O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea Índices de Preços (KNIP11), administrado pela Intrag DTVM Ltda, divulgou nesta segunda-feira (1) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu portfólio.

O gestor do KNIP11, Kinea Investimentos Ltda., ressaltou as movimentações realizadas no mês de fevereiro, entre elas, a conclusão de uma operação de aquisição, por um fundo imobiliário, de um centro de distribuição localizado em Guarulhos, que se encontra plenamente ocupado.

Importante dizer que essa aquisição do KNIP11 conta a presença de garantias de alienação fiduciária de 100% dos ativos, além de cessão fiduciária dos recebíveis e também o fundo de reserva.

O Kinea Índices de Preços afirmou que já possui uma série de operações em estruturação, com o objetivo de investir a parcela de recursos que está atualmente presente em caixa, mas que devem ser desembolsados em períodos próximos.

Além disso, o gestor do KNIP11 ressaltou também que o IPCA atingiu o maior patamar dos últimos meses, contribuindo para uma maior rentabilidade do veículo.

Destaca-se que os objetivos do Kinea Índices de Preços é investir em operações atreladas a um cupom de juros real, que é atualizado pelo IPCA.

Sendo assim, a variação do IPCA apresenta uma influência direta para a rentabilidade nominal do veículo, em especial, a alta do índice inflacionário pode colaborar para a rentabilidade do KNIP11.

O gestor afirma que o Kinea Índices de Preços permanece com sua carteira saudável e adimplente em todas as suas operações. Importante lembrar que o objetivo do KNIP11 é investir em ativos de renda fixa que tenham natureza imobiliária, principalmente no investimento em CRIs.

Rendimentos KNIP11

Os dividendos do KNIP11 referente ao mês de fevereiro serão pagos aos cotistas no dia 11 de março de 2021, no valor de R$1,20 por cota. Ou seja, o porcentual de rentabilidade para pessoas físicas é de 1,13%, considerando a cota média da 7ª emissão, no valor de R$106,41.

Importante dizer que essa rentabilidade do KNIP11 é isenta de imposto de renda para as pessoas físicas e é equivalente a 838% da taxa DI do período, ou seja, do CDI líquido de IR.

Durante o mesmo período ocorreu um volume de R$274,86 milhões em montante negociado, o equivalente a um volume médio diário de aproximadamente R$15,27 milhões para o Kinea Índices de Preços.

No fechamento do mês de fevereiro, o valor patrimonial da cota do KNIP11 foi R$103,63, enquanto o valor de mercado da cota foi de R$115,97. Desde a sua 6ª emissão, o KNIP11 teve uma rentabilidade de 1,13%, equivalente a 842% da taxa DI, considerando o valor de referência da cota em R$105,88.

KNIP11 divulga resultados e o portfólio no mês de fevereiro

Portfólio do KNIP11

A carteira imobiliária do Kinea Índices de Preços ao final do mês de fevereiro era composta por 51 ativos , dos quais 49 são CRIs. Importante dizer que a alocação do fundo é de 85,2% em ativos-alvo e 14,8% em instrumentos de caixa. Dessa forma, a carteira está distribuída em:

  • 83,8% em CRIs;
  • 1,4% em FII;
  • 14,8% em caixa;

Esses mesmos percentuais valem para a distribuição por indexador em IPCA, Selic e Caixa, respectivamente. Na alocação por setor, as 5 maiores posições do KNIP11 são:

  1. 35,8% em lajes corporativas;
  2. 20,2% em shoppings centers;
  3. 14,8% em caixa;
  4. 14,2% em galpões logísticos;
  5. 4,6% em desenvolvimento.

KNIP11 divulga resultados e o portfólio no mês de fevereiro

O total de resultados em CRI obtidos pelo KNIP11 no mês de fevereiro foi de R$57,8 milhões, enquanto as despesas alcançaram os R$3,7 milhões. Sendo assim, o resultado líquido mensal alcançou aproximadamente R$57,3 milhões, considerando também os resultados menores que correspondem a FII e instrumento de caixa.

O Kinea Índices de Preços iniciou suas atividades em 16 de setembro de 2016 e acumulou até o fechamento do mês de fevereiro um patrimônio líquido de aproximadamente R$4,88 bilhões, além de 45.809 no total do número de cotistas.