A Supernova Capital, administradora do fundo GGR Copevi Renda (GGRC11), informou aos cotistas nesta última quarta-feira (19) os resultados do mês de fevereiro. Também, a gestão aproveitou para fazer uma análise do momento econômico do país.

O fundo distribuiu R$0,60 por cota referente ao resultado do mês de fevereiro de 2021. Os pagamentos foram realizados no sexto dia útil do mês de março. Observe na tabela abaixo:

GGCR11

A gestora reforçou que o rendimento do fundo foi impactado pela “menor receita financeira das aplicações do caixa, devido ao menor número de dias úteis”. Por outro lado, os custos do mês foram influenciados pelas despesas do envio dos informes de rendimentos, que conta com uma base de 91.022 (noventa e um mil, vinte e dois) investidores. 

Como complemento, a gestão comemorou o fato do GGRC11 não apresentar vacância física e financeira em seu portfólio, “encerrando o mês de fevereiro totalmente adimplente”.

Conjuntura econômica

Com a aceleração mundial da vacinação contra a Covid-19, a gestou ressaltou houve um “aumento das possibilidades de abertura econômica nos países desenvolvidos”. Nos Estados Unidos, “uma combinação da vacinação com a aceleração de programas de injeção de capital nos Estados Unidos e na União Europeia, geraram um cenário desafiador para os mercados emergentes”, reforçou a Supernova Capital. 

No cenário brasileiro, a gestora do GGRC11 lamentou as “declarações do poder executivo nas últimas semanas e a interferência governamental em empresas estatais”. Na visão da Supernova Capital, tudo isso aumenta a tensão no ambiente econômico.

Na avaliação da gestora, a pior consequência disso é o “aumento de juros no curto prazo visando segurar a inflação, que já dá sinais de força em alguns setores da Economia. A inflação projetada para o ano já se aproxima de 5%, muito acima da meta de inflação do Banco Central do Brasil que é 3,75%”. 

Os setores industrial e logístico têm apresentado uma dinâmica um pouco melhor que o restante da economia, ressaltou a gestora. Tanto é que nas “últimas semanas observou-se um aumento nos índices de confiança do setor industrial e do comércio”, pontuou a gestão do GGRC11. 

O portfólio do fundo

O nível de utilização da capacidade instalada também retornou para média histórica desde 2005 com redução de estoque na indústria. Essa combinação de fatores é um bom cenário para o portfólio do fundo, uma vez que a maioria das empresas locatárias dos ativos tem relação direta com o aumento da atividade econômica na indústria e no varejo. 

Por fim, a Supernova Capital informou que, em fevereiro, o GGRC11 passou a receber o aluguel reajustado dos seguintes imóveis:

  • Galpão logístico da Hering, localizado em Anápolis
  • Imóvel locado para Cepalgo, localizado em Aparecida de Goiânia, 
  • Galpão logístico industrial da Jefer localizado em Betim, no Estado de Minas Gerais

Esses reajustes representam um incremento de aproximadamente 0,908% na receita de aluguel total do fundo. 

Observe abaixo os indexadores dos imóveis do fundo e o vencimento dos contratos: 

GGCR11

Conheça o GGRC11

O GGR Copevi Renda tem como objetivo a realização de investimentos em imóveis comerciais, predominantemente no segmento industrial e logístico, com a finalidade de locação atípica (built to suit, sale and leaseback ou retrofit) ou venda, desde que atendam aos critérios e à política de investimento do Fundo descritos no regulamento. 

Desta forma, o fundo  possui patrimônio líquido de R$965 milhões e tem aproximadamente 10.760.855 de cotas emitidas. O valor patrimonial das cotas é de R$124,50. 

Para quem deseja investir no GGRC11, o preço atual da sua cota é de R$117,89 (valor atualizado dia 19/05), sendo sua taxa de administração de 1,10%a.a. sobre patrimônio líquido ou valor de mercado do fundo se o fundo fizer parte de índice de mercado (IFIX).