O‌‌‌ ‌‌‌‌‌‌IFIX‌‌‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌última‌‌‌ terça-feira‌‌‌ ‌‌‌(25)‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ queda ‌‌de 0,17%,‌‌‌ ‌‌terminando‌‌ ‌‌‌o‌‌‌ ‌‌‌dia‌‌‌ ‌‌‌em‌‌ ‌‌2.805 ‌pontos.‌‌‌ ‌‌‌No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ março ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022,‌‌‌ ‌‌‌a‌‌‌ ‌‌‌variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌0,91%‌‌‌ ‌‌‌e‌‌‌ 0,01%‌‌,‌‌‌ ‌‌‌respectivamente.‌‌‌ ‌Em resumo, ‌‌‌ CPTS11 explicou como tem feito a reciclagem de sua carteira e SNFF11 comentou sua estratégia de ganho de capital, sendo os destaques do dia. 

Neste Bom Dia FIIs, ambos os fundos comentaram como suas estratégias para geração de valor para os cotistas têm alcançado resultados, ainda que as dificuldades conjunturais - juros elevados, taxa selic em alta - estejam presentes. 

Confira‌‌ ‌‌as‌‌ ‌‌principais‌‌ ‌‌notícias‌‌ ‌‌do‌‌ ‌‌mercado‌‌ ‌‌de‌‌ ‌‌FIIs:‌‌

CPTS11 faz giro na carteira sem aumentar riscos

O FII Capitânia Securities II (CPTS11), com gestão da Capitânia Investimentos, divulgou nesta terça-feira (25) o seu relatório gerencial do mês de março. Deste modo, o fundo explicou como faz a reciclagem de sua carteira, aumentado a taxa de retorno de suas operações. 

O CPTS11 informou a distribuição de R$ 1,10 por cota, que equivale a 147.52% do CDI (descontado imposto de 15%) em relação à cota de mercado. A gestora reforçou que, desde o início do fundo em 2014, o Capitânia Securities II apresenta um retorno anualizado de 11,8%. Essa performance é equivalente a 167.35% do retorno do CDI líquido. Confira:

CPTS11 fiis

A gestora comentou que, em março, a inflação prosseguiu resistente. Isto beneficiou o fundo, uma vez que seus ativos estão atrelados em quase sua totalidade ao IPCA. Por isso, o CPTS11 segue firme na estratégia de reciclagem de carteira sem aumento de risco. 

Estratégia de ganhos com menor risco

Na explicação da gestora, sua estratégia consiste em refazer o mesmo tipo de transação desembolsada pelo fundo recentemente em termos de risco, porém com uma taxa superior em função do aumento das taxas de juros. 

Junto a isso, o CPTS11 vai continuar vendendo CRIs no mercado secundário para abrir espaço para novas aquisições com taxas ainda melhores. Na visão da gestora, essa reciclagem vem sendo feito com bastante sucesso, uma vez que o fundo apresentava uma taxa média ponderada de aquisição dos papéis de 5.92% há 12 meses atrás, em Abril/2021, e hoje este número está em 6.40%. 

Neste aspecto, o fundo mostrou seu pipeline, isto é, as próximas operações que estão no seu planejamento.  São investimentos que serão desembolsados entre IPCA + 6.90% e 7.50% e contribuirão para elevar ainda mais esta taxa ponderada da carteira.

“Os papéis de menor risco foram justamente os mais rentáveis, em função de sua liquidez e possibilidade de ganho de capital”, garantiu a gestora.

O Capitânia Securities II, conforme consta no relatório, é um FII constituído sob a forma de condomínio fechado cujo objetivo é proporcionar rentabilidade aos seus cotistas por meio da aquisição preponderantemente de ativos de origem imobiliária.

SNFF11‌ explica sua estratégia de ganho de capital

A‌ ‌‌Suno‌ ‌Asset‌,‌ ‌gestora‌ ‌do‌ ‌‌Suno‌ ‌Fundo‌ ‌de‌ ‌Fundos‌ ‌(SNFF11)‌,‌ ‌informou‌ ‌nesta‌ ‌última‌ sexta-feira‌ ‌(18)‌ ‌os‌ ‌resultados‌ ‌e‌ ‌rendimento‌s ‌referentes‌ ‌ao‌ ‌mês‌ ‌de‌ março.‌ Também,‌ ‌a‌ ‌gestão‌ divulgou as operações realizadas e comentou sua estratégia de ganhos para o fundo. 

O resultado referente ao mês de março foi de R$0,64 por cota. Porém, o fundo distribuiu R$0,65, assumindo ainda uma reserva acumulada de R$0,39 por cota. 

A gestora explicou que alguns gastos impactaram negativamente as despesas do fundo, como por exemplo, os custos para operação de venda (short) com o VRTA11. Confira abaixo:

SNFF11

Estratégia do fundo para ganho de capital

A Suno Asset explicou que o cenário para os fundos imobiliários está mais positivo que nos meses anteriores. Prova disso, é o aumento do número de emissões de cotas de vários FIIs do mercado. 

Neste ponto, a gestora explicou que seguirá aproveitando essas ofertas para fazer operações de arbitragem e lucrar com o giro de carteira. Desta forma, o fundo realiza vendas de cotas e compra recibos com valor menor, aumentando seus ganhos. 

A gestora comentou sobre os investimentos do fundo no mês passado, incluindo as operações de arbitragem realizadas. 

Neste caso, o fundo aproveitou as ofertas dos fundos SNCI11 e BTLG11 para realizar ganho de capital e diminuir preço-médio. Somado a isso, o SNFF11 assumiu seu direito a preferência e sobras na emissão do SNCI11, que também é gerido pela Suno Asset. 

O Suno Fundo de Fundos tem como objetivo investir em cotas de outros fundos de investimento imobiliário e, complementarmente, em ativos ligados ao setor, podendo ser  em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs); letras hipotecárias (LH), letras de crédito imobiliário (LCI) e outros ativos de renda fixa.