A Credit Suisse, gestora do CSHG Real Estate (HGRE11), comunicou nesta quinta-feira (09) aos seus cotistas os resultados do fundo referente a novembro. Além disso, a Credit Suisse deu detalhes sobre a gestão dos ativos do HGRE11, além de anunciar dividendos “gordos” para janeiro de 2022. 

Referente a novembro, o fundo apresentou uma receita total de R$ 10,2 milhões, o que levou a um resultado de R$ 5,2 milhões ou R$ 0,44 por cota. O HGRE11 distribuiu até o momento 57,9% do resultado apurado no semestre e anunciou um rendimento de R$ 0,69 por cota. Confira:

HGRE11

A gestão disse que o fundo tem passado por diversas alterações no portfólio que geram impacto na geração de caixa, tanto em vendas com lucro a distribuir, quanto em relação a vacâncias e novas locações. 

A saída de alguns inquilinos, neste caso, geram multas rescisórias, mesmo que exista quebra de fluxo de recebimento de aluguéis, enquanto as novas locações trazem carências antes da geração de caixa

Cotistas receberão dividendos maiores em janeiro de 2022

Por isso, a gestão tomou algumas decisões para trazer maior previsibilidade ao caixa do HGRE11 e estabilidade na distribuição:

  • Antecipar o pagamento da segunda e última parcela da comissão de venda do Verbo Divino, de aproximadamente R$ 2,0 milhões, 
  • Postergar o recebimento da terceira parcela da venda do ativo acima, previsto para 30/11/2021, no valor total de aproximadamente R$ 12,0 milhões acrescidos de correção monetária, sendo R$ 5,0 milhões distribuíveis, para 31/01/2022, 
  • Receber a multa rescisória da Enel, de aproximadamente R$ 7,0 milhões em duas parcelas. 

Neste caso, o recebimento da multa, uma em cada semestre de 2022, servirá para reduzir os impactos das carências concedidas aos novos locatários da Torre Jatobá, que já locaram 4 dos 7 andares a serem devolvidos até o final do ano. 

Desta, a distribuição de rendimentos de dezembro (paga em janeiro) ficará entre R$2,50 e R$3,00 por cota. 

Abaixo, confira as receitas do fundo e o valor por cota. Repare que em outubro o ganho de capital com a venda do ativo Verbo Divino gerou um resultado extraordinário:

HGRE11

Reavaliação dos imóveis 

Também, a gestão comentou que os ativos do fundo foram reavaliados, com valor total avaliado de R$ 1.894.600.000,00, valor este 1,65% inferior aos valores contábeis dos referidos imóveis até a data da reavaliação, levando o valor patrimonial do fundo a R$166,56 por cota. 

A gestora disse que essa redução nos valores decorrem da mudança no cenário de juros do país, que impactam diretamente as taxas de desconto e capitalização dos fluxos de caixa projetados, e a piora nas expectativas de valor de locação e velocidade de absorção dos ativos. 

Contudo, a dinâmica de precificação e liquidez de cotas de fundos imobiliários cria distorções nestes valores quando ajustados em valor por cota negociado a mercado, que pode se mostrar como oportunidade. 

A Credit Suisse explicou que é natural que um portfólio de ativos negociados em unidades fracionadas (cotas) e com liquidez diária a precificação deste produto será diferente de um imóvel no mercado imobiliário. 

Durante o mês de novembro não houve alteração na área ocupada do HGRE11. Mas na visão da gestão, há um aquecimento do mercado de escritórios, com um relevante aumento de demandas, visitas e negociações para os diversos ativos do fundo. 

A carteira de imóveis do fundo fechou o mês de novembro com 23,93% de vacância física e 26,71% de vacância financeira. 

Conheça o HGRE11

O CSHG Real Estate é um fundo imobiliário do tipo tijolo com foco no mercado de escritórios comerciais. 

O fundo em questão possui patrimônio líquido de R$1,4 bilhão e tem atualmente 112.473 cotistas. 

Para quem deseja investir no HGRE11, o valor patrimonial de sua cota é de R$166,56, sendo sua taxa de administração de 1,0%a.a. sobre patrimônio líquido.