O Fundo de Investimento Imobiliário Hotel Maxinvest (HTMX11), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, divulgou nesta segunda-feira (16) o seu relatório gerencial do mês de agosto, em que descreveu seu resultado e rendimento mensal.

O Fundo Imobiliário HTMX11 começou em 2007 com intuito de recuperar o mercado hoteleiro da cidade de São Paulo. Mas o “aumento na distribuição da renda dos hotéis e a valorização das unidades hoteleiras vêm garantindo ao investidor do Maxinvest uma das melhores rentabilidades do mercado de Fundo de Investimento Imobiliário durante os quatorze anos da sua existência”, conforme explicou o fundo.

Além disso, importante lembrar que o Hotel Maxinvest começou no ano de 2011 um ciclo de desinvestimento, por conta do aumento de valor das unidades hoteleiras. Destaca-se também o momento econômico ocorrido entre 2015 e 2017. Nesse período foi um momento de desaceleração do ritmo de vendas.

Entre os anos de 2016 e 2019, o fundo HTMX11 adquiriu alguns apartamentos e os trouxe para sua carteira. Na pandemia, as restrições de movimentação e nas viagens impostas pelo governo e empresas acabaram impactando de forma significativa o setor hoteleiro.

Portfólio do Hotel Maxinvest

A carteira do Fundo Maxinvest teve em junho uma taxa de ocupação de 39%. Além disso, contou com uma diária média de R$ 265, o que troue um RevPAR de R$104. Em relação ao mês de maio de 2021, o fundo destacou um aumento de 7 pontos percentuais na taxa de ocupação, mesmo crescimento obtido na diária média. O RevPAR cresceu R$ 24 na comparação com mês anterior.

Na concentração da carteira por classe de ativo, a divisão do HTMX11 fica da seguinte forma:

  • Mid-Scale - 42%;
  • Upper Mid-Scale - 40%;
  • Economic - 14%;
  • Budget - 4%.

Na concentração da carteira por região, a carteira se divide se distribui por:

  • Vila Olímpia-Itaim - 46%;
  • Berrini - 33%;
  • Paulista - 10%;
  • Jardins - 4%;
  • Chácara Santo-Antônio - 3%;
  • Moema-Congonhas - 2%;
  • Ibirapuera - 2%.

HTMX11 divulga resultado do mês de agosto em relatório gerencial

A taxa de administração do HTMX11 é de 0,50% ao ano sobre o valor total de ativos. A taxa de performance é de 20% sobre o lucro na venda dos imóveis. Do mesmo modo que a taxa de consultoria é de 0,20% ao ano sobre o patrimônio líquido.

Resultados e rendimentos do HTMX11

O Hotel Maxinvest possui até o momento 14 emissões no total. O número de cotistas do fundo atingiu a marca dos 24.322, enquanto que a quantidade de cotas é de 1.257.022. O valor patrimonial da cota é de R$ 130,23. Além disso, o fundo possui uma Área Bruta Locável (ABL) de 12.971 m².

Nenhuma unidade hoteleira foi vendida em julho. No entanto, desde novembro de 2012, 441 unidades hoteleiras já foram vendidas. Assim, se performou o valor de R$ 46,13 por cota amortizada. Até o início de agosto, se viu que a carteira do HTMX11 opera com 455 unidades hoteleiras em 23 hotéis.

A receita do mês de julho do HTMX11 foi de pouco mais de R$ 10 mil, enquanto as despesas superaram os R$ 102 mil. Desse modo, o resultado do período foi negativo para o fundo em cerca de R$ 92,3 mil.

A cota de julho é composta pelo prejuízo operacional das unidades hoteleiras em junho, que foi negativo em R$ 0,0777, somado ao lucro da aplicação financeira, cujo valor foi de R$ 0,0042 por cota. A soma dos resultados do fechamento do período de março de 2020 a julho de 2021, o HTMX11 tem um prejuízo acumulado de R$ 3,0884 por cota, o que faz com não se tenha distribuição no mês.