O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(25)‌ ‌em alta de 0,01%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.720,95 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ agosto ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ -3,65%‌ ‌e‌ -5,19%,‌ ‌respectivamente.‌

Já o ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ baixa ‌de‌ -0,11%‌ ‌‌e‌‌ ‌98,90 pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento FIIs

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

MXRF11 demonstra resultados e investimentos

A gestão do Maxi Renda FII (MXRF11), detalhou em seu relatório gerencial divulgado na quarta-feira (25), a performance do fundo no mês de julho. Desta forma, a gestora XP Asset Management publicou os resultados do FII e detalhou sobre seus investimentos. 

No que se refere aos resultados do mês de julho, a distribuição foi de R$ 0,07 por cota comunicada, no último dia útil do mês de julho. Confira na tabela abaixo:

MXRF11

Para a XP Asset, a distribuição no mês aos detentores da cota no valor da cota patrimonial R$ 10,06, representa aproximadamente 195,58% do CDI no período Considerando o valor de fechamento da cota no mês (R$ 10,16) o resultado equivale a 193,74% do CDI no período

Também, a gestão reforçou que referente a julho foi distribuído o montante equivalente a 99,76% dos lucros apurados segundo o regime de caixa.

Movimentação da carteira do fundo

No tocante aos investimentos em CRIs, a gestão continuou com a estratégia de reciclagem de portfólio, com destaques para as vendas dos CRIs FS Bioenergia, Dasa, Tecnisa e HBR – Multiativos. A liquidação desses ativos gerou ganho de capital ao MXRF11 de R$ 4,09 milhões. 

Outras vendas também foram realizadas, com as liquidações dos CRIs Helbor – Multirenda II, Cemara, GPA, General Shopping, Via Varejo e Vitacon. O valor total dessas operações foi de de R$ 193,81 milhões. 

Em relação ao portfólio de FIIs, o fundo integralizou novas chamadas de capital nos FIIs Rooftop I (ROOF11) e Succespar Varejo (SPVJ11) no valor total de R$ 3,79 milhões. 

No book de permutas financeiras, a gestão disse que o MXRF11 investiu R$ 12,90 milhões. 

Com maior caixa oriundo das vendas, o fundo gastou R$ 122 milhões em novos investimentos, sendo que foi realizada uma compra de R$ 42,00 milhões no CRI RCP e R$ 15,38 milhões em nova tranche do CRI Unitah.

O MXRF11 também investiu R$ 65,00 milhões no FII GTIS Brazil Logistics (GTLG11), até a presente data. 

A gestão lembrou que o fundo tem como objetivo de alocação, 80% do patrimônio líquido em “CRIs com bons nomes de crédito, com carregos atraentes e alto potencial de ganho de capital recorrente”. Confira nos gráficos abaixo o perfil do fundo:

MXRF11

Como complemento, o objetivo do fundo é investir até 20% do seu patrimônio líquido em "Permutas Financeiras“, que possuem boa rentabilidade, com retornos da ordem de INCC + 13% a.a. 

O Maxi Renda FII é um fundo de papel com objetivo de rentabilizar por meio da aplicação de seus recursos em ativos financeiros com lastro imobiliário, tais como CRI, Debênture, LCI, LH e cotas de FIIs.

MORE11 informa resultados e rendimentos do mês

A gestão do More Real Estate Fundo de Fundos (MORE11), detalhou em seu Relatório Gerencial divulgado na quarta-feira (25), a performance do fundo no mês de julho. Desta forma, a More Invest Gestora de Recursos publicou os resultados do FII e descreveu suas operações no mercado.

Em relação aos resultados, o fundo distribuiu a parcela de dividendos que ficaram retidos do último mês. Desta forma, houve aumento na distribuição aos cotistas para R$ 0,70 referente a julho. Confira abaixo: 

MORE11

A gestora ressaltou que até o mês passado, o MORE11 completou mais de R$ 1,90/cota de ganho de capital, com giro médio acima de 10% do fundo por mês. Dessa forma, o fundo deve manter sua distribuição de dividendos neste semestre entre 0,60 e 0,80/cota – em linha com o estudo de viabilidade da oferta.

Movimentação da carteira

Em julho, o fundo comprou cotas do ALZR11, aproveitando a oferta 476 do ativo citado.  Esse é um fundo conhecido da maioria dos investidores que transitam muito bem entre corporativo, logístico e renda urbana, sempre com contratos longos e bem montados.

Na ponta vendedora, o fundo vendeu integralmente sua posição em RECR11. A gestora disse que ainda gosta do produto e da estratégia, mas entende que no momento atual, dado o preço do mercado secundário, existem opções mais interessantes no mercado.

Confira abaixo como ficou o portfólio do fundo após as novas operações:

MORE11

O More Real Estate Fundo de Fundos tem como objetivo auferir rendimentos e ganhos de capital na aquisição de FIIs e outros ativos ligados ao mercado imobiliário.

RBDS11 não distribuirá rendimentos este mês

O RB Capital Desenvolvimento Residencial II (RBDS11) representado por sua gestora RB Capital Asset, comunicou na última quarta-feira (25) que não distribuirá rendimentos este mês. A gestora também mostrou a carteira de fundo e falou sobre as projeções para este segundo semestre.

O RBDS11 tem por objetivo investir em permutas físicas e financeiras, ou estruturas similares, de projetos residenciais; e adquirir participações societárias em SPE que desenvolvem empreendimentos imobiliários residenciais que geralmente estão em fase inicial de incorporação.

Em julho, o RBDS11 não realizou distribuições ou amortizações de capital. No entanto, a gestão reforça que o fundo já retornou aos seus cotistas um múltiplo de 1,80 frente a cota investida inicialmente e tem uma projeção de múltiplo de 1,81 com expectativa final de retorno do fundo em 7,0% a.a. acrescido da variação do INCC (14,6% a.a. nominal).

Em junho de 2021, o fundo conseguiu comercializar as últimas unidades do estoque, cujos valores devem ser monetizados nos próximos meses. 

Desta forma, a gestão permanece ativa para liquidação do ativo remanescente, sendo que o fundo não possui mais unidades pendentes de comercialização. Em relação aos passivos judiciais existentes, informamos que a estrutura patrimonial do fundo conta com caixa para fazer frente às ações atualmente em andamento que, em sua maioria, estão relacionadas à reclamação de mutuários e compradores de unidades residenciais. 

A carteira do FII possui 23 empreendimentos com obras 100% concluídas, e 22 empreendimentos imobiliários já 100% desinvestidos. Confira na tabela abaixo:

RBDS11

Por fim, o gestor do fundo permanece atuando para liquidação do ativo remanescente o qual não possui mais unidades pendentes de comercialização, apenas passivos judiciais.