O Fundo de Investimento Imobiliário Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos (BPFF11), administrado pela Genial Investimentos Corretora de Valores Mobiliários, divulgou nesta sexta-feira (5) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O gestor do BPFF11 destacou que no mês de fevereiro ocorreu uma piora na situação da pandemia no Brasil, em meio ao ritmo lento de vacinação e a retomada de medidas de restrição de mobilidade urbana.

Além disso, o Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos ressaltou a incerteza em relação à questão fiscal do Brasil no mês de fevereiro, principalmente no que se refere ao desenrolar das discussões sobre a PEC Emergencial. Vale lembrar que a PEC Emergencial foi votada em março no Senado e a perspectiva fiscal quanto a isso não ficou tão negativa.

O BPFF11 afirmou que apesar de um cenário mais negativo para outras classes de ativos, o IFIX apresentou uma alta de 0,25%. O Ibovespa no mesmo período caiu 4,37%. Mas a curva de juros e a perspectiva da inflação para o final do ano tiveram crescimento.

Segundo o Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, os fundos imobiliários do segmento de CRI seguem como destaque devido aos elevados níveis de inflação dos últimos períodos, tanto do IPCA como do IGP-M. Destacou-se também o fato de que os segmentos de lajes corporativas e de shopping centers terem voltado a ser impactados negativamente pelo agravamento da pandemia.

O Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos acredita que mesmo com o país tendo uma baixa oferta de vacinas, o ritmo de vacinação pode aumentar no segundo trimestre do ano, desde que se tenha a aprovação e aquisição de outros imunizantes, aliado ao início da produção de doses da Astrazeneca em março.

O BPFF11 diz que esses fatores podem encurtar ou amenizar um novo período de restrições mais duras. Desse modo, pode-se aliviar a pressão sobre alguns segmentos do setor imobiliário mais impactados e melhorar a perspectiva em termos de recuperação econômica do Brasil.

Resultados, rendimentos e portfólio do BPFF11

O total de receitas do BPFF11 no mês de fevereiro foi de R$3,25 milhões, dos quais cerca de R$2,47 milhões vem de rendimentos de fundos. O total de despesas no período foi de aproximadamente R$288 mil.

A composição das receitas do BPFF11 em fevereiro é distribuída da seguinte forma:

  • Fundos - 75,9%;
  • Ganhos de capital - 22,8%;
  • CRIs - 0,8%;
  • Aplicações financeiras - 0,6%.

BPFF11 divulga resultados, rendimentos e portfólio de fevereiro

O lucro líquido do Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos foi de R$2,96 milhões e o montante distribuído foi de R$2,56 milhões. Com isso, o pagamento de dividendos em fevereiro foi de R$0,57 por cota.

BPFF11 divulga resultados, rendimentos e portfólio de fevereiro

Na carteira do BPFF11 as 5 maiores posições em ativos em percentual do patrimônio líquido do fundo são:

  1. KNIP11 - 8,4%;
  2. BRCR11 - 4,7%;
  3. HGRU11 - 4,0%;
  4. XPLG11 - 3,0%;
  5. BTLG - 3,7%.

Além disso, temos a divisão da carteira do Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos por segmento em relação à parcela alocada, que se dá da seguinte forma:

  • Recebíveis - 42,8%;
  • Logística - 21,3%;
  • Lajes Corporativas - 17,5%;
  • Shopping - 12,5%;
  • Renda Urbana - 5,9%.

BPFF11 divulga resultados, rendimentos e portfólio de fevereiro

O BPFF11 teve início no dia 8 de abril de 2013, completando recentemente 8 anos desde que começou. O patrimônio líquido do fundo até o final de fevereiro era de quase R$388,91 milhões. A quantidade de cotas do fundo é de 4,49 milhões. Com isso, o fundo encerrou o mês com um valor patrimonial da cota de R$86,57.

Além disso, o valor de mercado da cota do Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos até o dia 26 de fevereiro foi de R$79,00. Em meio a esses números, a variação da cota a mercado no mês foi de -1,67%, enquanto da cota patrimonial foi de -0,54%.