O Fundo de Investimento Imobiliário Hedge Brasil Shopping (HGBS11), administrado pela Hedge Investments DTVM, divulgou o seu relatório gerencial do mês de outubro, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O Hedge Brasil Shopping (HGBS11) é um FII do segmento de shoppings. O objetivo do fundo é alcançar rendimentos e resultados através da aquisição e da exploração comercial de participações em shoppings centers.

Além disso, os shoppings adquiridos pelo HGBS11 precisam ter pelo menos 15.000 m² de Área Bruta Locável (ABL), e serem localizados em regiões com área de influência de, no mínimo, 500 mil habitantes e administrados por empresas especializadas, atuando de forma ativa na gestão da carteira de investimentos.

O fundo diz que no campo econômico, não sobrou alternativa ao Banco Central que não fosse aumentar a SELIC em 150 bps, o que traria o juro para 7,75% e uma indicação de uma nova alta da mesma magnitude para dezembro com provável encerramento do ano a 9,25%.

Do mesmo modo, o HGBS11 destaca que na “ausência de uma política fiscal responsável que possa ajudar a equilibrar as contas e acalmar os mercados, a política monetária tem que fazer todo esse esforço sozinha, e com isso a mão do BACEN acaba pesando na calibragem dos juros a tal ponto de já haver agentes de mercado prevendo que o atual ciclo de aperto monetário se encerre entre 10,50% e 12,50%.

Portfólio do Hedge Brasil Shopping

O Hedge Brasil Shopping terminou setembro com investimentos em 17 shopping centers. Sobre a diversificação da carteira do HGBS11, cerca de 89,8% da carteira de ativos estão alocados em ativos estratégicos do fundo.

Além disso, aproximadamente 7,7% estão distribuídos em FIIs líquidos, 1,7% em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e 0,6% em fundos de renda fixa. Por conta disso, 67,9% dos ativos do HGBS11 estão em imóveis e 21,9% ao todo em FIIs.

Por ativos, os 7 maiores posicionamentos do portfólio do Hedge Brasil Shopping são:

  • Penha - 15%;
  • West Plaza - 15%;
  • Parque Dom Pedro - 12%;
  • Mooca - 8%;
  • São Bernardo - 8%;
  • Tivoli - 8%;
  • Villa Lobos - 7%.

Na diversificação da carteira do Hedge Brasil Shopping por operadores, há 3 maiores posições e o percentuais correspondentes no portfólio do fundo:

  1. AD Shopping - 30%;
  2. brMalls - 26%;
  3. Aliansce Sonae - 17%.

HGBS11 divulga resultado e rendimento de outubro

 Resultados e rendimentos do HGBS11

No fechamento do mês de outubro, o valor de mercado da cota do HGBS11 foi de R$ 180,00, correspondente a um valor de mercado total de R$ 1,8 bilhão. O valor patrimonial da cota no período foi de R$ 211,87.

No mês de outubro, a receita do HGBS11 ficou majoritariamente em receita imobiliária, que totalizou R$ 8,8 milhões. Outras receitas foram no montante de quase R$ 1,64 milhão e o total de despesas, quase R$ 1,05 milhão.

No mesmo período, o resultado operacional do Hedge Brasil Shopping foi de quase R$ 9,38 milhões. Descontando-se o lucro operacional, o resultado do HGBS11 foi de quase R$ 9,14 milhões, totalizando R$ 68,05 milhões nos últimos 12 meses.

Com esses números, o resultado médio por cota do Hedge Brasil Shopping (HGBS11) foi de R$ 0,91. Já o rendimento distribuído no mês de outubro foi de R$ 9 milhões. O valor do rendimento médio por cota foi de aproximadamente de R$ 0,90. O retorno total bruto em outubro foi negativo em -0,7%, totalizando 284,6% desde o início do fundo.