A gestão do fundo imobiliário GSFI11 publicou comunicado para informar seus cotistas e ao mercado em geral a atualização do valor justo das participações do fundo.

A análise foi procedida pela CRBE, empresa líder mundial em consultoria na área de locação e gestão de imóveis.

A CRBE analisou os 10 shoppings centers que compõem o portfólio do fundo, com data base de 31 de dezembro de 2020.

Nessa nova avaliação, o valor das participações subiu para R$1.460.303.600,00 comparada com R$1.409.938.400,00 no final de 2019.

O aumento de quase R$ 50 milhões na análise dos ativos do fundo representa alteração significativa, que pode alterar a estratégia de investimentos e vir a aumentar os rendimentos aos cotistas.

O GSFI11, os shoppings e a pandemia do Coronavírus

O GSFI11 é um fundo do tipo tijolo com foco no segmento de shoppings centers, que teve início em abril de 2010.

Atualmente o fundo possui patrimônio líquido de aproximadamente R$ 813,5 milhões, com cota patrimonial no valor de de R$ 11,88, e não distribuiu rendimentos no último mês.

Os resultados são um indicativo da baixa que o setor vem sofrendo, sobretudo após a eclosão da pandemia do Coronavírus.

O fundo do tipo tijolo com foco em shoppings tem sofrido duplamente com a pandemia.

Isso porque, os fundos do tipo tijolo tem foco no investimento e construção de grandes obras, para posterior locação. O foco em shoppings faz com que os fundos construam essencialmente obras de shopping centers.

Assim, se por um lado é impensável o investimento em novos empreendimentos, por outro pouquíssimos shoppings conseguiram manter os pagamentos de aluguéis em dia.

Em contrapartida, é possível citar o MALL11 como um dos poucos fundos de shoppings que revelou resultados positivos e boas expectativas no início de 2021.

Assim, a reavaliação de ativos do GSFI11 é uma boa notícia, uma vez que aumenta as possibilidades de alocações para futuros rendimentos para o fundo.