O Fundo de Investimento Imobiliário Hedge Recebíveis Imobiliários (HREC11), administrado pela Hedge Investments DTVM Ltda., divulgou nesta sexta-feira (11) o seu relatório gerencial do mês de maio, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O fundo HREC11 iniciou as atividades em outubro de 2020. O objetivo do Hedge Recebíveis Imobiliários é proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade de suas cotas no longo prazo. Além disso, o foco principal é investimentos em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), segundo a política de investimentos do fundo.

Segundo a gestora do Hedge Recebíveis Imobiliários, sendo o Hedge Investments Real Estate Gestão de Recursos Ltda., maio foi até agora “o mês mais positivo do ano, pois tivemos em seu curso a confirmação do cenário otimista que se delineava ao final do mês de abril”.

O gestor do Hedge Recebíveis Imobiliários destacou que no mês de maio, o  “comportamento do mercado de ações, expresso pelo Ibovespa que teve valorização de 6,16% e também a nova recuperação do real em relação ao dólar que chegou a 3,81%”.

Enquanto isso, colocou-se o fato também da situação do mercado futuro de juros com uma forte variação. O indicador que está mais próximo, sendo o DI de janeiro de 2022, aponta que se deve atingir os 5,06%, que é uma desvalorização de 8,82% no mês.

Portfólio do Hedge Recebíveis Imobiliários

O HREC11 terminou o mês de maio de 2021 com o investimento direto em 4 Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). Esse investimento totaliza cerca de R$ 123,85 milhões. Já a taxa média dos CRIs ponderada pelo MTM de cada certificado é de IPCA+6,28%.

Sendo assim, os CRIs representam 98% da carteira do Hedge Recebíveis Imobiliários, enquanto a renda fixa é de 2%. No vencimento dos contratos, 71% são para o ano de 2032, já no ano de 2030 é de 29%.

No perfil dos ativos, 71,2% do portfólio do HREC11 está em lajes corporativas e 28,8% em shopping centers. Esse mesmo percentual está na alocação por localidade, sendo 71,2% em  São Paulo - SP e a parcela remanescente em Sinop - MT.

Resultados e rendimentos do HREC11

O Hedge Recebíveis Imobiliários distribuirá R$ 1,04 por cota como rendimento referente ao mês de maio de 2021. O pagamento será feito no dia 15 de junho de 2021, aos que investirem nas cotas até 31 de maio de 2021.

O HREC11 tem R$1,27 por cota de rendimentos acumulados que vem da correção dos CRIs pela inflação. Esse rendimento será distribuído, segundo o fundo, quando foram “convertidos em caixa conforme os cronogramas de amortização dos títulos”.

A receita operacional do fundo totalizou R$ 1,13 milhão no mês de maio, enquanto as despesas foram de pouco mais de R$ 62 mil. O resultado do HREC11 no período foi de R$ 1,07 milhão, e o resultado médio de R$ 0,91 por cota.

Do mesmo modo que a cota patrimonial do HREC11 ficou em R$ 98,11 e a cota de mercado foi de R$ 101,30. O valor de mercado alcançou a marca dos R$ 119,2 milhões. Além disso, o fundo terminou o mês de maio com 210 cotistas.