GALG11 anuncia fim do período de sobras e 5ª emissão de cotas entra em “contagem regressiva”

Fundo divulga arrecadação do período de sobras; emissão termina na próxima quarta-feira (29)

GALG11 anuncia fim do período de sobras e 5ª emissão de cotas entra em “contagem regressiva”

Nesta segunda-feira (27), o fundo imobiliário GALG11 divulgou o fim do período de sobras da sua 5ª emissão de cotas. Além disso, os investidores têm apenas até quarta-feira (29) para a subscrição das novas cotas. 

O preço de subscrição é de R$ 9,17, incluindo a taxa de distribuição. O fundo gerido pela Guardian Gestora encerrou o pregão da última sexta-feira cotado a R$ 9,35, refletindo um prêmio próximo de 2.8% sobre seu valor patrimonial.

O objetivo do GALG11 é alcançar até R$ 625 milhões com a nova oferta de cotas, contando com o lote adicional.

Segundo o prospecto da oferta, o FII pretende adquirir novos imóveis do setor de renda urbana, com lojas dos Varejistas GPA e Grupo Mateus. A gestora pretende aumentar a diversificação tanto do tipo de ativos quanto dos inquilinos do fundo. 

O GALG11, um fundo originalmente logístico, quer se posicionar no segmento Hibrido. Inclusive, após a emissão, a assembleia de cotistas decidirá pela troca do nome do fundo para FII Guardian Real Estate (GARE11).

A partir da emissão, o estudo de viabilidade projeta uma redução de mais de 30% do patamar de alavancagem atual do fundo, chegando a 26%.

No período de exercício do direito de Preferência e no de Subscrição de Sobras e de Montante Adicional, o fundo arrecadou o equivalente a R$15.19 milhões. 

LEIA TAMBÉM:

GALG11 também anuncia possível venda de imóvel

No dia 17 de novembro, a gestora do GALG11 divulgou o recebimento de proposta de venda de galpão logístico, locado à BRF S.A. A possível transação do imóvel localizado em Salvador-BA deve gerar lucro aos cofres do FII, além de reduzir sua alavancagem.

Conforme a publicação, o valor de aquisição apresentado na proposta é de R$280 milhões, acima do valor patrimonial apresentado no informe anual em março deste ano. O “Lucro Bruto Estimado” desta transação é de R$ 72 milhões. Após as deduções, o lucro contabilizado para o fundo será de R$ 0,84 por cota.

A Guardian Gestora afirma que a rentabilidade gerada pelo imóvel durante sua presença na carteira do GALG11 é de um retorno total de 86%, com uma Taxa Interna de Retorno (TIR) de 23,5% a.a., equivalente a uma taxa de IPCA + 16,71% a.a..

Tags
foto: Gustavo Silva
Gustavo Silva

Jornalista com doutorado pela UFMG e produtor de conteúdo da unidade de mídias da Suno. Também trabalha no Suno Notícias e Funds Explorer, fazendo a cobertura de FIIs, Fiagro e FI-Infra.

últimas notícias