O Fundo de Investimento Imobiliário Hedge Brasil Shopping (HGBS11), administrado pela Hedge Investments DTVM, divulgou nesta terça-feira (9) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O gestor do Hedge Brasil Shopping afirmou que o mês de fevereiro foi surpreendente, observando muita volatilidade em todos os fronts, considerando tanto o mercado externo, quanto às questões econômicas e políticas internamente. Esses fatores se juntam à evolução da pandemia.

Além disso, o gestor do Hedge Brasil Shopping ressaltou também que a prerrogativa de troca de presidente da Petrobrás, ainda mais no fim de seu mandato, sempre será do executivo.

O gestor do Hedge Brasil Shopping continua seu comentário dizendo que os equívocos da política econômica da ex-presidente Dilma Rousseff ainda são muito recentes e fazem com que muitas vezes os investidores exagerem suas reações.

O HGBS11, na figura do gestor, complementa que essas reações são exageradas ao perceber que a condução da política econômica pelo governo atual ameaça se aproximar de situações tão nefastas como foram aquelas que vivemos no governo Dilma que acabam desorganizando vários setores da economia, principalmente o setor elétrico.

Quanto ao mercado de shopping centers, o Hedge Brasil Shopping diz que com o aumento do número de casos da Covid-19 no país, algumas autoridades locais voltaram a endurecer as medidas de isolamento social, com estados decretando novas restrições em diversas atividades e toques de recolher.

Destacou-se ainda que até o momento, os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, onde o fundo tem presença, foram dois dos que tomaram medidas mais restritivas. Além disso, os ativos do HGBS11 que se localizam nestas regiões estão com suas atividades restritas às operações essenciais.

Portfólio do HGBS11

Na Grande São Paulo, alguns ativos do Hedge Brasil Shopping encontram-se restritos apenas nas atividades essenciais. Esses ativos e a participação deles na carteira do fundo são:

  • Penha West Plaza Mooca Villa Lobos Santana Jardim Sul - 52%;
  • São Bernardo - 8%;
  • Praça da Moça - 4%
  • Grand Plaza Shopping - 3%;
  • Suzano - 2%.

Em Campinas, os ativos do HGBS11 que funcionam sob restrições, exclusivamente para atividades essenciais são o Parque D. Pedro e Tivoli, que representam 11% e 8%, respectivamente, da carteira do fundo.

O Hedge Brasil Shopping terminou fevereiro com investimentos em 17 shopping centers, distribuídos em doze cidades e cinco estados. Além disso, são 10 adquiridos de forma direta, 1 detido parte de forma direta e parte em cotas de WPLZ11 e 6 que fazem parte do fundo através de cotas de outros FIIs, que são esses:

  1. HPDP11;
  2. FVPQ11;
  3. HMOC11;
  4. FLRP11;
  5. ABCP11;
  6. JRDM11.

Sobre a diversificação da carteira do HGBS11, cerca de 87,1% da carteira de ativos estão alocados em ativos imobiliários, que são os estratégicos do fundo. Além disso, aproximadamente 12,9% estão distribuídos em FIIs, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e FIIs de CRI, além de outros ativos de renda fixa.

HGBS11 anuncia resultados e rendimentos do mês de fevereiro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na diversificação da carteira do Hedge Brasil Shopping por operadores, há 3 maiores posições e o percentuais correspondentes no portfólio do fundo:

  • Aliansce Sonae - 32%;
  • AD Shopping - 30%;
  • brMalls - 25%.

Além disso, é importante ressaltar que 88% dos ativos do HGBS11, enquanto os outros estão localizados nos estados:

  • Rio Grande do Sul - 4%;
  • Mato Grosso - 3%;
  • Santa Catarina - 3%;
  • Rio de Janeiro 2%.

Resultados e rendimentos

O Hedge Brasil Shopping é um FII do segmento de shoppings. O objetivo do fundo é alcançar rendimentos e resultados através da aquisição e da exploração comercial de participações em shoppings centers.

No fechamento do mês de fevereiro, o valor de mercado da cota do HGBS11 foi de R$ 209,90, correspondente a um valor de mercado total de R$2,1 bilhões. Com esse valor, o Hedge Brasil Shopping é o maior fundo imobiliário de portfólio de shopping center. O valor patrimonial da cota no período foi de R$ 220,42.

HGBS11 anuncia resultados e rendimentos do mês de fevereiro

No mês de fevereiro a receita do HGBS11 ficou majoritariamente em na receita imobiliária, que totalizou R$7,31 milhões. Outras receitas foram no montante de mais de R$1,43 milhão e o total de despesas, R$1,24 milhão.

No mesmo período, o resultado operacional do Hedge Brasil Shopping foi de quase R$7,51 milhões. Descontando-se o lucro operacional, o resultado do HGBS11 alcançou R$7,27 milhões, totalizando R$16,68 milhões nos últimos 12 meses.

Com esses números, o resultado médio por cota do Hedge Brasil Shopping foi de R$0,73. Já o rendimento distribuído no mês de fevereiro foi de R$8 milhões. O valor do rendimento médio por cota foi de aproximadamente de R$0,80.