localizados no Estado de São Paulo. Esses ativos possuem uma área bruta total de 86.863 m². 

A aquisição dos três ativos possuem semelhanças técnicas, disse a gestora. Porém, os ativos BTLG Guarulhos, BTLG Hortolândia e BTLG Régis apresentam distintas particularidades de localização, atratividade, público alvo e posicionamento. 

Pagamento dos imóveis e valor retido pelo fundo

Deste modo, o BTLG11 realizou o pagamento da parcela restante, no valor de R$ 36.000.000,00, prevista no compromisso com o vendedor. Segundo o acordo, a parcela deveria ser paga no primeiro aniversário da data do fechamento, o qual ocorreu nesta segunda-feira (22). 

Do valor citado acima, foi retido o montante de R$9.000.000,00 a ser pago após a superação de algumas obrigações assumidas pelo vendedor. 

Neste caso, a gestora comemorou a aquisição dos ativos, afirmando que foi “um processo complexo, que envolveu, entre outros, a criação de sinergias condominiais e comerciais, e que nessa breve janela já se traduziram em valor aos fundo e seus investidores”.

O BTG Pactual Logística é um fundo imobiliário de tijolo com objetivo de obtenção de renda e ganho de capital por meio de investimentos em imóveis destinados a operações de armazéns logísticos e plantas industriais. 

MGFF11 mostra operações do mês e comenta sua estratégia

A gestão do FII Mogno Fundo de Fundo (MGFF11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na segunda-feira (21), a performance do fundo no mês de fevereiro. Desta forma, a Mogno Capital Investimentos mostrou suas operações e comentou sobre sua estratégia.

Referente aos resultados do fundo, o MGFF11 divulgou rendimento de R$ 0,55 por cota no mês, equivalendo a um dividend yield anualizado de 10,95%. Confira abaixo:

MGFF11

Além disso, o retorno mensal total da carteira do fundo é de -0,99%, contra um resultado do IFIX de -1,29% no mês. A gestora ressaltou que o MGFF11 superou o IFIX tanto na rentabilidade interna (-0,99%) quanto na performance de mercado (-0,60%). 

Outro aspecto ressaltado pela gestora é que a quase totalidade dos ganhos do fundo vem da distribuição de renda dos fundos investidos. 

Em outras palavras, o fundo não depende de giros intensos na carteira para manter esse patamar de distribuição. Na visão da gestão, isso poderia ser muito temerário. Confira abaixo o perfil da carteira do MGFF11:

MGFF11

Por isso, o  momento atual exige ações mais precisas. A gestora acredita que esses movimentos só podem ser executados com paciência e conhecimento para realizar compras e vendas no momento exato. 

Operações do mês

A gestora divulgou as operações do MGFF11 no mês de fevereiro. Neste caso, o fundo subscreveu mais de R$ 7 milhões na 8ª Emissão de cotas do VRTA11, que vem pagando R$ 1,25 em praticamente todas as séries dessa oferta. 

Também, o fundo entrou aumentou sua posição no KNCR11, comprando mais R$ 5,7 milhões, uma vez que esse fundo tem grande exposição em CDI. 

Desta forma, as compras acima foram feitas principalmente com recursos que já estavam em caixa, mas aproveitamos o stress do mercado para vender R$ 3,6 milhões em IRDM11 e realizar um ganho expressivo para o fundo. 

O Mogno Fundo de Fundos é um FII de papel com objetivo de auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de cotas de FIIs e outros ativos ligados ao mercado imobiliário.