O Fundo de Investimento Imobiliário Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11), administrado pelo Vórtx DTVM Ltda., divulgou nesta segunda-feira (26) o seu relatório gerencial do mês de maio, no qual descreveu seu resultado e rendimento mensal, assim como a atualização de seu portfólio.

O objetivo do Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11) é conseguir rendimentos e ganhos de capital com aplicações em ativos financeiros por meio de lastro imobiliário. Esses ativos se tratam basicamente de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

O DEVA11 disse que no dia 10 de junho, o fundo realizou a conclusão de sua quarta emissão de cotas. Nesse sentido, a totalidade das novas cotas foram subscritas e integralizadas. Isso inclui o montante adicional, que corresponde a cerca de R$ 450 milhões.

Outro ponto destacado pelo gestor do DEVA11 foi o aumento da base de cotistas, que cresceu cerca de 38% de um mês para outro. A expectativa da gestão é de que a “conversão dos recibos ocorrerá entre os dias 12 e 16/07”. O fundo acrescenta seu agradecimento aos “quase 32 mil investidores pela confiança em nosso trabalho”.

Portfólio do Devant Recebíveis Imobiliários

Durante o mês de maio, o DEVA11 destacou três novos ativos que foram adquiridos, que são:

  1. Colméia Living Garden: CRI lastreado nos recebíveis que corresponde a 0,5% da carteira;
  2. Colméia Vision: Representa 1,7% da carteira total e com remuneração de IPCA + 12% ao ano;
  3. Solaris Sul: CRI lastreado nos recebíveis que representa 0,3% da carteira total

A diversificação do Devant Recebíveis Imobiliários por ativo se divide em:

  • 64% em CRIs;
  • 27% em caixa;
  • 9% em FIIs.

Por setor, essa diversificação da carteira do DEVA11 se dá da seguinte forma:

  • Multipropriedade - 29%;
  • Corporativo - 28%;
  • Loteamento - 26%;
  • Shopping - 11%;
  • Incorporação Vertical - 4%;
  • Time Sharing - 2%.

DEVA11 divulga resultados e atualiza portfólio do mês de maio

A taxa média ponderada da carteira do DEVA11 que está indexada à inflação cresceu 0,06%, resultando em 10,70% + inflação. Enquanto isso, a exposição do fundo ao IGP-M cresceu 0,37% e o IPCA variou -0,18%. No total, foram realizadas 36 operações na carteira de CRI.

Resultados e rendimentos do DEVA11

No mês, o DEVA11 distribuiu R$ 1,10 por cota aos detentores do fundo. Esse valor representa um dividend yield de 1,10% e o Dividend Yield Gross Up CDI foi de 479,67%. Além disso, ocorreu também a distribuição de R$ 0,13 adicionais aos detentores das cotas do DEVA13.

O Devant Recebíveis Imobiliários tem 9.625.097 de cotas emitidas. O número de cotistas chegou a marca de 31.999 investidores. A taxa de administração do fundo é 0,20% ao ano e a taxa de gestão é 1,00% ao ano. A taxa de performance é 10% do que exceder 100% do CDI.

O patrimônio líquido do DEVA11 alcançou a marca de quase R$ 960,64 milhões. A cota patrimonial do fundo é de R$ 99,80 ao final do mês de maio, enquanto a cota de mercado atingiu os R$ 103,96. O valor de mercado do fundo é de pouco mais de R$ 1 bilhão.