O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ terça-feira‌ ‌(22)‌ ‌em baixa de -0,48%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.797,57 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌junho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -0,67%‌ ‌e‌ -2,52%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

 ‌Também,‌ ‌o‌ ‌índice‌ ‌‌SUNO30‌‌ ‌fechou‌ ‌em‌ baixa de -0,46% ‌e‌ ‌102,33 ‌pontos.‌ ‌Veja‌ ‌na‌ ‌tabela‌ ‌abaixo:‌ 

Fechamento 22-06 fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

IRDM11 informa resultados e divulga movimentação de investimentos

A gestão do fundo Iridium Recebíveis Imobiliários FII (IRDM11) comunicou aos cotistas nesta terça-feira (22), os resultados referentes ao mês de maio. Com uma série de compras e vendas de diferentes ativos, a Iridium Gestão de Recursos demonstrou os ganhos resultantes dessas operações. 

A distribuição de rendimento referente a maio foi de R$ 1,15 por cota. De acordo com a Iridium Gestão de Recursos, “esse valor equivale a uma remuneração bruta de imposto de renda de 510,14% do CDI no período”. Observe na tabela abaixo:

IRDM11

Desta forma, a equipe gestora apontou que o IRDM11 tem se mantido atento para novas oportunidades para diversificação e melhoria do portfólio. Por isso, a gestão está monitorando tanto os FIIs quanto os CRIs no mercado secundário que apresentaram alta valorização e possuem uma relação risco/retorno proporcional. 

Por fim, até o dia da divulgação do relatório (22), “o caixa do fundo se encontra em aproximadamente R$ 206,9 milhões (ou 9,96% do patrimônio líquido)”, informou a Iridium Gestão de Recursos.

Movimentação da carteira de investimentos

Na visão da equipe gestora, “o fundo permanece com viés negativo em relação às perspectivas futuras para o mercado de FIIs de imóveis (tijolo), devido a manutenção do ciclo de alta da Selic no curto prazo”. 

Além disso, tanto os dados inflacionários no Brasil quanto a perspectiva de aumento da inflação nos Estados Unidos podem aumentar ainda mais a expectativa de incremento da taxa de juros aqui no Brasil. Mesmo assim, o IRDM11 vê oportunidades de investimentos no mercado secundário. 

Por outro lado, com relação aos FIIs de recebíveis - os chamados fundos de CRIs -  o fundo segue com um viés mais positivo. Na verdade, esses fundos conseguem se “aproveitar da alta das taxas para aquisição de ativos com retorno interessante”. 

No mês de maio, o fundo adquiriu R$ 244,5 milhões em operações de CRI e FII, e vendeu R$ 114,9 milhões, totalizando R$ 359,4 milhões de volume transacionado. 

Observe as operações de CRIs na tabela abaixo:

IRDM11

Na próxima tabela, o fundo divulgou as operações no mercado de FIIs:

IRDM11

 O IRDM11 é um fundo imobiliário de papel com investimentos em títulos de valores imobiliários. Seu maior foco é em operações no mercado de CRIs, desde que atendam aos critérios definidos na política de investimento.

MGFF11 divulga resultados e movimentação de portfólio

A gestão do FII Mogno Fundo de Fundos, detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na terça-feira (22), a performance do fundo no mês de maio. Desta forma, a Mogno Capital Investimentos publicou os resultados do FII e descreveu a movimentação dos seus ativos.

O Mogno Fundo de Fundos é um FII de papel com objetivo de auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de cotas de FIIs e outros ativos ligados ao mercado imobiliário.

Em maio, o MGFF11 distribuiu R$ 0,55 por cota, informou a Mogno Investimentos. Observa na tabela abaixo:

MGFF11

Como complemento, a gestão lembrou que desde o início da existência do fundo, “já foram distribuídos mais de R$ 115 milhões em rendimentos”. Na verdade, esse valor é 26% maior que a média dos FOFs que já existiam na época do nosso IPO, destacou a equipe gestora. 

Em relação ao dividend yield anualizado, o valor divulgado pelo fundo foi de 8%, estando relativamente mais baixo que os meses anteriores. 

Movimentação da carteira do fundo

As principais alocações em maio foram através de ofertas restritas. Confira abaixo: 

  • RSPD11: R$ 10 milhões, participação da última chamada de capital do fundo;
  • CCRF11: R$ 8 milhões na segunda liquidação do fundo de recebíveis da Canvas Capital;
  • CPTS11: R$ 5 milhões.

Na ponta vendedora, as principais operações estão abaixo:

  • CPTS11: R$ 19 milhões. Antecipação em relação à pressão vendedora devido à emissão, além da arbitragem para financiar a subscrição a preço patrimonial. 
  • TRXF11: R$ 10 milhões. Captura de bons preços no secundário.

Também, a gestão divulgou as principais operações do início do mês de junho: 

  • Subscrição de R$ 68 milhões na oferta do CPTS11, fundo de CRIs da Capitânia. 

Vendas dos seguintes ativos: 

  • TRXB11 (R$ 23 milhões)
  • RBRL11 (R$ 13 milhões)
  • SADI11 (R$ 11 milhões) 
  • GALG11 (R$ 11 milhões).

RZAK11 divulga resultados e informa a movimentação de seus investimentos

A Riza Asset Management, gestora do Riza Akin FII (RZAK11), comunicou em relatório gerencial nesta terça-feira (22), os resultados referentes ao mês de maio. Além disso, a gestora divulgou a movimentação do portfólio do fundo com suas respectivas operações de compra e venda.

A gestão informou do RZAK11 destacou que o fundo possui 103,2% de seu patrimônio líquido alocado em diversos ativos. Isso só foi possível por meio das operações de alavancagem do núcleo de renda fixa. Confira na tabela abaixo as alocações do fundo:

RZAK11

A Riza Asset explicou que essas operações compromissadas são oportunidades para liberar o caixa para novos ativos sendo que, ao mesmo tempo, aumentam o retorno médio da carteira sem perder exposição a papéis que consideramos de alta qualidade. 

Observe abaixo as operações realizadas durante o mês: 

  • Venda de uma parcela do CRI de B3 
  • Aumento de posição no CRI CashMe 
  • Aumento de posição no CRI Pro Soluto 
  • Subscrição de 100% da emissão do CRI Monte Carlo. 

Por fim, “a aquisição do CRI de Monte Carlo levou a um aumento da exposição ao núcleo de Direct Lending, que chega agora a 15% do PL, e foi financiada pelo uso de caixa e pela redução da exposição líquida ao núcleo de Renda Fixa”, informou a gestora. 

Resultados e perspectivas 

Para o mês de maio, o fundo seguirá com a distribuição de R$0,90 por cota, destacando que parte do resultado foi retida para meses posteriores. Abaixo, a gestão divulgou o retorno absoluto de cada investimento do fundo:

RZAK11

Também, a gestão pontuou que o RZAK11 considerará o “uso de alavancagem por meio de operações compromissadas para permitir a compra das operações em nosso pipeline”. Também, a gestora segue otimista com ativos indexados ao CDI e com prazo acima de um ano de duration. Observa na tabela abaixo a proporção dos indexadores nos ativos do fundo:

RZAK11

O Riza Akin FII é um fundo de papel com objetivo de obter retornos consistentes por meio de investimentos em uma carteira diversificada de crédito estruturado. O fundo investe em CRIs, FIIs e FIDCs imobiliários.