SNAG11 investe R$ 40 milhões em novo CRA; Quais são os riscos da operação?

O Fiagro SNAG11 realizou um novo investimento de R$ 40 milhões em novo CRA e a gestão explicou quais são os riscos da operação. Confira.

SNAG11 investe R$ 40 milhões em novo CRA; Quais são os riscos da operação?
SNAG11 investe R$ 40 milhões em novo CRA. Foto: Pixabay

Em seu novo relatório gerencial de setembro, o Fiagro SNAG11 divulgou uma importante movimentação na sua carteira de ativos. Os primeiros recursos vindos de sua 3ª emissão de cotas foram usados para comprar um novo título de dívida de baixo risco de crédito, o CRA Leitíssimo.

O novo investimento do fundo SNAG11 somou o valor de R$ 40 milhões. A operação tem uma taxa de CDI + 5,00% ao ano que, conforme aponta o relatório gerencial, é “consideravelmente acima do carrego médio do fundo”.

Essa operação elevou o carrego médio do portfólio de CRAs de CDI + 3,00% ao ano, para CDI + 3,26% ao ano, em meio a busca da gestão em investir em ativos com “retorno e com risco adequado”.

“Essa operação corporativa marca a entrada do fundo no setor de laticínios. Vale ressalva para o fato de que a originação e estruturação do CRA foi realizado pelo próprio time da Suno Asset o que proporciona uma operação com alinhamento de estrutura, risco & retorno, além de não ter sobreposição com outros ativos de outros fiagros”, explicou a gestão.

A Leitíssimo é uma companhia com foco de atuação na fabricação e comércio de leite longa vida do tipo UHT e derivados. Ela conta com mais de 20 anos de existência e a gestão aponta ser uma empresa de geração de caixa “robusta”, além de ter uma “baixa alavancagem financeira”.

A gestão considera que o novo CRA adquirido tem uma “boa rentabilidade e baixo risco”, e atualmente representa 12% do patrimônio líquido provisório do Fiagro, com rating A3.

Resultados do SNAG11

No mês de setembro, o SNAG11 registrou um resultado de R$ 3,664 milhões, equivalente a R$ 0,12 por cota. O relatório aponta que esse valor superou de forma significativa os lucros anteriormente acumulados de R$ 1,564 milhão, ou R$ 0,05 por cota.

Referente ao resultado do mês, os dividendos do SNAG11 foram de R$ 0,10 por cota, enquanto os detentores dos recibos receberam R$ 0,04 cada. No mês anterior, a distribuição tinha sido de R$ 0,12 por cota.

“É importante mencionar que o pagamento de R$ 0,10 por cota reflete, em partes, a queda da taxa do CDI, que vem ocorrendo desde agosto”, destaca a gestão do Fiagro.

Vale ressaltar que 92% dos ativos do SNAG11 têm exposição em investimentos associados ao CDI, sendo que a taxa é de CDI + 3,26% ao ano.

foto do autor: João Vitor Jacintho
João Vitor Jacintho

Redator profissional, com atuação no mercado editorial na produção de notícias e conteúdos sobre o mercado de ações, criptomoedas, fundos imobiliários e economia popular. Graduando em Engenharia Química pela Unesp, também já trabalhei como consultor financeiro.

últimas notícias