A BTG Pacual, gestora do FII BTG Pactual Agro Logística (BTAL11), comunicou na última terça-feira (20) aos seus investidores, a formação do seu portfólio. Também, a gestora aproveitou para fazer uma análise do crescimento do agronegócio brasileiro.

Em fevereiro, o BTAL11 finalizou sua última emissão de cotas, com a captação de R$ 624, 119 milhões.

Consequentemente, o fundo obteve maior caixa para fazer aquisições e investimentos para aumentar seu portfólio. Tudo isso, na visão do BTG Pactual, foi feito com o objetivo de “alocar os recursos com celeridade, eficiência e transparência”. 

A gestora do BTAL11 também reforçou que o fundo busca a diversificação dos seus ativos, em termos com claro enfoque logístico nos seguintes segmentos: 

  • Terminal ferroviário de açúcar 
  • Terminal de fertilizantes
  • Portuário de insumos para o setor de celulose. 

Além disso, o BTG Pactual informou que foi adicionado “excelentes ativos de armazenagem ao portfólio do Fundo, com foco em propriedades novas e de grande valor estratégico para seus operadores”. 

Portanto, o portfólio do BTAL11 reúne atualmente 10 ativos, entre os quais: 

  • Oito imóveis inseridos na cadeia logística do setor (2 operações de Built-to-Suit e 6 de Sale-&-Leaseback) 
  • Investimento em dois CRIs (com garantia real de imóveis do agronegócio). 

No gráfico abaixo, é possível observa uma "linha do tempo das aquisições do fundo:

BTAL11

BTAL11

A gestão afirmou dar total especial atenção à proteção do fluxo de aluguéis ao cotista, “introduzindo diversas garantias adicionais, entre elas: 

  • Contratos take-or-pay 
  • Seguro locatício 
  • Aval de acionistas
  • Contratos atípicos de locação em todos os imóveis

Mesmo que o fundo seja direcionado para o setor do agronegócio, a gestão destacou que os contratos de locação dos ativos do portfólio “são fixos, reajustados pelo IPCA, e sem nenhuma influência da cotação das commodities”. 

Análise do setor do agronegócio brasileiro

O BTG Pactual fez uma pequena interpretação do atual cenário econômico do agronegócio: seus desafios e ganhos recentes.

Mesmo com o agravamento da pandemia e a crise econômica brasileira, o agronegócio tem se mantido forte. A gestão do BTAL11 frisou que, embora o PIB brasileiro tenha caído 4,1% em 2020, “o setor agro cresceu 2%”.

  O que sustenta esse negócio é, basicamente, a “necessidade crescente e permanente por proteínas vegetais e animais da nova classe média dos países emergentes asiáticos e do Oriente Médio”, afirmou o BTG Pactual.

Diante da demanda crescente, o setor produtivo brasileiro tem feito seu papel para atender esses mercados. Além disso, a desvalorização do real e o aumento da safra são fatores que fortalecem ainda mais o setor.

Mesmo assim, o agronegócio possui desafios. Mesmo com boa oferta de produtos, “a precariedade da infraestrutura/armazenagem diminuem sua rentabilidade e competitividade. 

Por esse e outros motivos, o BTAL11 “foca em ativos estrategicamente localizados nas regiões que apresentam maior déficit de infraestrutura/armazenagem e localizadas nos corredores de escoamento mais importantes do Brasil”, destacou sua gestão. 

Conheça o BTAL11

O FII BTG Pacual Agro Logística (BTAL11) é um fundo do tipo tijolo com foco no segmento logístico e industrial ligado ao agronegócio. Porém, o fundo tem investido tanto em imóveis quanto em outros ativos como CRIs, LCIs entre outros.

Desta forma, o FII BTG Pactual Logística possui patrimônio líquido de R$600 milhões e tem aproximadamente 5.982.736 de cotas emitidas. Em março, o fundo distribuiu R$0,35 por cota. Veja na tabela abaixo:

BTAL11

Para quem deseja investir no BTAL11, o preço atual da sua cota é de R$ 104,02 (atualização 20/04), sendo sua taxa de administração de 1,10%a.a. sobre patrimônio líquido ou valor de mercado do fundo se o fundo fizer parte de índice de mercado (IFIX).