O‌ ‌‌IFIX‌‌ fechou ‌a‌ ‌última‌ quarta-feira‌ ‌(28)‌ ‌em queda de -0,02%,‌ terminando ‌o‌ ‌dia‌ ‌em 2.816,91 pontos.‌ ‌No‌ ‌acumulado‌ ‌do‌ ‌mês‌ ‌de‌ ‌julho ‌e‌ ‌do‌ ‌ano‌ ‌de‌ ‌2021,‌ ‌a‌ ‌variação‌ ‌do‌ ‌índice‌ ‌é‌ ‌de‌ 2,25%‌ ‌e‌ -1,85%,‌ ‌respectivamente.‌ ‌

Já ‌‌o‌‌ ‌‌índice‌‌ ‌‌‌‌SUNO30‌‌‌‌ ‌‌fechou‌‌ ‌‌em‌‌ alta ‌de‌ ‌0,04%‌ ‌‌e‌‌ ‌102,81 ‌pontos.‌‌ ‌‌Veja‌‌ ‌‌na‌‌ ‌‌tabela‌‌ ‌‌‌ ‌abaixo:‌‌ ‌ 

fechamento 28/07 fiis

Confira as principais notícias do mercado de FIIs:

BLMG11 informa resultados e rendimentos do mês

A administradora de fundos Vortx DTVM Ltda. e a gestora BlueMacaw Gestora de Recursos Ltda. do fundo imobiliário BlueMacaw Logística (BLMG11) comunicou ao mercado nesta quarta-feira (28) os resultados e rendimentos do mês de junho.

O objetivo do fundo é investir em ativos resilientes, com alto potencial de geração de renda, nos setores de galpões logísticos e industriais localizados em todo o território nacional, com foco principal na região sudeste e em ativos com exposição ao mercado de e-commerce.

Em Junho deste ano, a distribuição de rendimentos do fundo foi de R$ 0,90/cota, equivalente ao dividend yield anualizado de 10,8% e 10,3% calculado sobre a cota da 1ª e 2ª Emissão, respectivamente. Observe abaixo:

BLMG11

A gestão explicou que a distribuição de dividendos do mês reflete a geração de caixa recorrente do BLMG11, contemplando as recentes aquisições. Desde o início de suas operações até final do mês de Maio, o fundo apresenta uma taxa interna de retorno de 9,6%, calculada sobre o valor da cota da 1ª Emissão de R$ 100 por cota e incluindo rendimentos distribuídos neste período.

O investimento em aquisições de imóveis foi de R$ 986 milhões. A gestão pontuou que no momento, 91% dos investimentos do fundo está alocado direta ou indiretamente em imóveis, sendo que aproximadamente R$ 18 milhões (2% do ativo) estão alocados em renda fixa. 

Também, o BLMG11 possui obrigações atreladas a certificados de recebíveis imobiliários (CRI) que foram emitidos para aquisição dos ativos BMLog Rio, BMLog Extrema e BMLog Jandira. Confira abaixo o perfil do portfólio do fundo:

BLMG11

As obrigações do fundo relacionadas ao pagamento dos CRIs totalizam R$ 551 milhões, dos quais R$ 533 milhões estão indexadas ao IPCA, o mesmo índice reajuste de 86% dos contratos de locação dos ativos e o vencimento desse montante também coincide com o prazo de locação dos contratos típicos e atípicos. 

A gestão ressaltou que o retorno financeiro dos imóveis têm sido utilizados para cobrir os custos das operações de securitização. Prova disso é que, nos próximos 12 meses, o fluxo esperado da receita bruta imobiliária é de aproximadamente R$ 71 milhões, enquanto, no mesmo período, as parcelas das operações de CRI do portfólio totalizam aproximadamente R$ 23 milhões. 

PATL11 informa resultados e possibilidade de aquisição de imóveis

O FII Pátria Logística (PATL11), com gestão da Pátria Investimentos, divulgou nesta quarta-feira (28) os resultados e rendimentos do mês de junho. Como complemento, o fundo divulgou a possibilidade de compra de novos imóveis para composição do seu portfólio de investimentos. 

Referente ao mês de junho, o PATL11 distribuiu R$ 0,57 por cota aos investidores. A Pátria Investimentos afirmou que a intenção do fundo é manter o patamar de R$ 0,57 para o restante de 2021. Esse valor corresponde a um dividend yield anualizado de 8,2% a.a. aos níveis de preço do final de junho.  

Em relação aos ganhos do mês, por causa da correção pelo IPCA do aluguel do inquilino Multiterminais, houve um considerável aumento na receita imobiliária do fundo. Somado a isso, os FII que compõem a carteira do PTAL11 geraram bons dividendos. 

Confira na tabela abaixo os resultados do fundo:

PATL11

Relações com inquilinos e movimentação na carteira

O fundo renovou contrato de locação com a empresa Xerox no imóvel de Itatiaia, com extensão de locação por mais 48 meses (até 30 de junho de 2025). Também, a gestão segue confiante para fechar a locação de pelo menos um módulo no imóvel de Ribeirão das Neves nos próximos 2 meses. 

Desta forma, o foco da gestão está na locação do imóvel de Ribeirão das Neves e tem exclusivamente dedicada a esta finalidade. Porém, a vacância deste imóvel, informou a gestão, “está sendo atualmente remunerada por um contrato de renda garantida que se encerra em fevereiro de 2022”. 

O fundo tem 4 imóveis que estão no radar para aquisição, sendo que 2 deles em estágio mais avançado. O plano é justamente utilizar o capital atualmente investido em FIIs e renda fixa e, eventualmente, “algum instrumento de alavancagem se fazendo valer do portfólio atual de ativos A+ e alto percentual de contratos BTS (80% da receita imobiliária)”, disse a gestão. 

A expectativa do fundo é que as novas aquisições possibilitem uma maior diversificação do portfólio, com imóveis de qualidade e localizações estratégicas. “Na melhor estimativa do gestor, as quatro aquisições têm o potencial de melhora no dividendo de até R$0,06”, cravou a gestora. 

“Ao final do mês de junho, os imóveis correspondem a 84% dos ativos do PATL11, totalizando 132.198 m² de área bruta locável no portfólio”, explicou a gestora. Como complemento,13% dos ativos do fundo - cerca de R$ 64,3 milhões - estavam alocados em FIIs logísticos. Observe no gráfico abaixo:

PATL11

Porém, para a aquisição dos imóveis o PATL11 realizará venda das posições cotas de FIIs do seu portfólio. 

O objetivo do FII Pátria Logística (PATL11) é a obtenção de renda e eventual ganho de capital através da seleção, aquisição e administração ativa de um portfólio de imóveis logísticos e industriais, construídos ou em construção.