O Fundo de Investimento Imobiliário Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), administrado pela Intrag DTVM Ltda, divulgou nesta segunda-feira (1) o seu relatório gerencial do mês de fevereiro, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais, assim como a atualização de seu portfólio.

O gestor do KNRI11, Kinea Investimentos, ressaltou as movimentações realizadas no mês de fevereiro, entre elas, a aquisição de 20% das Torres Ebony e Marble do Complexo Rochaverá Corporate Towers, no valor de R$251,3 milhões.

O Kinea Renda Imobiliária considera oportuna essa aquisição, uma vez que ela contribui para a expansão do portfólio do KNRI11 para um eixo de crescimento de escritórios corporativos localizados na cidade de São Paulo. 

Além disso, a aquisição do KNRI11 pode agregar ainda mais para a carteira do fundo um edifício com especificações técnicas únicas e de característica icônica. O imóvel adquirido ainda é ocupado por grandes empresas nacionais e multinacionais, pertencente ao segmento de finanças, tecnologia e também farmacêutico.

Importante dizer que durante o mês de fevereiro se viu algumas movimentações na carteira de clientes do Kinea Renda Imobiliária. Essa movimentação contou com a locação de um módulo do imóvel Global Jundiaí pela MRO Serviços Logísticos.

Durante o mesmo período ocorreu a desocupação de um conjunto do edifício Atenas pela empresa Iteris, e também de dois conjuntos do edifício Jardim Floriano pela Salini Implegilo. Com isso, a vacância financeira ajustada pelas carências obtidas pelo KNRI11 no mês de fevereiro reduziu para 12,87%.

Rendimentos KNRI11

Os rendimentos distribuídos pelo KNRI11 referente ao mês de fevereiro serão pagos aos cotistas no dia 12 de março de 2021, no valor de R$0,69 por cota. A divulgação do pagamento ao mercado ocorreu no dia 26 de fevereiro de 2021.

Durante o mesmo período ocorreu um volume de 484.793 cotas negociadas, o equivalente 2,01% do total de cotas do Kinea Renda Imobiliária. Desse modo, o volume médio diário foi de aproximadamente R$4,27 milhões.

No mês de fevereiro, o valor patrimonial da cota do KNRI11 foi de R$156,05, enquanto o valor de mercado da cota foi de R$158,29. Desde a sua 6ª emissão em abril de 2019, o KNRI11 teve uma variação positiva em sua cota de 7,72%, considerando o valor de referência da cota de R$144,36. 

KNRI11 anuncia rendimentos e resultados do mês de fevereiro

Portfólio do KNRI11

A carteira imobiliária do Kinea Renda Imobiliária é composta por 20 propriedades, dos quais 11 são edifícios e 9 são centros logísticos. Desse modo, 51,16% são da tipologia de logística, enquanto os outros 48,84% são da tipologia de escritório. Por estado, essas propriedades estão distribuídas em:

  • 64,89% em São Paulo;
  • 18,51% no Rio de Janeiro;
  • 16,60% em Minas Gerais;

No tipo de contrato, essas 20 propriedades estão distribuídas 48,41% em típicos e 51,59% em atípicos. Por índice de reajuste essa carteira do KNRI11 se distribui em 51,62% em IGP-M e 48,38% em IPCA.

KNRI11 anuncia rendimentos e resultados do mês de fevereiro

Além disso, a vacância física do Kinea Renda Imobiliária em fevereiro chegou aos 6,54%, reduzindo um pouco na comparação com janeiro, quando era de 6,81%. No mesmo período, a vacância financeira também diminuiu, passando de 12,28% para 11,75%.

A vacância financeira do KNRI11 se distribui em 4 segmentos principais:

  1. Escritório RJ - 65%;
  2. Escritório SP - 16%;
  3. Logístico - 10%;
  4. Escritório MG - 8%;

Por fim, o total de receitas do KNRI11 no mês de fevereiro foi de quase R$20,28 milhões, enquanto as despesas alcançaram os R$5,37 milhões. Sendo assim, o resultado final mensal foi de aproximadamente R$14,90 milhões.

O Kinea Renda Imobiliária iniciou suas atividades em 11 de agosto de 2010 e acumulou até o fechamento do mês de fevereiro um patrimônio líquido de quase R$3,77 bilhões, além de 230.892 no total do número de cotistas