O Fundo de Investimento Imobiliário VBI Logístico (LVBI11), administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. DTVM, divulgou nesta quarta-feira (14) o seu relatório gerencial do mês de março, no qual descreveu seus resultados e rendimentos mensais.

O objetivo do VBI Logístico (LVBI11) é a obtenção de renda e ganho de capital, através do investimento de, no mínimo, dois terços do seu patrimônio líquido diretamente em imóveis ou direitos reais sobre imóveis do segmento logístico, ou industrial.

Além disso, o VBI Logístico pode investir em imóveis indiretamente, como por ações ou cotas de sociedades de propósito específico, cota de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) e cotas de fundos de investimento em participações.

Portfólio do LVBI11

A alocação por classe do fundo é 93% em ativos classe A e 7% em ativos classe B. A carteira de ativos do LVBI11 se distribui entre 7 segmentos:

  1. Logística - 49%;

  2. Bebidas - 14%;

  3. Varejo - 13%;

  4. E-commerce - 13%;

  5. Bens de Capital - 7%;

  6. Beleza e Estética - 3%;

  7. Eletrodoméstico - 1%;

A distribuição por indexador é de 71% no IGP-M, 18% no IPCA e 11% no IPC. Além disso, 72% dos contratos são típicos e 28% atípicos. O vencimento dos contratos são 24% em algum ano além de 2030 e 17% em 2026. Por região, o VBI Logístico tem seus ativos distribuídos em:

  • Região Metropolitana de São Paulo - 48%;

  • Extrema - 32%;

  • Região Metropolitana de Curitiba - 12%;

  • Região Metropolitana de Belo Horizonte - 8%;

A alocação por ativo em relação à receita do LVBI11 é realizado da seguinte forma:

  • Extrema - 32%;

  • Jandira - 14%;

  • Araucária - 12%;

  • Mauá - 11%;

  • Guarulhos - 9%;

  • Betim - 8%;

  • Itapevi - 7%;

  • Pirituba - 7%;

LVBI11 atualiza portfólio e divulga resultados de março

No mês de março, o VBI Logístico realizou importantes movimentações de novas locações no seu portfólio. No dia 5 de março, foi divulgado fato relevante comunicando a celebração de contrato de locação referente à totalidade da Área Bruta Locável (ABL) de 47.157 m² do ativo Araucária com a empresa Magazine Luiza S.A.

O LVBI11 também celebrou contrato de locação para 50% da área do Galpão 40 do ativo Extrema, que totaliza 5.181 m², para a empresa Infracommerce. Conforme informado anteriormente, o Galpão 40 era ocupado pela DHL e seria desocupado somente ao final do mês.

Além disso, o VBI Logístico celebrou um novo contrato de locação de 3.522 m² de ABL no ativo Itapevi com a empresa B4A Group. Com essas novas movimentações, a taxa de vacância física do fundo no final de março era 3,3%.

Resultados e rendimentos

O VBI Logístico (LVBI11) iniciou as atividades em novembro de 2018 e tem 11.775.177 de cotas emitidas. A taxa de administração é de 1,30% ao ano sobre o patrimônio líquido do fundo, calculado conforme regulamento da taxa efetiva.

O patrimônio líquido do LVBI11 é de quase R$ 1,3 bilhão e o valor de mercado é de R$ 1,34 bilhão. O valor patrimonial da cota foi de R$ 100,30 e o valor de mercado da cota de R$ 114,00. O volume médio diário negociado no mês foi de R$ 3,1 milhões.

O VBI Logístico pagou um dividendo por cota de R$ 0,52 e o dividend yield anualizado com base no valor da cota negociada na B3 em 31 de março é de 5,5%. Já o dividend yield considerando o valor da cota patrimonial na mesma data é de 5,7%. O número de cotistas alcançou a marca dos 34.840.

A distribuição por cota em fevereiro foi de R$ 0,47 e em janeiro de 2021 foi de R$ 0,52. O volume negociado durante o mês atingiu o montante de R$ 120,9 milhões, o que corresponde a 9,0% do valor de mercado.

A receita imobiliária do LVBI11 em março foi de R$ 7,2 milhões e as despesas de R$ 1,4 milhão. O resultado operacional era de R$ 5,8 milhões. Com o resultado financeiro líquido de R$ 300 mil, o lucro líquido é de R$ 6,2 milhões.