‌‌‌O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ quinta-feira‌‌‌ ‌‌‌(24)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de‌‌ -0,72%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.729,33 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ fevereiro ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌-2,41%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌-3,38%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌ ‌

‌‌Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

BTAL11 informa resultados e mostra operações de CRI de sua carteira

O BTG Pactual, gestora do FII BTG Pactual Agro Logística (BTAL11), comunicou na última quinta-feira (24) aos seus investidores os resultados do mês de janeiro. Também, a gestora comentou sobre suas operações no mercado de Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), além de demonstrar preocupação com a guerra entre Rússia e Ucrânia.

Referente ao mês de janeiro, a gestora divulgou a distribuição do BTAL11 em R$ 0,80 por cota, representando um dividend yield anualizado de 10,1% sobre o valor da cota de mercado. Além disso, o fundo acumulou R$ 0,38/cota de resultados não distribuídos. Veja abaixo: 

BTAL11 fiis

Neste aspecto, a gestora lembrou que os rendimentos foram integralmente distribuídos no dia 24 de fevereiro. Para os próximos meses, o fundo pretende continuar com o patamar de distribuição de R$ 0,80/cota, sem considerar os ajustes anuais dos contratos atípicos de locação, que deverão sofrer reajustes. 

Destaques do mês de janeiro

Também, o BTAL11 realizou operações no mercado secundário referente a venda e compra parcial dos CRIs em carteira. A gestora disse que seu objetivo foi destravar a correção monetária acruada e não distribuída. 

Neste aspecto, essas operações no mercado de recebíveis imobiliários geraram resultados financeiros positivos, com um ganho de capital de R$ 2.440.821,10. Por isso, o resultado será distribuído integralmente aos cotistas. 

Preocupação com a guerra entre Rússia e Ucrânia

Na visão da gestora, o conflito armado na Ucrânia ameaça diretamente a cadeia global de suprimentos. Neste aspecto, a Rússia e Ucrânia estão entre os maiores exportadores de trigo do mundo, produto do qual o Brasil é grande importador. 

Por esses e outros motivos, as cotações do trigo vêm caindo nos últimos dias. Deste modo, as margens das indústrias que utilizam o trigo como insumo ficassem significativamente pressionadas. 

Da mesma forma, tanto a Rússia quanto a Ucrânia são importantes produtores de fertilizantes. Obviamente, isso pode prejudicar o Brasil na exportação dessas mercadorias. 

Mesmo diante desse cenário, o fundo reafirma seu compromisso com o agronegócio brasileiro, focando em ativos estrategicamente localizados nas regiões que apresentam maior déficit de infraestrutura e são localizadas em regiões estratégicas. Confira abaixo o perfil da carteira do fundo:

BTAL11

O FII BTG Pacual Agro Logística é um fundo do tipo tijolo com foco no segmento logístico e industrial ligado ao agronegócio. Porém, o fundo tem investido tanto em imóveis quanto em outros ativos como CRIs, LCIs entre outros.

RBRP11 informa resultados e comenta sobre seus ativos

A gestão do FII RBR Properties (RBRP11) comunicou aos cotistas na última quinta-feira (24), os resultados e rendimentos referentes ao mês de janeiro. A RBR Asset também explicou aos cotistas os principais destaques relacionados aos ativos do fundo. 

Referente a janeiro, o RBRP11 distribuiu rendimentos no valor de R$ 0,46 por cota, o que equivale a 88,19% do CDI e um dividend yield de 8,03% a.a. Confira abaixo:

RBRP11

A gestora afirmou estar confortável com a exposição atual em seus ativos e muito otimista quanto ao desempenho dos imóveis, com perspectiva de aumento dos aluguéis nos próximos anos. 

Destaques do portfólio do RBRP11

Em relação ao seu portfólio, o fundo fechou o mês de janeiro com 10 ativos, com vacância de 13%, localizada em ativos pontuais. 

Em relação ao ativo, River One, a gestora juntamente com a administração do edifício aprovou o valor do condomínio para o 2022, próximo de R$ 13,50/m². 

Para a gestora, o valor do condomínio pode ser um atrativo para futuras novas locações. As empresas que procuram área para locação sempre analisam o valor do aluguel, condomínio e IPTU. 

Além disso, o fundo segue com dois ativos em reformas. O retrofit no Ed. Delta Plaza teve início em dezembro/2021 e visa a valorização do ativo. A previsão de término é março/2022. 

Já a obra do Centro Empresarial Mário Garnero está na reta final, confirmou a gestora. O retrofit deixou o edifício ainda melhor, sobretudo com a atualização de aspectos técnicos e estéticos do prédio.

Em relação ao Ed. Castello Branco, o imóvel teve o encerramento do contrato de locação da INB (Indústrias Nucleares do Brasil) e devolução do 24º andar do prédio. A gestora disse estar focada na locação do andar junto às grandes consultorias do Rio de Janeiro. 

Projeto de desenvolvimento e recuperação do mercado

Além disso, o RBRP11 segue com o projeto de construção de um “corporate boutique”, que foi finalizado. O projeto será protocolado na Prefeitura em fevereiro. 

Conforme mencionado nos relatórios anteriores, o conceito é um ativo com todas as características de um ‘AAA’ em uma localização premium, mas com uma laje menor que 1.000m². Confira nas imagens abaixo:

RBRP11

Desta forma, a gestora comentou sobre a recuperação do mercado e a procura das empresas por novas locações. Em sua visão, a volta aos escritórios depois de um período de contratações gerará demanda por novas áreas mesmo com o trabalho híbrido. Ou seja, isso poderá impactar positivamente o fundo com possíveis locações.

O FII RBR Properties (RBRP11) é um fundo imobiliário de tijolo com investimentos em escritórios.